Mostrando postagens com marcador Gramatiquices. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Gramatiquices. Mostrar todas as postagens

sábado, 12 de outubro de 2019

Atividade sobre a crônica "Palavras", de Adriana Falcão

Palavras

As gramáticas classificam as palavras em substativo, adjetivo, verbo, advérbio, conjunção, pronome, numeral, artigo e preposição. Os poetas classificam as palavras pela alma, porque gostam de brincar com elas, e pra brincar com elas é preciso ter intimidade primeiro. É a alma da palavra que define, explica, ofende ou elogia, que se coloca entre o significante e o significado para dizer o que quer, pra dar sentimento às coisas, pra fazer sentido. Nada mais fúnebre do que a palavra fúnebre. Nada é mais concreto do que as letras c, o, n, c, r, e, t, o, dispostas nessa ordem e ditas dessa forma, assim, concreto, e já disse tudo, pois as palavras agem, sentem e falam por elas próprias. A palavra nuvem chove. A palavra triste chora. A palavra sono dorme. A palavra tempo passa. A palavra fogo queima. A palavra faca corta. A palavra carro corre. A palavra diz. O que quer. E nunca diz depois. 
As palavras têm corpo e alma, mas são diferentes das pessoas em vários pontos. As palavras dizem o que querem, está dito, e pronto. As palavras são sinceras, as segundas intenções são sempre das pessoas. A palavra juro não mente. A palavra mando não rouba. A palavra cor não destoa. A palavra sou não vira casaca. A palavra liberdade nunca prende. A palavra amor não se acaba. A palavra ideia muda. Palavras nunca mudam de ideia. 
Palavras sempre sabem o que querem. Quero não será desisto. Sim, nunca, jamais, será não. Árvore não será madeira. Lagarta não será borboleta. Felicidade não será traição. Tesão nunca será amizade. Sexta-feira não vira sábado nem depois da meia-noite. Noite nunca será manhã. Um não será dois em tempo algum. Dois não será solidão. Dor não será constantemente. Semente nunca será flor. as palavras também têm raízes, mas não se parecem com plantas, a não ser algumas delas, verde, caule, folha, gota. 
As células das palavras são as letras. Algumas são mais importantes do que outras. As consoantes são um tanto insolentes. Roubam as vogais pra construírem sílabas e obrigam a língua a dançar dentro da boca. A boca abre ou fecha quando a vogal manda. As palavras fechadas nem sempre são mais tímidas. A palavra sem-vergonha está aí de prova. Prova é uma palavra difícil. Porta é uma palavra que fecha. Janela é uma palavra que abre. Entreaberto é uma palavra que vaza. Vigésimo é uma palavra bem alta. Carinho é uma palavra que falta. Miséria é uma palavra que sobra. A palavra óculos é séria. Cambalhota é uma palavra engraçada. A palavra lágrima é triste. A palavra catástrofe é trágica. A palavra súbito é rápida. Demoradamente é uma palavra lenta. Espelho é uma palavra prata. Ótimo é uma palavra ótima. Queijo é uma palavra rato. Rato é uma palavra rua. 
Existem palavras frias como mármore. Existem palavras quentes como sangue. Existem palavras mangue, caranguejo. Existem palavras lusas, Alentejo. Existem palavras itálicas, ciao. Existem palavras grandes, anticonstitucional. Existem palavras pequenas, microscópio, minúsculo, molécula, partícula, quinhão, grão, covardia. Existem palavras dia, feijoada, praia, boné, guarda-sol. Existem palavras bonitas, madrugada. Existem palavras complicadas, enigma, trigonometria, adolescente, casal. Existem palavras mágicas, shazam, abacadabra, pirlipimpim, sim e não. Existem palavras que dispensam imagens, nunca, vazio, nada, escuridão. Existem palavras sozinhas, eu, um, apenas, sertão. Existem palavras plurais, mais, muito, coletivo, milhão. Existem palavras que são palavrão. Existem palavras pesadas, chumbo, elefante, tonelada. Existem palavras doces, goiabada, marshmallow, quindim, bombom. Existem palavras que andam, automóvel. Existem palavras imóveis, montanha. Existem palavras cariocas, Corcovado. Existem palavras completas, elas todas. 
Toda palavra tem a cara do seu significado. A palavra pela palavra tirando seu signficado fica estranha. Palavra, palavra, palavra, palavra, palavra, palavra, palavra, palavra, palavra, palavra, palavra, palavra, palavra, palavra, palavra, palavra, palavra, palavra não diz nada, é só letra e som. 

(Adriana Falcão)

01) Justifique o título da crônica em questão:

02) Ao citar as classes gramaticais, a autora se esquece de uma delas. De qual se trata? 

03) Segundo o texto, existem dois modos de se analisar as palavras. Quais são eles? Qual a diferença entre ambos? Com qual você mais se identifica? 

04) O significado dado às palavras pela autora é o mesmo utilizado pelos dicionários? Por quê? 

05) Você concorda com a autora quando diz que "as palavras agem, sentem e falam por elas próprias"? Justifique sua resposta:

06) Copie do texto três antíteses, explicando seu raciocínio: 

07) Por que, aparentemente, a palavra COVARDIA "quebra" a sequência de palavras pequenas? Por que a autora a teria usado? Qual a lógica aplicada? 

08) Posicione-se sobre a passagem "As palavras são sinceras, as segundas intenções são sempre das pessoas", que se encontra em negrito no texto:

09) Qual a lógica utilizada pela autora na citação das palavras mágicas? Você acrescentaria alguma outra? Se sim, qual? 

10) Por que a autora repetiu tantas vezes a palavra PALAVRA, em um dado momento do texto? 

11) Dê a sua opinião sobre as três passagens destacadas no último parágrafo do texto, explicando bem seu ponto de vista: 

12) Que mensagem o texto transmite? Comente:

P.S.: Recomendo fazer um trabalho legal de INTERTEXTUALIDADE com a música da Vanessa da Mata, chamada "As Palavras", que já trabalhei AQUI no blog. 

terça-feira, 8 de outubro de 2019

Atividade sobre a música "Conjunção", da Banda Sujeito Simples


Conjunção

Conjunção é a classe invariável que estabelece relação entre duas orações
ou palavras da mesma oração. 

As conjunções podem ser classificadas em:
Coordenativas ou Subordinativas.
As principais conjunções coordenativas são:
Aditivas: "Camila é professora E atriz".
Adversativas: "Fui ao cinema, MAS não vi o filme".
Alternativas: "OU estudo para a prova OU reprovo".
Explicativas: "Continue estudando, POIS você vai passar".
Conclusivas: "Gosto de ler, PORTANTO comprei vários livros".

As principais conjunções subordinativas são:
Integrantes: "Espero QUE você volte para casa". 
"Não sei SE você voltará para mim". 
Causais: "Os gatos fogem PORQUE os cães são mais fortes".
Concessivas: "Retirou-se, EMBORA o tenha feito contra sua vontade".
Comparativas: "Aqui é melhor QUE ali".
Condicionais: "CASO chova, vamos cancelar a viagem".
Conformativas: "SEGUNDO ela falou, tudo correu bem".
Consecutivas: "Comeu tanto QUE passou mal".
Finais: "Planejamos tudo para QUE não houvesse erro".
Proporcionais: "QUANTO mais estudares, mais inteligente ficarás".
Temporais: "Venha me visitar, agora QUE estou sozinho".

(Banda Sujeito Simples)

01) Dê um outro título à música acima:

02) Para que servem as conjunções? Como elas são classificadas?

03) Quantos tipos de coordenativas existem? E quais são eles?

04) Como identificar cada uma delas, através das ideias que transmitem?

05) Além dos exemplos dados na música, cite mais duas conjunções de cada tipo:

06) Como se dividem as conjunções subordinativas? Quantas são?

07) Pesquise mais dois exemplos para cada uma das subordinativas:

08) Utilize TODAS as conjunções contempladas na música para a construção de novas frases:

09) Recorte de jornais e revistas frases que contenham mais alguns exemplos, classificando-as, de forma bem organizada: 

10) Elabore UM parágrafo dissertativo-argumentativo sobre o valor das conjunções na construção das frases: 

segunda-feira, 7 de outubro de 2019

Atividade sobre a música "Numeral", da Banda Sujeito Simples


Numeral

Numeral é a palavra variável, que dá ideia de quantidade, 
número de ordem, múltiplo ou fração.

O numeral pode ser:
Cardinal: expressa a quantidade exata de seres.
Exemplo: um, dois, três, quatro, cinco, seis...
Ordinal: expressa ideia de ordem: primeiro, segundo, terceiro...
Multiplicativo: expressa ideia de multiplicação:
Dobro, triplo, quádruplo...
Fracionário: expressa a diminuição proporcional de quantidade.
Exemplo: meio, terço, quarto, quinto...

O número varia em gênero e em número.
O gênero masculino: um, dois, ambos...
O gênero feminino: uma, duas, ambas...
Número singular: Primeiro, segundo, terceiro...
Número plural: Décimos, vigésimos...

Veja alguns exemplos de numerais coletivos:
Grosa (doze dúzias)
Resma (quinhentas folhas)
Lustro (cinco anos)
Semana (sete dias)

A palavra SIMPLES pode ser numeral!
Exemplo: Ela tomou uma dose simples
Ele tomou uma dose dupla

As palavras AMBOS e AMBAS são consideradas numerais!
Vejam estes exemplos:
"No âmbito ecológico, ambos se saíram bem".
"Ambas as alunas passaram de ano". 


01) Quais são os quatro tipos de numeral? 

02) Defina cada um desses numerais: 

03) Qual deles você acha mais fácil de se identificar? Por quê? 

04) Crie uma frase diferente para cada tipo de numeral, aproveitando os exemplos fornecidos pela música: 

05) Por que podemos afirmar que tal classe gramatical é variável? 

06) O que seria numeral coletivo? Elabore uma frase para cada exemplo citado na música:

07) Você concorda que a palavra SIMPLES, naquele contexto, se trata de um numeral? Justifique sua resposta: 

08) Substitua as palavras AMBOS e AMBAS por outro numeral, sem perder o sentido das frases: 

09) Crie um parágrafo dissertativo-argumentativo sobre a importância dos numerais em nossa vida, em nossa rotina: 

10) Que outro título você daria a essa música? 

domingo, 22 de setembro de 2019

Atividade sobre o texto "As gravatas de Mário Quintana", de Mário Perini

As gravatas de Mário Quintana
(não basta saber uma língua para entendê-la)

Como é que uma pessoa se comunica com a outra? Como fazemos para transmitir ideias? 
A resposta parece bastante óbvia: transmitimos ideias usando a língua. Assim, se vou passando na rua e vejo um avestruz (digamos seja uma rua muito peculiar, onde o tráfego de avestruzes é intenso), digo ao meu amigo: Olha, lá vai um avestruz. Com isso, transmito determinada informação ao meu amigo: em outras palavras, passo para a mente de outra pessoa uma ideia que estava originalmente em minha mente. 
Para isso, evidentemente, é preciso que as duas pessoas em questão conheçam a mesma língua, que ambas chamem aquele animal desajeitado de avestruz; que ambas saibam utilizar os verbos olhar e ir, e  assim por diante. Uma vez isso arranjado, as duas pessoas se entenderão. Para que as pessoas se entendam, é necessário -- e suficiente -- que falem a mesma língua. 
É isso mesmo? Veremos que não. Na verdade, para que se dê a compreensão, mesmo em nível bastante elementar, é necessário que as pessoas tenham muito mais em comum que simplesmente uma língua. Precisam ter em comum um grande número de informações, precisam pertencer a meios culturais semelhantes, precisam ter, até certo ponto, crenças comuns. Sem isso, a língua simplesmente deixa de funcionar enquanto instrumento de comunicação. Na verdade, a comunicação linguística é um processo bastante precário: depende de tantos fatores que falham com muita frequência, para desânimo de muitos que ficam gemendo Por que é que ele não me entendeu? 
O problema é que o que a língua exprime é apenas uma parte do que se quer transmitir. Geralmente, se pensa no processo de comunicação como uma rua de mão única: a informação passa do falante para o ouvinte (ou do autor para o leitor). Se fosse assim, a estrutura linguística teria de ser suficiente para veicular a mensagem, porque, afinal de contas, a única coisa que o emissor realmente produz é um conjunto de sons (ou de riscos no papel), organizados de acordo com as regras da língua. Mesmo isso, como vimos, depende de alguma coisa por parte do receptor, a saber, o conhecimento das palavras e das regras  da língua; mas poderia ser só isso, e as coisas seriam muito mais simples -- e, também, talvez os seres humanos se entendessem melhor. (...)
O significado de uma frase não é simples função de seus elementos constitutivos, mas depende ainda da informação extralinguística. Ou ainda (e aqui me oponho às crenças de boa parte de meus colegas linguistas), uma frase fora de contexto não tem, a rigor, significado.
Vamos ver o exemplo: seja o sintagma as gravatas de Mário Quintana. Que significa isso? E, em especial, que tipo de relação exprime a preposição de? Evidentemente, de exprime "posse", e o sintagma equivale a as gravatas pertencem a Mário Quintana. Pode parecer, então, que computamos o significado  do sintagma simplesmente juntando o significado das palavras: as gravatas + de + Mário Quintana
Mas ainda aqui isso é só a primeira impressão. Digamos que o sintagma fosse as gravatas de Pierre Cardin, agora, para alguém que sabe quem é Pierre Cardin, a relação expressa pela preposição de já não precisa ser de posse. Na verdade, é mais provável que se entenda como "autoria", isto é, as gravatas criadas por Pierre Cardin
Ora, a preposição é a mesma nos dois casos. De onde vem essa diferença de significados? Simplesmente do que sabemos sobre Mário Quintana (um poeta) e sobre Pierre Cardin (um estilista de moda). Se dissermos os poemas de Mário Quintana, a preposição já não exprimirá posse, mas autoria -- porque, já que Mário Quintana é um poeta, é plausível que se fale dos poemas de sua autoria: além do mais, em geral, não se pensa em poemas como tendo possuidor. 
Se a situação é essa, não faz sentido perguntar se o significado da preposição de é de posse na autoria. Será posse ou autoria segundo o que soubermos dos diversos objetos ou pessoas mencionados: se se trata de um objeto possuível, como uma gravata, ou não possível, como um poema; e se se trata de um poeta ou de um costureiro. 
(Mário Perini)

01) Justifique o título do texto: 

02) Justifique o subtítulo nele também empregado: 

03) Qual o objetivo do autor com tal texto? 

04) Explique o uso dos parênteses no primeiro parágrafo: 

05) Explique também qual a função do itálico em algumas passagens do texto: 

06) Posicione-se sobre o trecho que se encontra em negrito no texto, argumentando bem: 

07) Por que o autor utilizou como exemplo a questão da preposição DE? Você achou viável? 

08) Segundo o texto, qual a diferença entre "gravatas" e "poemas"? Você concorda com essa justificativa dele?  Justifique sua resposta: 

09) O que é essencial então para conseguir se comunicar: saber gramática, saber interpretar ou ter muitas informações e o chamado "conhecimento de mundo"? Explique seu raciocínio: 

10) O que você aprendeu com a leitura desse texto? Comente: 

quinta-feira, 5 de setembro de 2019

Atividade sobre Anúncio da "Casa Cláudia" - "Viver e sonhar"


01) Por que podemos afirmar que se trata de um anúncio?

02) O que está sendo anunciado?

03) Podemos afirmar que "viver" e "sonhar" formam uma antítese? Justifique sua resposta:

04) Tais termos estão ligados por duas conjunções. Quais são elas? Classifique-as:

05) Que ideia o ponto de interrogação acrescenta à primeira frase?

06) A segunda frase responde à questão proposta pela primeira e termina com um ponto final. O que tal ponto ali expressa?

07) Copie da capa da revista uma antítese, explicando seu raciocínio:

terça-feira, 25 de junho de 2019

Atividade com o "Dominó dos Sinônimos e Antônimos"

A fim de trabalhar a Semântica, através dos Sinônimos e Antônimos, levei essa atividade para as minhas turmas. Em cada ponta de uma peça de dominó haverá uma palavra sinônima ou antônima da próxima peça que deverá ser encontrada e encaixada. As vinte e oito peças devem ser misturadas em uma superfície e depois divididas em sete ou quatorze peças aos participantes, por isso é necessário que se jogue em duplas ou quartetos, em até 20 minutos. 

Cada aluno deverá encaixar os sinônimos ou os antônimos de acordo com a peça que estiver em jogo. Quem não possuir a peça indicada deverá passar a vez até que todas as peças estejam devidamente encaixadas. Ganha o aluno que primeiro completar a última peça do dominó. Dá, ainda, para a gente frisar para os alunos o que é ANTÍTESE! 



Essa atividade ma-ra-vi-lho-sa eu retirei de um livro também muuuuuuuuuuito bom, que recomendo: "Dinâmicas e jogos para aulas de Língua Portuguesa", da Editora Vozes: 


segunda-feira, 22 de abril de 2019

RESUMÃO básico das dez classes gramaticais

Fico boba ao ver como os alunos têm taaaaaaanta dificuldade até mesmo para reconhecer as 10 classes gramaticais! Quem dirá classificar cada uma delas, na análise morfológica! Fico pensando: Será que muitos colegas não trabalham mais com isso ou é por que os alunos não se interessam e não aprendem mesmo?!? Fica aqui a indagação...

Mas também fica aqui a tentativa de compartilhar um resumão que fiz para tentar ajudar os meus alunos, mesmo sabendo que não vai ocorrer milagre! Espero que gostem e que tenha alguma serventia para algum colega que esteja aflito por estar passando pelo mesmo problema! 

RESUMÃO DAS 10 CLASSES GRAMATICAIS

01) SUBSTANTIVO: é a palavra que indica o nome dos seres (pessoas, sentimentos, plantas, animais, objetos, lugares, etc.). Classificam-se em: COMUM (nome comum) ou PRÓPRIO (nome particular); CONCRETO (tem existência própria) ou ABSTRATO (depende pra existir); PRIMITIVO  (não deriva de outra palavra) ou DERIVADO (deriva de outra palavra); SIMPLES (uma só palavra) ou COMPOSTO (mais de uma palavra). Existe também o COLETIVO (indica grupos da mesma espécie). 

02) ARTIGO: é a palavra que acompanha um substantivo para definir (DEFINIDO) ou indefinir (INDEFINIDO). 

03) ADJETIVO: é a palavra que indica características dos substantivos. Existe também o PÁTRIO (indica lugar de origem). 

04)  PRONOME: é a palavra que substitui ou acompanha um substantivo. Classificam-se em: PESSOAL (indica as três pessoas gramaticais); POSSESSIVO (indica posse); DEMONSTRATIVO (indica posição, distância); INDEFINIDO (maneira vaga, imprecisa).

05) VERBO: é a palavra que indica ação, estado ou fenômeno da natureza (aparece conjugado, ou então em uma das três formas nominais: GERÚNDIO (-NDO), INFINITIVO (-R) ou PARTICÍPIO (-ADO ou -IDO).

06) ADVÉRBIO: é a palavra que modifica o sentido de um verbo, indicando MODO, LUGAR, TEMPO, INTENSIDADE, NEGAÇÃO, AFIRMAÇÃO ou DÚVIDA.

07) NUMERAL: é a palavra que indica o número ou posição de elementos. Classificam-se em:  CARDINAL (indica contagem), ORDINAL (indica ordem), FRACIONÁRIO (indica divisão, parte de um inteiro) ou MULTIPLICATIVO (indica multiplicação). 

08) PREPOSIÇÃO: é a palavra que LIGA dois termos da oração. 

09) CONJUNÇÃO: é a palavra que LIGA dois termos ou dias orações. 

10) INTERJEIÇÃO: é a palavra que expressa emoções e sentimentos.  

quinta-feira, 18 de abril de 2019

Atividade sobre o texto "No caminho com Maiakovski", de Eduardo Alves da Costa

No caminho com Maiakovski

Na primeira noite eles se aproximam 
e roubam uma flor
do nosso jardim
e não dizem nada. 
Na segunda noite, já não se
escondem:
pisam as flores,
matam nosso cão
e não dizem nada.
Até que um dia o mais frágil deles
entra sozinho em nossa casa,
rouba-nos a luz e, 
conhecendo o nosso medo, 
arranca-nos a voz da garganta.
E já não podemos dizer nada. 

(Eduardo Alves da Costa)

01) Circule todos os verbos (e locuções verbais) do texto:

02) Divida-o em períodos e depois em orações:

03) Classifique os períodos em simples ou compostos, justificando seu raciocínio:

04) Justifique o título do poema:

05) Quem seriam "eles", que fazem tantas ações?

06) O que o texto critica em nós, em nossa sociedade?

07) Que mensagem o texto transmitiu? 

quinta-feira, 13 de setembro de 2018

Atividade sobre a música "Interjeição", da Banda Sujeito Simples


Interjeição

Interjeição é a palavra invariável que expressa estados emotivos:
Veja alguns exemplos então:
De animação: Avante! Coragem!
De saudação: Bom dia! 
De silêncio: Bico calado!
De alegria: Oba! 
De impaciência: Puxa vida! 
De desejo: Quem me dera! 
De despedida: Adeus! 
De desculpa: Perdão! 

Locução interjeitiva: é o grupo de duas ou mais palavras,
que funcionam como uma interjeição.
Veja alguns exemplos então:
Ora bolas! Pelo amor de Deus! 


01) Por que as interjeições são invariáveis? 

02) De qual interjeição citada na música você mais gostou? Por quê? 

03) Elabore uma frase com cada uma das interjeições mencionadas na canção:

04) Tente elaborar um pequeno texto utilizando o maior número possível de interjeições: 

05) Crie UM parágrafo dissertativo-argumentativo sobre a interjeição e a expressividade textual: 

terça-feira, 11 de outubro de 2016

Atividade sobre a música "Má gramática", de O Teatro Mágico


Má gramática

Todo sujeito é livre para conjugar o verbo que quiser
Todo verbo é livre para ser direto ou indireto
Nenhum predicado será prejudicado
Nem tampouco a frase, nem a crase
Nem a vírgula e ponto final
Afinal, a má gramática da vida
Nos põe entre pausas,
Entre vírgulas
E estar entre vírgulas
Pode ser aposto
E eu aposto o oposto:
Que vou cativar a todos
Sendo apenas um sujeito simples

Um sujeito e sua oração
Sua pressa e sua prece
Que enxerguemos o fato
De termos acessórios pra nossa oração
Separados ou adjuntos
Nominais ou não
Façamos parte do contexto
Sejamos todas as capas de edição especial
Mas, porém, contudo, entretanto, todavia,
Sejamos também a contracapa
Porque ser a capa e ser contracapa
É a beleza da contradição
É negar a si mesmo
E negar a si mesmo
É muitas vezes encontrar-se com Deus
Com o Teu Deus! 

Senhoras e Senhores,
Que nesse momento em que cada um se encontra aqui agora
Um possa se encontrar ao outro
E o outro no um

Até por que
Tem horas que a gente se pergunta:
Por que é que não se junta tudo numa coisa só?

(O Teatro Mágico)


01) Justifique o título empregado no texto:

02)  Que palavras no texto pertencem à morfologia, sintaxe e semântica? Separe-as em grupos: 

03) Cite três exemplos de ambiguidade, explicando quais são as possibilidades de interpretações possíveis para cada um: 

04) O que se entende com a passagem "Todo sujeito é livre para conjugar o verbo que quiser."? 

05)  Faça um levantamento das palavras homônimas do texto:

06)  Você acha mesmo que os verbos são livres para escolherem sua transitividade? Comente: 

07) Dê um exemplo de rimas internas, explicando seu raciocínio: 

08) Como o eu lírico vê as contradições? De forma pejorativa ou valiosa? Por quê? 

09) O que se quer dizer com a passagem "Com o Teu Deus!"? O que ela revela? 

10) Copie do texto um vocativo, explicando: 

11) Explique a passagem que se encontra em negrito no final do texto: 

12) Em "Por que é que não se junta tudo numa coisa só?", que resposta você daria? 

13) Que mensagem o texto transmite? 

14) Você considera a gramática má? Justifique sua resposta:

domingo, 6 de março de 2016

Exercícios sobre Sujeito

Sobre a charge acima, responda:

01) Responda à pergunta da professora observando os aspectos gramaticais:



02) Por que o aluno  acha que quem confia nos políticos é um mané? 

03) Você concorda com o menino? Justifique sua resposta: 


04) Qual é o sujeito da frase dita pela professora na charge acima? Como ele é classificado? Explique:

05) Qual é a crítica presente na  charge? Posicione-se sobre ela: 


06) Qual é o sujeito da frase dita pelo aluno? Comente: 

07) Explique a denúncia feita pela charge:

08) Transcreva um exemplo de vocativo, extraído da fala do menino:

09) Por que a palavra ÉTICA encontra-se em destaque na charge? Você costuma usar esse recurso? 


10) Qual é o sujeito da frase do primeiro quadrinho da tirinha acima? 

11) Copie da tirinha um exemplo de vocativo, explicando: 

12) O que quer dizer "trabalho análogo ao de um escravo"? 

13) Qual a crítica feita pela tirinha? 

14) Produza um texto dissertativo sobre o trabalho escravo na atualidade:

quarta-feira, 4 de novembro de 2015

Atividade sobre o uso dos porquês


- Por que (separado e sem acento): deve ser usado no início das perguntas, diretas e indiretas, aindaque neste último caso haja dúvidas, ou como equivalente a "pelo qual" e suas variantes. 

Exemplos: Por que você não veio à festa? / Queria saber por que você não compareceu. 

- Por quê (separado e com acento): deve ser utilizado no final das interrogações  ou em isolado em frases. 

Exemplos: Você veio, por quê? / Você faltou ontem. Por quê? 

- Porque (junto e sem acento): utilizado nas respostas, pois corresponde à conjunção causal. 

Exemplo: Vim porque eu quis. 

- Porquê (junto e com acento): trata-se do substantivo, sinônimo de "motivo", então é o único que terá plural. 

Exemplo: Queria saber o porquê de ter vindo cedo. 

01) Complete as frases a seguir, preenchendo as lacunas coma forma adequada e justificando, para fixar:

a) Meu amor, fui sequestrado por um bando de terroristas, nem sei explicar _________________.

b) Tem gente que se acha honesta só ___________________ não sabia da mamata.

c) _________________ o ideal do aficionado da fotografia é possuir a melhor máquina para tirar fotos de miseráveis?

d) Nem sempre os motivos ______________ se luta são tão meritórios como parecem.

e) Qual o __________________ de Cabral ter descoberto o Brasil, se podia ter descoberto outro país?

f) A infância é a idade dos __________________.

g) Não sei ________________ ele usa chapéu se não tem cabeça para nada. 

h) Não trabalhamos _____________ gostamos, mas _____________ precisamos. 

i) Desconhecemos o __________________ da revolta dos policiais. 

j) Consegui o documento _____________ lutei todos esses anos. 

domingo, 27 de maio de 2012

Atividade sobre o texto "Indiferença", de Leon Eliachar

Indiferença

Aquela multidão de gente corria para ele. Subitamente, pararam todos, alguém adiantou-se e lhe pediu, por misericórdia, que arranjasse emprego para aquela gente. Afinal, eles só queriam ganhar o pão de cada dia. Estavam com fome. Ele ficou impassível. A multidão ajoelhou-se. Algumas senhoras, com crianças no colo, chegaram a chorar. Ele continuou indiferente. Uma velhinha veio caminhando em sua direção e caiu. Alguém lhe disse que estava morta. Ele não falou nada. Aproximou-se então uma menina de seus dezesseis anos, ajoelhou-se diante do corpo da anciã e caiu em prantos. Aquele choro brutal, tétrico, tocou-lhe o coração. Foi aí que se levantou e tomou uma atitude: saiu do cinema. 

(Leon Eliachar)

01) Justifique o título empregado no texto:

02) Divida todo o textículo acima em períodos. Quantos são? 

03) Classifique cada um desses períodos, justificando sua resposta:

04) Quantas orações você encontrou no texto? Quantos verbos foram encontrados? O que isso significa? 

05) Como se chama a primeira oração do texto? Por quê? 

06) Circule o sujeito de tal oração, classificando-o e justificando sua resposta: 

07) Quantas frases compõem o texto? Existe alguma frase nominal? Por quê? 

08) Você acha que tamanha indiferença só acontece nos filmes, em ficção, ou também na vida real? Justifique sua resposta: 

terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

Exercícios - Orações Subordinadas Adjetivas

01) Divida e classifique as orações abaixo:

a) Duro é o sofrimento que nasce do vício.
b)  A água, que é incolor, é indispensável.
c) Comprei um papagaio que fala muito.
d) Deus, que é o pai de todos, sabia da luta que ele tivera.
e)  As pessoas que fingem não são dignas de confiança.
f)  Há coisas que nos comovem.
g) O vulcão, que parecia extinto, voltou a dar sinal de vida.
h)  É teu tudo quanto aqui existe.
i)  Os bois da região, que contraíram febre aftosa, serão examinados.
j)  O livro que li é muito bom.
k) A Lua, que é satélite da terra, inspirou muitos poetas.
l) A neve, que é fria, provocou a morte da vegetação.
m) Infeliz é o homem que não age honestamente.
n) Os homens que tem seu preço são fáceis de corromper.
o) Os idosos, que gostam de dançar, se divertiram muito.
p) O professor indicou os livros que deviam ser lidos.
q) Conhece a casa onde moro?
r)  Espinhosa é a estrada por onde passamos.
s) João, que era bom aluno, está desempregado.
t) Todos adoram espelhos que se deformam.
u) Os carros que não tiverem placa serão multados. 
v) O homem, que é um ser mortal, tem uma missão sobre a Terra.
w) Os alunos que chegarem atrasados serão advertidos.
x) A vida, que é curta, deve ser bem aproveitada. 
y) A perseverança, que é a marca dos fortes, leva a sucessos na vida. 
z) Quero somente as fotos que saírem perfeitas.

aa) Pedra que rola fica lisa.
bb) Os imigrantes, que buscavam novas terras, viveram situações difíceis.
cc) As casas que eu visitei são em estilo barroco.
dd) A Quaresma, que é uma festa religiosa, representa a ressurreição de Cristo.
ee) As músicas, cujas letras Juliana estranhou, são do Carnaval.
ff) O extraterrestre a que me refiro chama-se Arc.
gg) A imagem que apresenta cores fortes é de grande beleza.
hh) Eu escolhi os alunos que são interessados no estudo.
ii) A cidade a qual visitamos é linda!
jj) As nuvens que cortavam o céu eram tão azuis!
kk) O jogador de futebol que se machucou não voltou ao campo.
ll) Este é o livro de que lhe falei.
mm) O local onde os deputados trabalham tem uma decoração luxuosa.
nn) O parque, que está todo florido, foi obra de um paisagista famoso.
oo) O futebol, que é o esporte do povo, traz muitas alegrias e muitas decepções.
pp) O homem que trabalha merece recompensa.
qq) O aluno que se esforça aprende.
rr) Os adolescentes que estavam fantasiados desceram a avenida.
ss) Os adolescentes, que estavam fantasiados, desceram a avenida. 

quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

Exercícios - Orações Subordinadas Substantivas

01)  Divida e classifique as orações subordinadas substantivas dos períodos abaixo:

a) Fizeram a seguinte advertência: que o trabalho fosse secreto. 
b) É possível que as provas sejam anuladas. 
c) A boa notícia do dia seria que descobrissem a cura da AIDS.
d) Alguém lhe perguntou de onde vinha. 
e) Ninguém soube se morrera de desgosto.
f) Inteirei-me de que ela havia mentido. 
g) Queríamos saber onde estava o prroprietário do veículo.
h) Foi permitido que se estacionasse na calçada.
i) Seria conveniente que a empresa contivesse os gatos. 
j) Ninguém sabe quem são os assaltantes. 
k) Compreende-se que o ponto da lição era difícil. 
l) Estou convencido de que ninguém mais verá esse convite. 
m) É obrigatório que se ande de camisa aqui dentro.
n) O necessário é que se tenha a quantia solicitada para a realização do evento.
o) É uma pena que não existisse transmissão direta de tevê naquela época. 
p) Tenho dúvida de que você venha hoje. 
q) Lembre-se de que todos somos pó. 
r) Quando uma mulher não te ama cada dia mais, podes ficar certo de que ela te ama cada dia menos. 
s) É provável que ele chegue ainda hoje. 
t) Desejo apenas uma coisa -- que sejas feliz. 
u) Tenho medo de que me traias. 
v) Minha esperança é que todos passem de ano.
w) Parece que tudo correu bem.
x) Os jornalistas esperam que o jornal seja bem aceito.
y) O pai não se opôs a que o filho viajasse. 
z) Tenho esperança de que você fará boa prova. 

aa) A verdade é que jornal parece coisa difícil. 
bb) Vou confessar uam coisa: adoro você! 
cc) É importante que você chegue à escola no horário. 
dd) Ficou combinado que viajaríamos durante as férias. 
ee) O certo é que os jornais dão notícias de todo o país. 
ff) Desejo que você tenha sucesso. 
gg) O sucesso dependia de que a  trama fosse bem feita. 
hh) Fique certo de que o jornal lhe tratá muitas informações. 
ii) Necessitava de que os colegas o ajudassem nos exercícios.
jj) O professor estava certo de que já corrigira as provas. 
kk) Lembrava-se de que a conhecia desde a infância. 
ll) Tinha certeza de que a conhecia desde a infância. 
mm) É necessário que nos respeitemos sempre. 
nn) O folheto ensina como ligar os pontos.
oo) Sei que saudade é coisa passageira. 
pp) O passageiro tinha certeza de que a bagagem se extraviara. 

terça-feira, 13 de setembro de 2011

Atividade sobre vídeo humorístico "O assalto" (10 minutos)


01) Justifique o título dado ao vídeo em questão:

02) Que outro título você daria? Justifique sua resposta:

03) O que a maneira de o policial falar "po-si-ti-vo" revela?

04) Os policiais utilizam a gramática normativa ou a gramática internalizada? Explique:

05) Do ponto de vista linguístico, os policiais sabiam gramática? Por quê?

06) Que crítica encontra-se embutida no vídeo com relação ao Senado? O que você pensa a respeito disso?

07) Qual o critério do assaltante para eliminar reféns? 

08) Quais são algumas das regras ensinadas no vídeo? Cite pelo menos duas: 

09) Por que a iniciativa de chamar o então presidente Lula causa pavor nos policiais? 

10) Como o policial se sente ao ser corrigido pelo assaltante? O que isso revela? 

11) Explique com suas palavras o que são "plurais metafônicos": 

12) Qual a diferença entre o "senão" e "se não"? Conseguiu aprender com a explicação dada pelo assaltante? 

13) Existe no vídeo um caso de pleonasmo? Se sim, qual? Por quê? 

14) Por que no final o assaltante decide se matar? Foi um final inesperado? 

(Atividade feita em parceria com a amiga Angela Lima!)