Mostrando postagens com marcador Linguagem literária e não literária. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Linguagem literária e não literária. Mostrar todas as postagens

quarta-feira, 13 de maio de 2020

Atividade sobre o texto "Desistência, de Maria Dinorah, e uma notícia

Texto 01: Desistência 

O menino Tonho
mexendo no lixo
achou um sonho
e pôs-se a sonhar.

Com queijo de nuvens,
bolachas de estrela,
pastéis de luar.

O sonho era duro
e estava mofado.
E ele desistiu
de sonhar acordado.

(Maria Dinorah)

Texto 02: Pessoas e urubus disputam restos 

Em Belford Roxo, onde deveria existir a rodovia estadual RJ-040, urubus e gente disputam os detritos espalhados por um trator, sobre as margens de um riacho e de um mangue à beira da estrada. O mau cheiro é uma constante e a miséria é compreendida no pedido de Sebastião Mangueira, o Tião, que sobrevive dos restos produzidos, aos borbotões, pela sociedade de consumo. "Queria provar um pedaço de panetone. Nesta época do ano vejo um monte dessas caixas, mas nenhuma delas traz um pedacinho que seja. Deve ser muito bom", sonha o trabalhador, de 63 anos. 

(Jornal do Brasil)

01) O que os dois textos têm em comum?

02) No que eles diferem com relação à forma? Explique:

03) A que gênero textual eles pertencem, respectivamente?

04) Qual dele faz uso da linguagem chamada literária? Por quê? 

05) Qual a intenção de cada texto? 

06) Qual dos dois textos você considera mais objetivo? Justifique sua resposta:

07) Qual dos dois textos mexeu mais com a sua emoção? Por quê? 

08) A palavra destacada no texto 01 encontra-se no sentido denotativo ou conotativo? Explique seu raciocínio:

09) Justifique as aspas utilizadas no texto 02: 

10) Por que o Tião acha que panetone é gostoso? Você acha que ele tem ou não razão? 

terça-feira, 4 de dezembro de 2018

Atividade sobre intertextualidade - "Maçã", de Manuel Bandeira


Texto 01: Maçã

Por um lado te vejo como um seio murcho
Pelo outro como um ventre de cujo umbigo pende ainda
o cordão placentário

És vermelha como o amor divino.

Dentro de ti em pequenas pevides
Palpita a vida prodigiosa
Infinitamente

E quedas tão simples
Ao lado de um talher
Num quarto pobre de hotel.

(Manuel Bandeira)

Texto 02: Curiosidades sobre a maçã

- 25% do volume de uma maçã é ar. Por isso, ela faz um barulho crocante quando a mordemos -- são os "colchões de ar" que se rompem. 
- Uma maçã tem 12 substâncias que prvinem e combatem o câncer. Todas estão na casca. 
- Além de batizar os computadores mais famosos do mundo, a maçã Macintosh é uma das variedades mais comuns nos lanches escolares dos EUA. 
- A produção anual da China equivale a 39 anos de consumo de maçã no Brasil. 
- Nenhuma vez a maçã é citada na Bíblia como o fruto proibido. Aliás, a expressão "fruto proibido" também não está no Gênesis. 
- Não mastigue as sementes. No seu estômago, elas liberam cianeto. Ninguém sabe exatamente quantas sementes são necessárias para prejudicar sua saúde. 

01) Os textos lidos têm em comum a temática: a maçã. No primeiro, Manuel Bandeira reflete sobre o fruto. A respeito do texto 01, responda:

a) Onde o eu lírico encontrava-se quando escreveu o seu texto?

b) O autor fala sobre a maçã sobre uma perspectiva conotativa. Ele vê o fruto partido e observa duas imagens. Quais são elas? 

c) O texto é literário ou não literário? Justifique: 

02) O texto 02 foi retirado de um site de uma empresa que comercializa frutas. A respeito dele, responda: 

a) Qual o objetivo de um produtor de maçãs ao escrever um texto de curiosidades sobre a fruta?

b) O texto é literário ou não literário? Por quê? 

(Contribuição da querida amiga Lívia Pimenta

sábado, 9 de julho de 2016

Atividade sobre Linguagem literária e não-literária - D. Maria e Notícia de jornal

Texto 01:  Dois tiros e D. Maria quase perde a vida

Maria não queria viver sozinha no barraco acanhado.
Abandonada pelo companheiro, dois filhos para criar, a faxineira desempregada conseguiu um revólver e partiu para a tentativa de suicídio.
A história, segundo a polícia, é que o companheiro de Maria, homem branco, motorista, já era casado. E Maria, mulher negra, no momento sem emprego, vivia amasiada há cinco anos. No último fim de semana, o casal se desentendeu e o homem resolveu voltar para a esposa legítima. Maria não tolerou o abandono. Agora, está hospitalizada, em estado grave. Os filhos estão com parentes.

(Jornal da Cidade)

Texto 02: Notícia de jornal

Tentou contra a existência 
num humilde barracão
Joana de Tal
por causa de um tal João.
Depois de medicada
retirou-se pro seu lar,
e aí a notícia
carece de exatidão.
O lar não mais existe,
ninguém volta ao que acabou.
Joana é mais uma mulata triste
que errou.
-- Errou na dose, errou no amor,
Joana errou de João.
Ninguém notou, ninguém morou
na dor que era o seu mal:
-- A dor da gente não sai no jornal.

(Luís Reis e Haroldo Barbosa)


01) O que dois textos têm em comum? E o que eles têm de diferente? Comente: 

02) Classifique-os em texto literário e não literário, justificando: 

03) De que texto você gostou mais? Por quê? 

04) Qual dos dois textos é mais expressivo? Justifique sua resposta:

05) O que significa o verso "Tentou contra a existência"? Como essa ação sairia numa manchete de jornal? 

06) Qual teria sido o motivo para Joana tentar se matar? 

07) Qual é a palavra que indica a condição social humilde de Joana e de João?

08) Explique os dois possíveis sentidos para o verbo MORAR e indique em qual sentido foi empregado, exemplificando com alguma passagem do texto:

09) Por que a notícia "carece de exatidão", ao afirmar que Joana se retirou para o seu lar?

10) Você concorda com a afirmação final do texto, em negrito? Comente: 

Atividade sobre o textos "Mulher assassinada" e "Pequena crônica policial"



Texto 01: Mulher assassinada

Policiais que faziam a ronda no centro da cidade encontraram, na madrugada de ontem, perto da Praça da Sé, o corpo de uma mulher aparentando 30 anos de idade. Segundo depoimentos de pessoas que trabalham nos bares próximos, trata-se de uma prostituta conhecida por Nenê. Ela foi assassinada a golpes de faca. A polícia descarta a hipótese de assalto, pois sua bolsa, com a carteira de dinheiro, foi encontrada junto ao corpo. O caso está sendo investigado pelo delegado do segundo Distrito Policial.
(Jornal da Cidade)

Texto 02: Pequena crônica policial

Jazia no chão, sem vida,
E estava toda pintada!
Nem a morte lhe emprestara
A sua grave beleza...
Com fria curiosidade,
Vinha gente a espiar-lhe a cara,
As fundas marcas da idade,
Das canseiras, da bebida...
Triste da mulher perdida
Que um marinheiro esfaqueara!
Vieram uns homens de branco,
Foi levada ao necrotério,
E quando abriam, na mesa,
O seu corpo sem mistério,
Que linda e alegre menina
Entrou correndo no céu?!
Lá continuou como era
Antes que o mundo lhe desse
A sua maldita sina:
Sem nada saber da vida,
De vícios ou de perigos,
Sem nada saber de nada...
Com a sua trança comprida,
Os seus sonhos de menina,
Os seus sapatos antigos!

(Mário Quintana)

01) Essa notícia de jornal, do texto 01, informa-nos sobre um crime. Que detalhes ou informações presentes no texto permitem-nos comprovar que esse episódio realmente aconteceu? O que poderíamos fazer para verificar se essa notícia é verídica ou não?

02) O autor do texto 01 revela algum envolvimento emocional com os fatos narrados?

03) O texto 02 trata do mesmo assunto do anterior: o assassinato de uma prostituta. É possível destacar detalhes ou informações que nos permitem comprovar que esse episódio ocorreu de fato? Por quê?

04) O autor revela algum envolvimento emocional com os fatos narrados? Justifique sua resposta com elementos do texto:

05) Em que momento o autor ultrapassa totalmente os limites da realidade?

06) Que sentido simbólico tem esse momento? Na sua opinião, o que o autor quis expressar nesse trecho? Comente:

07) Classifique o texto em literário e não literário, justificando sua resposta: 

08) De que texto você gostou mais? Por quê? 

sexta-feira, 8 de julho de 2016

Atividade sobre Linguagem literária e não literária nas RECEITAS!

TEXTO 01:  BOLO DE  ANIVERSÁRIO



 Ingredientes:  
                            ½ xícara (chá) de açúcar
                            ½ xícara (chá) de manteiga
                            2 ovos
                            1 ½ xícara (chá) de farinha de trigo
                            1 colher (sopa) de fermento em pó
                            1 pitada de sal
                            ¾ xícara (chá) de leite
                            1 colher (chá) de essência de baunilha

Modo de preparar:  

Bata a manteiga e o açúcar durante 15 minutos. Junte os ovos (um a um), a farinha, o sal e o fermento peneirados juntos. Reserve. À parte, misture o leite com a baunilha e acrescente à massa reservada. Bata bem. Ponha a massa em fôrma untada. Leve ao forno brando durante uma hora. Desenforme. Sirva com recheio e enfeite a gosto.

(Sônia Maria)

TEXTO 02: POEMA CULINÁRIO

No croquete de galinha,
A cebola batidinha
Com duas folhas de louro
Vale mais do que um tesouro.
Também dois dentes de alho
Nunca serão espantalho.
(Ao contrário). E três tomates,
em vez de causar dislates
sem peles e sem sementes,
são ajudas pertinentes
ao lado do sal, da salsa,
(A receita nunca é falsa)
Todos bóiam na manteiga
De natural doce e meiga.
E pra maior deleite,
Um copo e meio de leite.
Ah, me esqueci: três ovos
Bem graúdos e bem novos
Junto à farinha de rosca
(Espante-se logo a mosca)
mais a pitada de óleo,
sem se manchar o linóleo,
e mais farinha de trigo...
Ai, meu Deus! Deixa comigo.

(Carlos Drummond de Andrade)

 TEXTO 03: RECEITA


Ingredientes:      

                           2 conflitos de gerações
                           4 esperanças perdidas
                           3 litros de sangue fervido
                           5 sonhos eróticos
                           2 canções dos Beatles

Modo de preparar:  

Dissolva os sonhos eróticos em dois litros de sangue fervido e deixe gerar em seu coração. Leve a mistura ao fogo, adicionando dois conflitos de gerações às esperanças perdidas.  Corte tudo em pedacinhos e repita com as canções dos Beatles o mesmo processo usado com os sonhos eróticos (com o litro de sangue que restou), mas desta vez deixe ferver um pouco mais. Mexa até dissolver. Parte do sangue pode ser substituído por suco de groselha, mas os resultados não serão os mesmos! Sirva o poema simples ou com ilusões!

(Nicolas Behr)


01) Aponte as semelhanças e as diferenças entre os três textos, explicando bem: 

02) Qual texto se trata, de fato, de uma receita? 

03) Classifique os textos em literários e não literários, justificando sua resposta:

04) De que texto você gostou mais? Por quê? 

05) Escolha a forma de algum texto para você tentar produzir um semelhante: 

quarta-feira, 1 de junho de 2016

Texto literário e não literário - "O bicho", de Manuel Bandeira, e outros

Texto 01: Descuidar do lixo é sujeira

Diariamente, duas horas antes da chegada do caminhão da prefeitura, a gerência de uma das filiais do MC Donald´s deposita na calçada dezenas de sacos plásticos recheados de papelão, isopor, restos de sanduíches. Isso acaba propiciando um lamentável banquete de mendigos. Dezenas deles vão ali revirar o material e acabam deixando os restos espalhados pelo calçadão. 

(Veja São Paulo)

01) A que gênero pertence o texto acima? Justifique sua resposta:

02) Trata-se de um texto literário ou não literário? Por quê? 

03) Copie do texto um fato e uma opinião: 

04) Justifique o título dado ao texto, explicando a possível ambiguidade: 

05) Em que palavra presente no título reside a possibilidade de uma dupla interpretação? 

06) Localize no texto:

a) três numerais:
b) um advérbio de lugar:
c) um advérbio de tempo:
d) três substantivos comuns:
e) um substantivo próprio:
f) dois adjetivos: 

Texto 02: O Bicho

Vi ontem um bicho
Na imundície do pátio
Catando comida entre os detritos.

Quando achava alguma coisa,
Não examinava nem cheirava:
Engolia com voracidade.

O bicho não era um cão
Não era um gato
Não era um rato.

O bicho, meu Deus, era um homem

(Manuel Bandeira) 

07) A que gênero pertence o texto acima? Justifique sua resposta: 

08) Quantas estrofes e quantos versos compõem o texto:

09) Trata-se de um texto literário ou não literário? Explique:

10) Qual o verso mais expressivo do texto? Por quê? 

11) Que sensação o texto transmitiu? Justifique sua resposta: 

12) De que maneira os dois textos dialogam entre si? Comente: 

13) O título contribui para o clima de suspense e depois de surpresa? Por quê? 

14) Que outro título você daria ao texto lido? 

15) Diga a que classe gramatical pertence cada uma das palavras sublinhadas no texto: 

16) Escolha um dos dois textos para ilustrar, de forma mais expressiva possível: 

17) Justifique o uso dos dois pontos e do ponto de exclamação: 

18) Diferencie, com suas palavras, o que é um texto literário e um não literário: 


19) Associe, de alguma forma, a imagem acima aos dois textos analisados: 

20) Produza um pequeno poema para acompanhar tal imagem: 

21) Utilize cinco adjetivos para caracterizar o menino: 


22) Compare a imagem acima com a anterior, dizendo qual achou mais expressiva e o porquê: 

23) Utilize tal imagem para acompanhar uma notícia de jornal que você vai produzir: 


24) Que crítica social a charge acima faz? Justifique sua resposta: 

25) Podemos afirmar que há uma incoerência em tal charge? Por quê? 

26) Crie uma proposta de intervenção para ajudar a combater essa problemática: 

27) Leia a tirinha abaixo, que presta uma linda homenagem ao poema de Bandeira, dizendo o que você achou dela: 

domingo, 11 de setembro de 2011

Exercícios sobre figuras de linguagem e linguagem literária

Serão de Junho

Ouve: -- alguém bateu na porta...
Janelas brilham no escuro.
Cada casa é uma estrelinha.
Cada estrela é uma família.

E o minuano, pobre diabo,
que não quer ficar no escuro,
bate, bate, empurra a porta,
praguejando como um doido:
-- Pelo amor de Deus, eu quero
a esmola rubra do fogo!

Mas ninguém abre ao minuano.
Que noite fria lá fora...
Cada casa é uma estrelinha.
Há mais estrelas na terra
do que no céu, Deus do céu!
Lá fora que noite fria...

E o minuano, pobre diabo,
andando sempre, andarengo,
para enganar a miséria,
geme e dança pela rua
enquanto assovia - chora,
e enquanto chora - assovia.

(Augusto Meyer)

01) Podemos perceber três vozes diferentes nesse poema. Indique quais são elas. Justifique:

02) Por causa dessas vozes, de onde "vemos" a cena? Justifique:

03) Que características o minuano apresenta no poema?

04) Como é sugerida a força do vento?

05) Transcreva a comparação que aparece no poema e justifique o paralelo entre os elementos comparados:

06) Identifique no poema:

             a) uma sequência de metáforas:

             b) um pensamento hiperbólico, exagerado:

             c) uma sequência de ações ou atitudes opostas, antitéticas:

07) Você acha que o minuano foi personificado? Justifique sua resposta:

08) O que você achou o poema? Que outro título daria a ele?

terça-feira, 19 de julho de 2011

Atividade sobre o texto "Poema retirado de uma notícia de jornal", do Manuel Bandeira

Poema retirado de uma notícia de jornal

João Gostoso era carregador de feira livre e morava no morro da Babilônia num barracão sem número
Uma noite ele chegou no bar Vinte de Novembro
Bebeu
Cantou
Dançou
Depois se atirou na lagoa Rodrigo de Freitas e morreu afogado.

(Manuel Bandeira)

01) De maneira bem criativa ilustre o poema acima:

02) Transforme o poema na possível notícia de jornal que o gerou:

03) Reescreva o poema, alterando apenas o seu final, tentando transformá-lo em algo mais feliz:

04) Por que razão o autor teria transformado a notícia de jornal em um poema? Explique a importância de se mencionar esse detalhe no próprio título:

05) "O poema retrata a vida de um cidadão comum que de tanto sofrer nesse sistema, que separa as pessoas pela desigualdade, um dia se entrega por ter perdido a fé." Você concorda com essa afirmação? Argumente:

06) Por que razão poderiam ter escolhido esse nome para a personagem? Comente:

07) Quais ações foram realizadas por João Gostoso no poema?

08) Localize e identifique:

a- Personagem
b- Características e profissão do personagem
c- Narrador
d- Tempo
e- Espaço
f- Enredo

09) Cite dois dados sobre o personagem que provam que ele era um ser ignorado pelas pessoas:

10) Crie um novo título para a poesia:

11) Como pareceu ser um suicídio, escreva um bilhete que a personagem pode ter escrito, se despedindo:

12) Escolha uma notícia qualquer de jornal e faça em cima dela um poema: