Mostrando postagens com marcador Manifesto. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Manifesto. Mostrar todas as postagens

sexta-feira, 28 de fevereiro de 2020

Atividade sobre o texto "Manifesto à população contra a propaganda enganosa"

Manifesto à população contra a propaganda enganosa

Atenção, consumidor compulsivo, antenado em rádio, televisão, outdoors, etc. Não se deixe levar pelos apelos sedutores nem pela aparência inicial de um produto ou serviço. Reflita. Não aja por impulso. Nem se deixe iludir com a conversa do anúncio, vendedor ou vendedora. A propaganda objetiva criará em você uma tal necessidade que você se sentirá excluído  por não ter o objeto do desejo. Fique alerta, pois tudo não passa de um jogo psicológico. Tome cuidado com as promoções. Não compre sem pesquisar preços. Pechinche. Peça descontos e prazos para o pagamento. Aproveite o momento e exerça esse direito básico do consumidor. Exija nota fiscal, que é sua garantia. Sem ela você não poderá provar nada. Com ela, garantirá recursos destinados à construção de hospitais, escolas, etc. Recorra ao Código de defesa do Consumidor para garantir seus direitos e denunciar abusos. 

Defensores do Povo, abril de 2003. 

Jovens, senhores e senhoras da comunidade representados por Ana Júlia Santos, Bernardo Silva, Cláudia Mendel, Dirceu Silva, Edna Carneiro, Fábio Lima, Gláucia Cordeiro, Maria do Céu.

01) Quais são as características do gênero presentes no texto acima?

02) O que é denunciado no manifesto? O que você pensa com relação a isso?

03) Circule no texto um vocativo, dizendo sua importância para o manifesto:

04) Por que existe uma palavra em itálico no manifesto? 

05) Qual o alerta presente no texto em questão? A quem? 

06) O manifesto contém também um lembrete. Qual seria ele? 

07) Qual o objetivo de tal manifesto? Ele cumpriu com esse objetivo? 

sábado, 4 de maio de 2019

Conhecendo o gênero textual chamado Lambe-lambe!


Mesmo com mais de vinte anos em sala de aula e sendo assumidamente curiosa e uma pesquisadora constante, percebo que a cada dia aprendo algo novo e como isso me renova! O importante é estarmos abertos, atentos, sugando cada informação que nos cai nas mãos. A de hoje, por exemplo, foi o gênero chamado LAMBE-LAMBE, que eu, até então, nunca tinha sequer escutado falar e que apareceu numa postagem de um grupo de trocas que eu faço parte, no Facebook. 

Você já ouviu falar?!? Trata-se de uma vertente da arte de rua que utiliza cartazes como intervenção urbana, com o intuito de transmitir ideias e pensamentos, divulgar as artes ou até mesmo protestos elaborados através de imagens e textos. 

É um pôster artístico de tamanho variado que é colado em espaços públicos e a gente também pode usar em sala de aula abordando algum tema polêmico... Aqui vão alguns exemplos e é óbvio que eu fiquei en-can-ta-da especialmente com o da Frida Feminista, né?!? Fofa demais... Inspire-se! Logo logo farei com as minhas turmas!!! ;-)







sábado, 22 de abril de 2017

Atividade sobre a música "Até quando?", do Gabriel O Pensador


Até quando? 

Não adianta olhar pro céu, com muita fé e pouca luta
Levanta aí que você tem muito protesto pra fazer e muita greve,
Você pode, você deve, pode crer. 
Não adianta olhar pro chão, virar a cara pra não ver
Se liga aí, que te botaram numa cruz e só porque Jesus
Sofreu não quer dizer que você tenha que sofrer.

Até quando você vai ficar usando rédea?
Rindo da própria tragédia?
Até quando você vai ficar usando rédea?
(Pobre, rico ou classe média)
Até quando você vai levar cascudo, mudo?
Muda, muda essa postura.
Até quando você vai ficar mudo?
Muda, que o medo é um modo de fazer censura.

Até quando você vai levando?
(Porrada! Porrada!)
Até quando vai ficar sem fazer nada?
Até quando você vai levando?
(Porrada! Porrada!)
Até quando vai ser saco de pancada?

Você tenta ser feliz, não vê que é deprimente
seu filho sem escola, seu velho tá sem dente
Cê tenta ser contente e não vê que é revoltante
Você tá sem emprego e a sua filha tá gestante
Você se faz de surdo, não vê que é absurdo
Você que é inocente foi preso em flagrante!
É tudo flagrante! É tudo flagrante!

A polícia matou o estudante, falou que era bandido, 
chamou de traficante.
A Justiça prendeu o pé-rapado, soltou o deputado
e absolveu os PMs de Vigário.

A polícia só existe para manter você na lei,
lei do silêncio, lei do mais fraco:
ou aceita ser um saco de pancada ou vai pro saco.
A programação existe pra manter você na frente,
na frente da TV, que é pra te entreter, 
que é pra você não ver que o programado é você.

Acordo, não tenho trabalho, procuro trabalho, quero trabalhar.
O cara me pede o diploma, não tenho diploma, não pude estudar
E querem que eu seja educado, que eu ande arrumado, que eu saiba falar.
Aquilo que o mundo me pede não é o que mundo me dá. 
Consigo um emprego, começa o emprego, me mato de tanto ralar.
Acordo bem cedo, não tenho sossego nem tempo pra raciocinar.
Não peço arrego, mas onde que eu chego se eu fico no mesmo lugar?
Brinquedo que o filho me pede, não tenho dinheiro pra dar. 

Escola, esmola!
Favela, cadeia!
Sem terra, enterra!
Sem renda, se renda!
Não! Não! 

Muda, que quando a gente muda o mundo muda com a gente. 
A gente muda o mundo na mudança da mente. 
E quando a mente muda a gente anda pra frente
E quando a gente manda ninguém manda na gente. 
Na mudança de atitude não há mal que não se mude nem doença sem cura.
Na mudança de postura a gente fica mais seguro, 
na mudança do presente a gente molda o futuro!

Até quando você vai levando porrada, até quando vai ficar sem fazer nada?
Até quando você vai ficar de saco de pancada?
Até quando você vai levando?

(Gabriel O Pensador) 


01) Copie do texto palavras que remetem à fala coloquial, explicando a importância disso para o contexto: 

02) Transcreva do texto uma passagem de que tenha atraído mais a sua atenção, dizendo o porquê:

03) A que classe gramatical pertencem as palavras "mudo" e "muda"? Por que essa escolha?

04) Que efeito se sentido têm as palavras que se encontram entre parênteses, no texto?

05) De que par de rima você mais gostou? Explique sua escolha:

06) Posicione- se sobre o primeiro verso da música, explicando seu ponto de vista:

07) Podemos afirmar que a letra de música em questão possui características do gênero "manifesto"? Justifique sua resposta:

08) Com base nos argumentos do texto, responda: Até quando?

09) O verso "Muda, que quando a gente muda, o mundo muda com a gente" faz um forte apelo ao interlocutor, incitando-o à mudança. Que tipo de mudança seria essa? Comente:

10) Explique o duplo sentido presente na expressão destacada no terceiro verso do poema:

11) Posicione-se com relação ao verso em destaque na segunda estrofe, explicando bem:

12) Copie do texto uma passagem em que o autor expressa a sua visão com relação à Justiça, concordando ou discordando dele: 

13) Podemos afirmar que no trecho destacado na sexta estrofe há uma ironia? Explique seu raciocínio: 

14) O que significa a expressão "vai pro saco", presente na sexta estrofe? Você costuma usá-la?

15) O autor afirma na música que "você é dominado". Você concorda ou não com isso? Justifique sua resposta: 

16) Dê a sua opinião sobre o trecho grifado na sexta estrofe, explicando seu raciocínio:

17) Que mensagem a música lhe transmitiu? Comente:

(Participação especial das amigas  Maria Aparecida e Maria Ruth)

quarta-feira, 27 de julho de 2016

Atividade sobre "Manifesto pela ocupação amorosa dos corações vazios", de André J. Gomes



Manifesto pela ocupação amorosa dos corações vazios

E de agora em diante, fica estabelecido que todos os corações vazios, mal amados, partidos, abandonados ou tão somente subutilizados serão pacífica e amorosamente invadidos e ocupados pelo amor em todas as suas formas.
Sem paus e pedras e enxadas, mas com flores e música e presentes e simples declarações de apreço e cuidado, o amor tomará posse irrevogável de todo e qualquer coração devoluto. Banqueiros e bancários, construtores e operários, empresários, professores, artistas de rua, profissionais de toda sorte, adultos e crianças e velhinhos, todas as almas solitárias deste mundo! Preparem-se para ceder sem luta à chegada implacável do amor às terras férteis de seus corações.
Abram seus portões, escancarem as portas, liberem as janelas, prendam os cachorros e preparem a casa à visita permanente do amor operário, trabalhador, corajoso e simples. Ele vai chegar sem slogans ou passeatas, sem discursos, gritos de guerra ou enfrentamentos com a polícia. Vai surgir na hora mais silenciosa da noite, deitar ao seu lado e acordar com você na hora de ir ao trabalho, como se ali estivesse desde sempre.
O amor vai chegar assim, de manso, mas com o passo forte e a potência de um jato varrendo a craca dos rancores, a sujeira grossa dos maus pensamentos, a gordura acumulada das chateações diárias, da burrice, da inveja, da grosseria. Virá com a força mesma da vida, desobstruindo os canais da memória entupidos de morte. Virá alegre como o cão que reencontra o dono depois da eternidade de um dia inteiro sozinho em casa, à espera.
E então as preocupações ordinárias e mesquinhas farão as malas e deixarão os corações livres para viver em absoluto estado de ocupação plena pelas intenções e ações de um amor generoso, diário e vital.
Esse amor que acorda cedo e faz ginástica, que parece tão mais jovem do que de fato é, esse amor vai pintar as paredes da casa, mudar a posição dos móveis, vai matar a sede e a fome que restam, soltar os passarinhos de suas gaiolas ridículas, vai cuidar da horta no quintal e presentear os vizinhos com as verduras frescas. Esse amor vai florescer e perdurar e se esparramar pelas redondezas. Vai levar ao passeio diário os cachorros que vivem dentro de cada um de nós. Esse amor vai invadir em paz a nossa vida tão talhada para a guerra.
E quando as forças armadas de um coração já machucado se levantarem em defesa natural de sua estrutura, em puro e simples movimento de autopreservação, o amor estenderá sua mão pequena e linda, de unhas roídas e sem nenhum esmalte, e todas as armas cairão em silêncio. Então esse coração abrirá suas fronteiras à chegada irrefreável do encantamento amoroso e total, explosão de energia que nos leva ao encontro de quem somos, nos resgata da morte e nos devolve, sãos e salvos, à vida que é hoje, amanhã e depois um longo e eterno agora.
(André J. Gomes)


01) O trecho "Sem paus e pedras e enxadas, mas com flores e música e presentes e simples declarações de apreço e cuidado, o amor tomará posse irrevogável de todo e qualquer coração devoluto" faz referência a qual movimento social? Explique a relação:

02) Encontre trechos em que o autor usou verbos na forma imperativa e justifique essa utilização:

03) Qual a intenção desse suposto documento? Para quem ele é destinado?

04) Transcreva do texto uma passagem em que o amor aparece personificado (prosopopeia), explicando seu raciocínio:

05) No primeiro parágrafo, mencione os sinônimos que o autor utilizou para "coração vazio", explicando o porquê desse recurso:

06) No segundo parágrafo, observe a presença da figura chamada polissíndeto. Transcreva uma ou mais passagens em que isso ocorre, explicando o seu valor semântico: 

07) Que valor semântico possui o conectivo em destaque no segundo parágrafo? Justifique sua resposta:

08) Explique a importância da citação de tantas pessoas no segundo parágrafo, em vez de apenas dizer um "todo mundo" ou similares: 

09) Transcreva uma comparação presente no quarto parágrafo, opinando sobre ela: 

10) Concorde ou discorde da afirmação destacada no texto, no sexto parágrafo, explicando suas razões: 

11) Releia o último parágrafo do texto e explique o que significa a passagem em destaque: 

12) Copie do texto uma antítese, explicando seu raciocínio: 

13) Que mensagem o texto lhe transmitiu? Comente: 

(Participação especial das amigas artemanhosas Zizi Cassemiro e Maria José!)