Mostrando postagens com marcador Desabafo. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Desabafo. Mostrar todas as postagens

terça-feira, 28 de julho de 2020

Desabafando, mais uma vez! E quase desenhando...


Tenho ficado meio que DE SACO CHEIO com alguns comentários deixados aqui no blog e EXIGINDO gabarito! Alguns até beeeeeem indelicados, com xingamentos e ofensas gratuitas! Hoje, por exemplo, fui chamada de BURRA, de INÚTIL, de VACA e até de DESGRAÇADA em alguns! Mole? Nem perco meu tempo respondendo e descendo ao nível de insignificância do(s) autor(es). Deleto cada um, porém, leio todos, e fico indignada por saber que, além de haver um monte de ANALFABETOS FUNCIONAIS por aí (já que aqui no próprio blog, logo no topo dele, eu já deixo beeeeem claro que não forneço gabarito, por sequer elaborá-lo), tem é gente de pouca (ou nenhuma) luz neste mundo! Como isso entristece o meu coração!

Não sou obrigada a fornecer respostas, aliás, não sou obrigada nem a compartilhar as atividades aqui no blog, pois não ganho nada com isso, e olha que meu tempo (garanto) é tão corrido feito o de todo mundo que alega que não tem tempo para ter -- e manter -- um blog! Claramente desculpa, esfarrapada, mas aí é problema de cada um, é uma questão de ESCOLHA!

Compartilho atividades aqui, e há anos, porque eu quero, gosto, acredito e me sinto bem ajudando alguns colegas! Bem sei que nem sempre temos ideias para incrementarmos nossas aulas e atividades, ainda mais durante este período tão atípico de quarentena! Mas OBRIGAÇÃO não tenho e tenho total consciência disso! Então se aluno (não meu) que se acha espertinho vem aqui em busca de respostas e fica putinho porque não as encontra, CAGUEI! Não compactuo com farsas nem com "copie e cole" e isso vale também para colegas preguiçosos, que já ganham a atividade e ainda querem tudo "mastigadinho", por isso não aprendem a criar e se limitam. Fica aqui o puxão de orelha meeeeesmo! Ainda podem "acordar"! Dá tempo! 

Nem precisaria explicar, mas... Gabarito, pra mim, é como pegar um pássaro e colocar na gaiola, é APRISIONAR, é ENGESSAR, é querer que o outro pense como a gente, é querer, enfim, doutrinar... e eu gosto é de fazer o inverso: abrir a gaiola e ver o pássaro livre, voando, se sentindo natural e capaz, confiando no poder de suas asas e explorando as várias possibilidades... Como aprendo! Como ensino! Como essa troca enriquece e nos torna melhores (profissional e pessoalmente)! Agradeço aos recadinhos carinhosos e agradecidos que recebo, de quem enxerga de forma semelhante, embora sejam tão poucos, considerando a quantidade de acessos e visualizações diários! Nem culpo a falta de gentileza e de educação, mas a correria mesmo. Menos mal. Mas acho PATÉTICO a pessoa perder tempo cobrando, reclamando, exigindo o que o outro não quer dar (e não há quem obrigue!) e XINGANDO. 

A partir desta semana, vou adicionar um RASTREADOR DE IP para saber de onde vem cada mensagem hostil, pois é muito cômodo a pessoa se sentir à vontade para encher o saco do outro confiando no (falso) anonimato! Então só estou sendo gentil AVISANDO que isso vai ocorrer, assim a pessoa pode evitar de ser exposta ao ridículo e também evitar possíveis desconfortos ou "retribuições". Que as pessoas deixem a preguiça de lado e a cara de pau também! Em vez de perdder tempo deixando mensagens hostis, vai ler, estudar, aprender, tentar fazer, pois sei que todo mundo pode, se quiser. 

Se quer um mundo mais bonito e verdadeiro, comece fazendo pequenas mudanças em si mesmo! Faça escolhas diárias e que Deus permita que você QUEIRA aparecer sendo uma pessoa educada e do bem, que agrega; e não um espírito de porco idiota -- ainda que anônimo -- que hostiliza e entristece o outro! Você, melhor do que ninguém, sabe de que grupo tem feito parte e o tipo de pessoa que tem sido! Parabéns a alguns e que vergonha para outros! Aprenda, com urgência, a somar e não a diminuir! Aprenda a elogiar e não a agredir! Aprenda a oferecer em vez de só querer sugar! E fica aqui o meu recadinho mais sincero! Só faltando desenhar... 

quinta-feira, 16 de julho de 2020

Vídeo com a cartinha que escrevi para minhas turmas no pré-férias


Escrevi uma cartinha para os meus alunos, a fim de encerrar esse ciclo antes das férias! Tentei fazer uma retrospectiva de tudo o que eu dei neste período de pandemia e aulas on-line. Achei que fosse pouca coisa, mas até que não! Consegui diluir o conteúdo de maneira a tornar mais leve para o aluno, diante do novo, e foi ótimo saber, pelo Meet, com eles, que a minha tática funcionou. Alegrou o meu coração! 

Quantas vezes a gente faz o trabalho apenas para a gente, para o nosso ego?!? Eu uso o aluno como termômetro o tempo todo, por isso o meu tamanho esgotamento mental. Mas vale a pena. Não trabalhamos sozinhos. Não gosto de enfiar nada goela abaixo. Pra mim, tudo precisa fazer sentido, e o aluno é o protagonista. Não eu! No máximo divido os holofotes com eles. E tem sido assim há mais de vinte anos! 

Mais do que alunos, tenho AMIGOS, parceiros de lutas e de buscas... e isso torna a caminhada menos dura, dentro do possível! Sou grata pela vida de cada um deles! Sempre! 

terça-feira, 7 de julho de 2020

Texto "A rainha dos 7", de Andreia Dequinha


A rainha dos 7

A vida inteira o 7 a perseguiu: nasceu no dia do mês 7. Há um bom tempo, já está na década que lhe trouxe um 7 a mais. Não satisfeito, o destino hoje a presenteia com mais um 7 -- 77 anos de vida. Dizem que é o número da perfeição e talvez isso explique muuuuuita coisa! Tenta ser perfeita sempre, e, com isso, acaba errando muito mais do que erraria se não se cobrasse tanto! Difícil é ela reconhecer que erra, preferindo apontar, o tempo todo, os erros e defeitos nos meros mortais que a cercam. 

Faz questão de mostrar uma força que nem sempre tem, mas tenta, ao mesmo tempo que se esforça para esconder sua fragilidade e suas dores, como se isso a fizesse valer menos. Irrita-se quando as coisas não saem como ela quer, esquecendo-se de que há sempre vários caminhos, todos válidos, e que não cabe a ela escolher por todo mundo. Revolta-se quando não tem o controle de tudo, e nem com a pandemia ela aprendeu que nem tudo se deixa controlar! Pragueja mais do que abençoa, mas, no fundo, todo mundo sabe que é uma ótima pessoa!

Coloca seus traumas nos cofres mais escondidos e inacessíveis (até mesmo por ela), e conversa com fantasmas que não quer que ninguém saiba da existência. Não gosta de ser ajudada, mas ama ajudar todo mundo, ainda que usando sua máscara de ogra, pois carinho, para ela, torna as pessoas vulneráveis. Ela é vulcão que cospe lava por fora e por dentro. Só ela sabe. E nem ela lida bem com isso. Queima o outro. Se queima. Gera incêndios que às vezes não consegue apagar. Mas tenta. Passei então a observar essas tentativas. 

Tento entender que talvez eu nunca escute um "me desculpe" vindo dela, então já aceito as suas formas equivalentes e tento me contentar com elas. Procuro amor distribuído nos pequenos gestos rotineiros, em seu querer cuidar e proteger, pois "eu te amo" é tão difícil pra ela que seus lábios jamais saberão pronunciar. Os olhos eu percebo que até tentam. 

Já não tem paciência para as suas plantas nem tem ânimo para cozinhar sempre. Se culpa. Não tem mais vista para fazer tricô nem seus caça-palavras. Vira bicho raivoso se lhe faltar banana, tangerina, leite e pão. Arroz e feijão, nem faz questão. Muda o humor quando o tempo fecha e não consegue lavar roupa para encher o varal (adora!). Entrega-se aos doces mesmo sendo diabética e xinga mais que a Dercy Gonçalves se a gente reclamar, mas ela reclama toooodo dia dos 15 remédios que precisa tomar e que eu já deixo separadinhos, no esquema. Tem medo de panela de pressão, mas não tem do Coronavírus! 

Nunca foi vaidosa, mas fica orgulhosa quando faz um pudim perfeito (quase sempre). Não tem saco para procurar vestidos e pega sempre os de cima e ai da gente se reclamar! Às vezes parece não aceitar que envelheceu e faz mais peraltice do que o Miguel! Aponta nele o que ela faz com tamanha maestria. Nega veementemente que tem se tornado mais minha filha do que minha mãe. Tenta medir força e às vezes não mede nada e fere mais do que leão com fome. Consome a gente.

Mamãe, no fundo, é pedra bruta, tirada do fundo do riacho! Nela muitas vezes me perco, mas também às vezes me acho. Somos diferentes em tantas coisas e tão iguais em outras. Por isso "dois bicudos não se beijam" e quase sempre é faísca para todo lado. O perdão tem que ser em doses diárias e haja álcool gel para desinfetar tantas mágoas (mútuas).Constato que, embora não pareça, há muito amor por baixo do lodo, com direito à água mais pura e límpida! 

Que o novo 7 a mais (o quarto) lhe traga serenidade, muita saúde, compreensão e mais momentos de leveza, quando se permite brincar com o Miguel, como se a infância que não teve estivesse lhe sendo ofertada agora. Aproveite-a, mãe! Permita-se! Feliz idade nova, rarinha dos 7!

terça-feira, 16 de junho de 2020

Hoje eu quero falar sobre DIGNIDADE, ÉTICA, LEALDADE, VERDADE e afins!

Esta minha postagem tem um tom de DIÁRIO, como os que eu costumava fazer quando era mais nova, contando como foi o meu dia, essas coisas! Como aliviava o meu coração! E, como meu dia hoje, assim como ontem, foi punk, recorri a essa prática (ou seria tática?!?). Talvez precise recorrer mais vezes, pois, seguindo a minha lógica da "gangorra emocional", esta semana vai ser complicada -- a passada tudo foi light e eu estava no alto; esta devo experimentar, ao que tudo indica, o oposto. Que venha! Não tenho medo!

Começou com a notícia de que um querido amigo havia falecido, de COVID. Mais um! E ainda tem quem acredite em imbecis que dizem que "é apenas uma gripezinha"! Fui pega de surpresa. Chorei, me acabei, mas recebi muito apoio e carinho dos meus alunos, na plataforma, pois não deixei de dar aula, apesar do coração arrebentado. Aluno nos aceita de qualquer jeito: partidos, remendados, inteiros, alegres, tristes... Recebi deles o melhor remédio! Aliás, meus alunos são mesmo presentes de Deus em minha vida! E é disso que quero falar! Não bastasse a nossa "roda de conversa" de hoje ter sido em torno do tema GENTILEZA, ainda percebi o quão éticos eles já são (muito mais do que muuuuuuito adulto), o que muito me alegra!

Recebi, por exemplo, esses recadinhos, hoje, pelo Messenger, de uma querida aluna, de um dos meus terceiros anos, a articulada e justa Maria Vitória (que me enche de orgulho!):



O mais interessante é que, em nenhum momento, minha aluna pensou que pudesse ter ocorrido o contrário: eu ter copiado do "outro blog", "pegando emprestada" a autoria! E sabe por que isso se dá? VERDADE! É a tecla em que eu mais bato, sempre, sem negociações! Precisamos ser VERDADEIROS, se quisermos ser respeitados e reconhecidos!

Que moral eu teria de falar para o meu aluno não fazer "copie e cole" nas atividades se eu fosse a primeira a fazer isso?!? Que tipo de exemplo eu seria se eu por acaso "me esquecesse" de mencionar o blog de onde copiei TODAS as questões?!? E que orgulho ele teria se ainda soubesse que eu não soube interpretar o nome de alguém que foi citado pelo envio de um texto e colocasse como autora (mesmo tendo colocado que a autora era a Rita Lee)?!? Minha amiga querida Luciene Gomes gentil e carinhosamente me enviou o texto porque simplesmente achou "a minha cara". Sim, porque quando a gente é verdadeiro tem inevitavelmente UMA CARA, e não a cara do outro, e não duas ou mais caras...!!! Recomendo! Dá um puta alívio!!!

Bem, como pode se ver, além do CRIME de PLÁGIO, a "nobre colega" ainda cometeu outro erro GRAVE: colaborou com o problema de falsa autoria, tão comum na net, por conta de gente que não só copia algo, mas copia mal e sem um pingo de responsabilidade! Que feio!

Tenho andado EXAUSTA diante de ações lamentáveis desse tipo e já deixei uns recadinhos beeeeem diretos para a colega (pena que os comentários, ao contrário dos daqui, são filtrados, típico de quem de repente tem algo a esconder ou a temer!). Alguns amigos também assim fizeram, prontamente, leais que são! A verdade sempre aparece... e sempre se consegue bons aliados! O mal não pode se alastrar nem pode ser considerado normal. Ele tem que ser combatido! Sempre! Ainda que dê dor de cabeça ou que você vire alvo!

Encerro meu texto agradecendo a Deus por sempre fazer cada falcatrua chegar até mim... Nem perco tempo procurando. Não preciso. Sou cercada de gente ética e do bem! E entre ser boa e ser justa, sempre prefiro ser a segunda. Não me importo, nem um pouco, de ser má (ou similar) na visão de gente que não admiro, por se mostrar oportunista, desleal, enfim, uma FARSA!

Crédito a quem cria algo é o mínimo que se deve dar! Nem gratidão mais eu espero. Mas também não aceito sacanagens nem pedidos de gabaritos, que eu vou lá e deleto, na hora, pois no próprio blog já consta que não elaboro (e, mesmo se elaborasse, é meu direito não querer compartilhar). Aliás, nem as atividades que crio eu sou obrigada a partilhar. Posso parar a qualquer instante, pois não ganho nada para isso, a não ser a alegria que me dá ao perceber que AINDA tem gente ética, educada, grata, parceira no mundo! Por essas pessoas sou grata! Pelas outras... dou apenas um conselho: é melhor ficar distante de mim, porque posso ser beeeeem perigosa e passar a retribuir com citações de nomes, endereços de blog e, inclusive, processos! Um abraço! 

terça-feira, 9 de junho de 2020

Agradecendo, agradecendo, agradecendo... sempre!!!!

Fiquei muito feliz com o fato de o meu blog ter sido mencionado em outro espaço que eu curto muito: o "EDUCA TUBE BRASIL", do meu já querido colega José Antonio Klaes Roig. Grata e encantada com tanto carinho! 

Começou com o convite da minha diretora e amiga Nilva Aparecida para eu assistir a uma "live" (palavra tão ouvida quanto "Coronavírus", ultimamente) que ela já tinha visto e achado "a minha cara". De fato, tinha muito a ver comigo. Saboreei tudinho, com prazer, e aí deixei um comentário, despretensioso, agradecendo, elogiando, e falando da minha prática pedagógica aqui no "Arte e Manhas da Língua". 

O colega não só me respondeu por lá como também havia comentado que falaria do meu cantinho lá no blog dele. Achei que estivesse sendo apenas simpático, gentil, confesso, mas, hoje, para a minha surpresa, recebi mais "uma garrafa lançada ao mar" e lá estava uma propaganda carinhosa do meu blog no blog dele! 

Muitas vezes Deus, misericordioso, me surpreende e me presenteia com gestos lindos assim, reconhecendo um trabalho (?) que AMO fazer e que faço já há anos, mesmo experimentando uns hiatos e vivenciando umas gangorras emocionais, que envolvem animação e desânimo, esperança e descrença, como tudo na vida! 

Sempre insisti nas TROCAS e nos COMPARTILHAMENTOS! Sempre apostei na tal da "corrente do bem" e acreditei que "gentileza gera gentileza". Isso não mudou. Nem com as chateações envolvendo casos de plágios de material daqui, sem citar o blog como referência; nem com os insistentes pedidos de gabarito (mesmo eu já deixando claro aqui no blog que não os faço e não os compartilharia, se fizesse); nem com alguns comentários bem desprezíveis (e recalcados) "alfinetando" uma ou outra atividade; nem com algumas "ordens" para que eu faça uma atividade sobre um determinado assunto... Enfim, nada de negativo me desanimou a ponto de parar (de vez).

Com a pandemia e com as aulas on-line, minhas visitas triplicaram! Há dias em que elas chegam (pasmem!) a 10.000 (especialmente às segundas-feiras, quando eu acho que o povo vem aqui "fazer a feirinha" para a semana toda!). Triplicaram também os comentários agradecendo, que enchem de alegria o meu coração! Não há dinheiro que pague! Se as pessoas soubessem como PRODUZIR e DOAR fazem com que a gente se sinta tão útil e capaz, certamente o número de blog seria muuuuuito maior! Dá trabalho, tem que driblar a correria (diária), a falta de inspiração... mas, para mim, virou uma terapia. E quando me sinto sem ideia para postar, magicamente chega um texto ou uma charge via Zap, via Messenger, uma sugestão de filme, ou de música, ou de vida... e aí meus pensamentos começam a florescer, a brotar! Sou muito grata por cada parceria!

E hoje eu entendi um pouco o que, dia desses, me fez achar graça! Recebi um comentário e, como "calhou" de eu estar on-line naquele momento, prontamente respondi. A pessoa disse que ganhou o dia porque uma famosa respondeu! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk Estou até agora procurando a famosa, mas tudo bem! Brincadeiras à parte, hoje percebi como a gente fica radiante quando alguém cujo trabalho a gente admira sabe que a gente existe! E dá um retorno! Num mundo tão "seco" e corrido, esse parar para valorizar e ENXERGAR o outro vale muito! Muito mesmo! Então agradeço! E convido todos os que gostam daqui do blog e das atividades que aqui moram para irem lá conhecer o trabalho desse meu colega, no "EDUCA TUBE BRASIL", pois vão se encantar tanto quanto eu! Muitas dicas bem legais, sugestões bem interessantes, conteúdo de primeira! 

No mais, que a gente possa lançar muitas "garrafas ao mar", sem saber onde elas vão parar... sem esperar que elas um dia voltem, e respondidas... mas que a gente possa se alegrar muito quando isso ocorre! Que a gente não desista de acreditar! A solução para tudo está no AFETO, na TROCA, na EMPATIA... e cada dia eu creio mais nisso! E você? Um abraço! Apertadíssimo! Virtual pode! 

P.S.: Para quem ficou querendo saber qual era a tal "live",  AQUI está o endereço dela. Vale super a pena conferir o bate-papo, viu! 

sexta-feira, 8 de maio de 2020

Êta confusão de sentimentos, minha gente!


Hoje aconteceu algo curioso, por isso resolvi compartilhar aqui. Eu tenho andado tããããão cansada e entristecida por ver tantas prefeituras e plataformas se apossando do material daqui do blog, que bastou receber um link de uma colega para eu ficar furiosa! E já fui eu, impulsiva, escrever mais um looongo e-mail denunciando o ocorrido à PREFEITURA DE POUSO ALEGRE, em Minas Gerais.

Passada a raiva, fui olhar melhor o material (do nono ano) e notei que havia, no finalzinho dele, a referência ao meu blog, então cheguei à conclusão de que, na verdade, era para estar agradecendo pela parceria! Mandei um outro e-mail para eles, desta vez pedindo as mais sinceras desculpas. Achei, de fato, que tal prefeitura, ao contrário do que havia ocorrido anteriormente (embora esses casos tenham corrigido o erro, e bola pra frente!), DIVULGOU e EXALTOU o meu trabalho, ao colocar a referência ao blog, ou seja, fez tudo certinho, de forma ética, como "manda o figurino". 

Percebi que a raiva muitas vezes nos cega, que arrastamos pesadas correntes vindas de experiências passadas e que não foram legais, que TODO MUNDO pode cometer erros... e ainda bem que, com sensibilidade e sabedoria, eles podem ser reparados! Aliás, tenho aprendido muuuuuuito com esse isolamento! Tenho visto, com mais clareza e intensidade, muitas ações... as boas e as ruins... e em vez de ficar me deprimindo com estas, tenho procurado também me alegrar e simplesmente aprender com elas. Há sempre o que aprender, embora nossa vista cansada (e o coração mais ainda) diga que não, num primeiro momento. Nosso ser consegue, siiiiiim, SE DESEJAR, reciclar emoções e sentimentos... converter MERDA em FLOR... 

Até aí tudo bem, mas, resolvi ir conferir o material voltado para outras séries e aí novamente meus sentimentos mudaram. Muuuuuuuito material retirado daqui do blog, produzido por mim, e desta vez SEM A DEVIDA REFERÊNCIA. Encontrei lá até um material de Artes que eu produzi faz é tempo e que colocaram como referência um outro blog (que já já também vou conferir). Mas as tais de Português voltadas para o oitavo e sétimo anos (nem me dignei mais a olhar o restante), sem nenhuma menção a mim ou ao blog. Ou seja, a flor de repente deu novamente espaço à merda... Escrevi um novo e-mail para a prefeitura e estou aguardando a resposta para os meus três, cada um com um sentimento. Bipolaridade? Tripolaridade? Enfim... 

Tento aprender uma nova lição tendo esse mesmo alvo... Que os erros e os abusos venham. Que não tenhamos medo deles. Que isso não nos impeça de produzir nem de compartilhar. A forma como lidamos com eles é que revela quem verdadeiramente somos, sem falar que a escolha de deixar o outro feliz ou triste é toda nossa. A opção de admirar e valorizar o trabalho alheio ou sermos desleais e oportunistas também é nossa! E eu vou sempre escolher as primeiras. Em todos os casos. Um beijo a todos. 

sexta-feira, 24 de abril de 2020

Mais um desabafo... e em tão curto espaço de tempo!

Vamos falar sobre PLÁGIO e DIREITOS AUTORAIS de novo?!?

Apesar da correria, sempre encontrei um jeitinho de vir aqui compartilhar as atividades que amo tanto elaborar. Sempre acreditei no poder das TROCAS e na capacidade de ajudar ao próximo com alguma ideia ou sugestão...  mas, de uns tempos pra cá, não são só os pedidos insistentes de GABARITO que têm me irritado (embora eles ainda ocorram, vindos de alunos e de colegas de área, mesmo eu registrando logo na entrada do blog que não os elaboro e nem os forneço, por não ser essa a proposta do blog) e sim o problema da ausência da fonte nas atividades publicadas nos sites da vida! 

Nunca me importei que usassem as atividades daqui do blog com os alunos, mas daí a publicá-las como material autoral produzido por prefeituras e afins, é diferente, é OPORTUNISMO! Ou ingenuidade! Não tem outra explicação! Friso muito com os meus alunos sobre a questão do plágio, da importância de se colocar a fonte e agora vejo COLEGAS dando um péssimo exemplo quanto a isso! É deprimente! Muito triste! 

Primeiro foi a Prefeitura de São Paulo e agora foi uma prefeitura do Espírito Santo a cometer o mesmo erro. Felizmente já responderam ao meu e-mail, denunciando o ocorrido, e prometendo tomar providência, mas é DESGASTANTE ter que passar por isso! E fora o que eu AINDA não fiquei sabendo, neste período de aula online e material assim distribuído. 

Fora colega que pode ter orientado os alunos a responderem a tarefa aqui diretamente no meu blog, hábito que eu mesma não tenho e olha que o blog é meu! Foram cinco alunos fazendo a mesma coisa numa mesma atividade aqui: colocando nomezinho completo e turma... Pena que não colocou nem a escola nem a pedido de que professor(a) foi, para o cabeçalho ficar completo! (risos) Acho que o "nobre" colega só se esqueceu de me consultar se poderia fazer dessa forma... ou não sei, ainda, se ele pretendia pedir para que eu ainda corrigisse, porque do jeito que a cara de pau anda grande nesta época de pandemia... juro que não duvido! Enfim... 

Como já tem postagem programada aqui no blog até o dia 05 de maio, até lá tudo por aqui continuará seguindo o mesmo fluxo, porém pensarei se ele continuará ou não. Não tem valido muito a pena por conta do estresse, que, infelizmente, tem sido beeeeeem maior do que os recadinhos carinhosos que recebo, repletos de gratidão e alguns até me dando ótimas dicas! Vou colocar tudo na balança, durante todos esses anos com o blog no ar até aqui! 

Andei vendo com um amigo "fera" em blog e PARECE que nas configurações eu posso limitar o acesso ao blog, tipo um portal e, para isso, basta eu cadastrar o e-mail de cada colega "de confiança". Com isso, claro, perderá o caráter DEMOCRÁTICO que eu sempre quis dar a este espaço, mas... penso que é melhor do que excluí-lo ou ficar tendo que cada dia lidar com essas chateações. É isso! Então já podem, aos poucos, colocar nos comentários o nome, cidade onde mora e o e-mail, para uma futura análise e "cadastro". Obrigada! 

terça-feira, 14 de abril de 2020

E aqui vai um pouquinho de DESABAFO...

Quando um(a) colega ENVERGONHA a classe 

Eu não ia trazer esse assunto para o blog, afinal, aqui é um lugar que reservei, há anos, para abrigar atividades didáticas e experiências de mais de vinte anos de uma profissão que eu amo, mas aí mudei de ideia e resolvi trazer siiiim! Primeiro, porque meu coração pediu e eu sempre tento obedecê-lo; segundo, porque é impossível separar o lado profissional do humano... Se tem algo que eu AMO é ajudar as pessoas, mas se tem algo que eu ODEIO, com igual intensidade, é gente OPORTUNISTA e POBRE DE ESPÍRITO! 

Ontem fui dormir chorando, de tanta raiva e decepção, ao saber que usaram PARA FINS LUCRATIVOS, uma atividade daqui do blog, feita em parceria com amigas tão querida, sobre a música "O dia em que a Terra parou", do grande Raul Seixas! Hoje, já sorrio, por ver como Deus honra aqueles que tentam permanecer no caminho do bem e da retidão de caráter, independente dos espinhos gerados pelo COMPARTILHAR. 

Depois da minha denúncia quanto ao PLÁGIO, um representante da "Prefeitura Municipal de São Paulo" entrou em contato comigo, prontamente, pela manhã, a fim de esclarecer o que houve, educadíssimo, se desculpando e depois se retratando publicamente. Aceitei as desculpas por sentir muita sensatez, seriedade e também muita ÉTICA, o que aliás, foi o que faltou à infeliz colega que quis se apropriar do que não lhe pertence. Ao Wagner, eu agradeço pelo retorno e reconhecimento do erro, direto ou indireto, já que todos inevitavelmente erramos, mas como lidamos com o erro revela muuuuuito de nós e faz TODA a diferença, ao menos para mim. Tem, então, o meu mais sincero RESPEITO. 

Eu poderia ter feito "vista grossa" e deixado passar, pois o que é UMA atividade para quem elabora dezenas por semana e ainda encontra tempo para compartilhar aqui com os colegas?!? Daria menos dor de cabeça, economizaria estresse, porém, incomodaria a minha essência e me desviaria do ensinamento que tento passar para o meu filho e para os muitos ex-alunos e alunos que tenho! Temos que tentar ser exemplos! Temos que ser, diariamente, pessoas dignas e melhores, ainda mais se queremos que o mundo tenha conserto! Não tem como abrir mão disso! O mundo anda muito "estranho" para fazermos determinadas concessões... 

Enfim, entre mortos e feridos, creio que se salvaram TODOS. Não me interessa, sinceramente, saber quem foi a pessoa que PLAGIOU a atividade, pois ELA sabe que é a ela a que me refiro, e isso me basta. Que se envergonhe, reflita e aprenda a lição. A verdade SEMPRE aparece! Então eu desejo, passada a raiva, só uma coisinha: LUZ, visto que quem a tem não precisa tentar ser o que não é. 

Aos amigos que, prontamente, saíram em minha defesa a fim de, dentre outras coisas, endossarem a autoria, eu só tenho a agradecer, emocionada, por tanto AMOR, PARCERIA e CONSIDERAÇÃO! É difícil constatar que o mundo tantas vezes é duro e parece passar por cima da gente como um trator, mas é tão bom saber que não estou só e que vocês passarão atrás acariciando o meu solo ferido e jogando muita água e fortes sementes, que me farão brotar de novo, de novo, de novo, de novo... e sempre! OBRIGADA mesmo! 

segunda-feira, 6 de janeiro de 2020

Atividade sobre a poesia "Metade", de Oswaldo Montenegro

Sempre fui MUITO apaixonada por esse texto, aí, num belo dia, tive a ideia de, no final de UM DIA MUSICAL, levá-lo para meus alunos conhecerem. Não satisfeita, abusada que sou, senti, ainda, vontade de apagar as luzes da sala de aula e pedir para que os alunos fechassem os olhos e deixassem que a música e as palavras penetrassem com profundidamente neles... bem lá na alma... sem vergonha ou qualquer preocupação... 

Para a minha surpresa, quando acendi as luzes, a grande maioria estava chorando, emocionada, e eu me senti a pessoa mais má do mundo, péssima, por ter provocado tanta sinestesia em meus alunos... e depois não saber ao certo como lidar com ela...!!! Só sei que me veio à cabeça, do nada, pedir para que escrevessem num papel o que tivessem vontade, de forma livre e espontânea, o que a música fez brotar neles... sem medo... que abrissem mesmo o coração... 

E foram relatos lindos, profundos, e alguns beeeeem tristes e dolorosos, como o de uma aluna que contou que foi violentada durante anos pelo padrasto e que a mãe não acreditou nela, quando contou, e o de um aluno que não conseguia perdoar o pai porque ela sempre batia na mãe... 

Fiquei mexida durante meses com tudo o que acabei provocando, mesmo sem ter a real intenção nem noção da intensidade... Escrevi uma cartinha para cada um, pois senti que precisava dar um retorno para tudo o que confiaram a mim. Me esgotei. E confesso que não sei se tenho mais CORAGEM de fazer a atividade do jeito que eu ousei fazer. Mexer nas emoções e nos sentimentos alheios é como pisar numa areia movediça... Perigoso! Muito perigoso, mas senti que, naquele ano, foi indispensável, para ajudar a assombrar alguns fantasmas, que arrastavam pesadas correntes, e fechar feridas há tanto tempo abertas... Foi, enfim, como Deus quis, eu creio!!!  


Metade

Que a força do medo que tenho 
Não me impeça de ver o que anseio
Que a morte de tudo em que acredito
Não me tape os ouvidos e a boca,
Porque metade de mim é o que eu grito,
Mas a outra metade é silêncio.

Que a música que ouço ao longe
Seja linda, ainda que tristeza.
Que a mulher que eu amo seja pra sempre amada,
Mesmo que distante,
Porque metade de mim é partida,
A outra metade é saudade.

Que as palavras que falo 
Não sejam ouvidas como prece e nem repetidas com fervor
Apenas respeitadas como a única coisa
Que resta a um homem inundado de sentimentos,
Porque metade de mim é o que ouço,
A outra metade é o que calo.

Que essa minha vontade de ir embora
Se transforme na calma e na paz que eu mereço.
E que essa tensão que me corrói por dentro 
Seja um dia recompensada,
Porque metade de mim é o que eu penso,
A outra metade é um vulcão.

Que o medo da solidão se afaste
Que o convívio comigo mesmo se torne ao menos suportável.
Que o espelho reflita em meu rosto um doce sorriso 
Que me lembro ter dado na infância,
Porque metade de mim é a lembrança do que fui,
A outra metade eu não sei.

Que não seja preciso mais do que uma simples alegria 
Pra me fazer aquietar o espírito
Que o teu silêncio me fale cada vez mais,
Porque metade de mim é abrigo,
Mas a outra metade é cansaço.

Que a arte aponte uma resposta mesmo que ela não saiba
E que ninguém a tente complicar,
Porque é preciso simplicidade para fazê-la florescer,
Porque metade de mim é platéia,
A outra metade é canção.

E que a minha loucura seja perdoada,
Porque metade de mim é amor,
E a outra metade... também! 

(Oswaldo Montenegro)

01) Justifique o título dado à poesia:

02) Copie do texto uma metáfora, explicando o seu raciocínio:

03) A passagem que se encontra em negrito na primeira estrofe contém uma antítese ou um paradoxo? Explique seu ponto de vista: 

04) Posicione-se sobre o trecho em destaque na quinta estrofe, mencionando se tem sido algo difícil ou não de ocorrer em nossa sociedade, pelo que você observa: 

05) Que lembrança marcante e alegre você tem da sua infância? Cite uma: 

06) Opine sobre a passagem que se encontra em negrito na sétima estrofe, explicando bem: 

07) Explique os dois versos finais do texto: 

08) Que mensagem a poesia transmite?

09) O que ela despertou em você? Que tipos de sentimentos e emoções?

10) De que parte você mais gostou? Por quê?

quarta-feira, 13 de novembro de 2019

Atividades sobre literatura africana - Ubuntu e provérbios


Ontem assisti, na minha escola, junto com alguns colegas e alguns alunos da minha turma 3007, a uma palestra sobre formas de se combater o racismo, com meu querido amigo Sérgio Rodrigues dos Santos, o famoso Serjão, um guerreiro lindo e companheiro de lutas e de resistência. Também levou uma convidada linda, a Karla Barreto, que, grávida, abrilhantou ainda mais o momento, e me emocionou demais contando uma história linda, que eu ainda não conhecia, mesmo sendo uma pesquisadora e curiosa: o UBUNTU! Trata-se de uma lenda africana que fala lindamente sobre cooperação e empatia! 

Um antropólogo visitou um povoado africano e, para conhecer sua cultura e seus valores, resolveu propor às crianças de lá uma brincadeira. Colocou um cesto de frutas perto de uma árvore e disse a elas que a primeira que chegasse à árvore poderia ficar com o cesto e comer todas as frutas. Quando o homem deu o sinal para que começassem a corrida em direção ao cesto, aconteceu algo inusitado: as crianças deram as mãos umas as outras e começaram a correr juntas. Ao chegarem ao mesmo tempo, TODAS puderam desfrutar do prêmio, então se sentaram e repartiram as frutas.

Intrigado, o antropólogo lhes perguntou por que tinham feito isso, quando somente uma poderia ter ficado com todo o cesto. Uma das crianças respondeu: -- "Ubuntu" Como um de nós poderia ficar feliz se o resto estivesse triste?! O homem ficou impressionado pela resposta tão sensata e empática desse pequeno. Eu também. "Ubuntu" é uma antiga palavra africana que, na cultura Zulu e Xhosa, significa "Sou quem sou porque somos todos nós". É uma filosofia que consiste em acreditar que, cooperando, se consegue a harmonia, já que se consegue a felicidade de todos. Lindo, não? E fico pensando se fosse aqui no nosso país, com crianças já tão competitivas, egoístas, mimadas, com raras exceções... 

Contei essa história para o meu filho Miguel, que, como eu, também ficou nitidamente emocionado... e achei o nome lindo, tanto que se eu tivesse um outro filho, independente das piadas, ele assim se chamaria! 


No final da palestra, a Karla ainda levou um potinho cheio de frases e provérbios africanos e cada um tirava um e compartilhava a leitura, se sentisse vontade. Pra mim veio este da foto, que achei a minha cara, pois sou um ser extremamente interrogativo, o tempo todo, e nem sempre as respostas vêm, pelo menos não diretamente e não de imediato, mas eu as busco e não as evito. Penso que tudo é troca, tem que ser! Somos trocas de energia e a salvação está mesmo numa só coisa: EMPATIA. Tão falada, mas tão pouco colocada em prática... então... "Ubuntu"!!! Que a gente se lembre sempre de escolher repartir as frutas do cesto com nossos semelhantes e não comer sozinho e se sentindo vitorioso ou melhor do que ninguém! #ficaadica


Pra finalizar, compartilho aqui alguns provérbios africanos... 

01) "Quem faz perguntas, não pode evitar as respostas".

02) "Uma mentira estraga mil verdades".

03) "Aquele que não cultiva seu campo, morrerá de fome".

04) "O tolo tem sede no meio da água".

05) "Um inimigo inteligente é melhor do que um amigo estúpido".

06) "Se você está construindo uma casa e um prego quebra, você deixa de construir ou você muda o prego?"

07) "Um camelo não zomba da corcunda de outro camelo".

08) "Até que os leões tenham as suas histórias, os contos de caça glorificarão sempre o caçador".

09) "A lua move-se lentamente, mas cruza a cidade".

10) "A união do rebanho obriga o leão a ir dormir com fome".

11) "A água sempre descobre um meio".

12) "É melhor ser amado do que ser temido".

13) "A igualdade não é fácil, mas a superioridade é dolorosa".

14) "O vento não quebra uma árvore que se dobra".

15) "Não pise no rabo do cachorro e ele não o morderá".

16) "Não chame a floresta que o abriga de selva".

17) "Se sua língua se transformar em uma faca, cortará a sua boca";

18) "Quando as teias de aranha se juntam, elas podem amarrar um leão".

19) "Se você danificar o caráter do outro, você danifica o seu próprio".

20) "A chuva bate na pele do leopardo, mas não tira as suas manchas".

21) "Ninguém testa a profundidade do rio com ambos os pés."

22) "Uma vaca tem que pastar onde ela está amarrada".

23) "Quando o galo está bêbado, esquece-se do gavião".

24) "O dinheiro é mais afiado do que uma espada".

25) "Quando um rei tem conselheiros bons, seu reino é pacífico".

quarta-feira, 5 de junho de 2019

Dia de comemoração!!!! 8 anos deste espaço!!!


Ei, vai um bolinho aí?!? 

Hoje este espaço artemanhoso está em festa, pois há exatamente OITO ANOS ele nasceu! E de lá pra cá, tivemos muitos momentos: de animação e de desânimo, de elogios e de críticas, de atividades legais e de desabafos entristecidos, de hibernação, de alguns hiatos, de coma, de vontade de parar de vez e de saudade de voltar a postar, independente de visitas e de recadinhos... só porque me faz bem ao coração e funciona como terapia!!! 

Às vezes me assusto quando entro aqui e olho as estatísticas e observo uma média de 1000 visitantes por dia, independente de eu atualizar ou não este espaço, o que me leva a crer que são visitantes fiéis, que fizeram daqui um point... e sou muito grata! Dia desses, por curiosidade, fui ver qual a postagem mais "bombou" e, se não me falha a já tão gasta memória, acho que foi a sobre o livro "A droga da obediência", do querido Pedro Bandeira, com 11.941 visualizações, seguida de "Trem bala", música tão emocionante da fofa da Ana Vilela, que teve 11.103 acessos! Que alegria! 

Enfim, tudo isso só comprova como este meu bebê cresceu e já está quase chegando à adolescência, assim como o meu filho Miguel, com uma pequena diferença de idade: de quase dois anos! E como aprendo com ambos! E como me desdobro em mil para poder dar conta de tudo... apesar das minhas falhas e limitações! 

Aqui estamos, entre erros e acertos, sobrevivendo, e compartilhando um monte de coisas, que vão sempre muuuuito além das atividades, acreditem! Então termino o dia de hoje cantando parabéns pro "Arte e Manhas da Língua" e torcendo para que ele ainda tenha muita vida pela frente... 


Escrevo. E pronto.
Escrevo porque preciso,
preciso porque estou tonto.
Ninguém tem nada com isso. 
Escrevo porque amanhece,
e as estrelas lá no céu
lembram letras no papel,
quando o poema me anoitece.
A aranha tece teias.
O peixe beija e morde o que vê.
Eu escrevo apenas. 
Tem que ter por quê? 

(Paulo Leminnski) 

domingo, 26 de maio de 2019

Missão eterna: tentar combater "sanguessugas"!!!


Hoje decidi deixar de fazer parte de um grupo de professores no Facebook-- cuja proposta é beeem parecida com a do "Arte e Manhas da Língua", que existe há anos, desde a época do Orkut -- e até gostava muito de participar de lá, de CONTRIBUIR, salvo o incômodo (cada dia maior) de ver como o mundo está repleto de profissionais preguiçosos, folgados, oportunistas, beirando ao "analfabetismo funcional"! 

Não consigo fingir que não percebo certos abusos... nem quero aprender! De boa! Muitas vezes até me estresso mais do que gostaria, mas tais pessoas são como um câncer, que se alastra rapidamente se não forem contidas, combatidas. Faço parte do grupo de combate, da resistência, com muito orgulho, e isso, para quem me conhece, não é de hoje! 

Tanta gente por lá pedindo mais do que "filho de cego" e sem contribuir com nada, muitas vezes nem com um "obrigado(a)", tratando colegas que participam como "escravos", cobrando gabarito (como acontece também aqui no blog, diga-se de passagem), pedindo pra mandar por e-mail algo que poderia facilmente baixar, pedindo para escanear livros que não querem comprar (e o salário até dá, pois sou a prova cabal disso!) e pior: não leem o que está escrito nas postagens... Tudo isso já seria deprimente vindo de qualquer usuário da Língua, mas piora ainda mais vindo de professores de Língua Portuguesa, aqueles que, muitas vezes, reclamam do desinteresse do aluno, da preguiça do mesmo, do "copie e cole" mecanicamente, do colocar o nome no trabalho sem nem saber do que se trata, da falta de leitura, etc, etc, etc... São tantas as queixas, inúmeras, mas vai ver a causa é uma só: os alunos estão tendo "bons" professores quanto a tudo isso!

Não me silencio diante disso, doa em quem doer, e hoje parece que doeu muito nos FOLGADOS, que não queriam perder a "boquinha", of course! Previsível. Eles são muitos. E alguns beeeem cara de pau, ô! E aí vem o que não dá pra aturar: o certo passa a ser o errado e o errado se vitimiza tanto que passa a ser o coitadinho... Ai, meu Deus, que dó, né? Mas levar pra casa ninguém quer... nem quereria que fosse professor do filho, do sobrinho, do neto... mas eles estão por toda a parte! M-E-D-O!

Aí vem gente desinformada falando do que não sabe porque não viu, porque não acompanha nada, ou que prefere a confortável e pacífica cegueira (pois como enxergar às vezes dói, né? Mas como também libeeeeeeerta!), seguida de gente que julga as pessoas por elas... que enxerga nos outros um oportunismo que está transbordando dela mesma... e que tenta ocultar a verdade, por mais que ela grite, e fora que a "carapuça" entrou tooooooda, pelo visto! Dizer a verdade agora é tumultuar ou polemizar... kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk


E foi por isso que eu saí: para deixar os "folgados" em paz... Às vezes faz bem! Ando preferindo ter paz a ter razão... e a razão eu tenho na minha consciência e isso me basta! Esse mundo mascarado não vai me mudar, não vai alterar a minha visão de mundo nem meu senso de justiça, não vai, de forma alguma, me tornar mais uma hipócrita. Isso nunca!

E pro autor do recado acima, um FOLGADO sim (ele saberá que é pra ele, certeza!), eu deixo apenas um recado: este blog já existe há aaaaaanos, recebe em torno de 1000 visitas por dia, até mesmo quando eu não o atualizo, ou seja, é um sucesso e foi até indicado pela SEEDUC! Então acha mesmo que eu precisava de "carona" de grupo que tem milhares de figurantes exploradores de uns poucos que, de fato, produzem e amam o que fazem?!? Pelo amor de Deus!!!! Recolha-se à sua insignificância e continue lá, apagadinho, no anonimato, SUGANDO as atividades, muitas delas, aliás, compartilhadas por mim... e continuarão por aqui! Sabe por quê? Porque eu ADORO produzir material e trocar. Faço por prazer, sem ganhar nada com isso, a não ser a gratidão de muitos colegas! E quem é você?!? Fique à vontade! Sou tão boazinha que saí do grupo para que você ficasse... bem à vontade... pois PRECISA mais de lá do que eu!

No mais, podem acabar com as flores, mas nunca acabarão com a primavera. E eu tento ser toda PRIMAVERA, o tempo todo, aqui, lá, por onde passo... pois passo com empatia e meiguice por quem merece (sentirei falta de alguns colegas de lá, que trocavam, de verdade, e que me enchiam de orgulho e me faziam ter esperança, mas espero que eles pintem por aqui... serão sempre bem-vindos!!!); porém, também aponto as ervas daninhas e combato as SANGUESSUGAS, desmascarando-as e entrego pro Universo, pois ele sim se encarrega do resto. Gente recalcada se lasca sozinha... É isso!!!! É vida que segue...  ;-)

sexta-feira, 31 de agosto de 2018

Sobre a (minha) arte de pagar mico...

Não sei se isso costuma acontecer muito com vocês, mas eu me considero a "rainha dos micos" e das situações embaraçosas e/ou hilárias! Parece que atraio! Tuuuuudo acontece comigo, e em sala de aula, claro, não poderia ser diferente!

Esta semana, por exemplo, preparei uma apostila para as minhas turmas, com o tema "Ambiguidade", e lá fui eu, toda animada! As aulas estavam bem divertidas, leves, lúdicas, com todo mundo participando... até que, em uma imagem, um aluno cismou de observar algo que ninguém havia observado. Nem eu! E olha que eu me considero detalhista e boa observadora! 

A imagem em questão, para quem foi mordido(a) pela curiosidade, foi esta, que, até então, eu tinha achado perfeita (e divertida!) para exemplificar o assunto abordado, MAS...


Eis que o tal aluno, atento, mais até do que deveria, observou que tem uma cenoura posicionada em um lugar, bem, digamos, não muito apropriado! Aí que todo mundo foi reparar, inclusive eu, que não esperava, já que tirei de um site sério, o "Portal do Professor", então imagine se fosse de outro! Olha que situação! Eu mereço! A gargalhada foi geral! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Que isso nos sirva de lição, para ficarmos sempre atentos aos mínimos detalhes, por haver tanta mensagem subliminar, que deixamos, devido à correria ou à ingenuidade -- ou a ambas --, passar. Imagine se um certo candidato à presidência pega um acontecimento desses e vai para as redes sociais falando que eu sou a favor do "kit gay" e que essa atividade, na verdade, foi uma estratégia minha de incitar os alunos e tal...!!!! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk  Do jeito que a coisa anda...

E tal episódio também revela que, com bom senso, boa vontade, naturalidade e leveza, podemos transformar o que tinha tudo para dar errado em um bom momento para discutirmos sobre tantas outras coisas, já que tudo tem um porquê! 

Então deixo aqui o convite para que comentem se já passaram por alguma situação semelhante e como foi que saíram dela... Estou curiosa! Um abraço a todos! ;-) 

terça-feira, 5 de setembro de 2017

Nada de gabarito! Só para esclarecer uma coisinha...


Eu ia até ignorar, deixar pra lá, ou simplesmente deletar daqui do blog os comentários semelhantes a este acima, só que eles, infelizmente, têm sido beeeeeem frequentes, então resolvi escrever esta postagem a fim de esclarecer algumas coisas, apesar de já considerar muuuuuuito clara a minha postura na resposta dada a ele!  

Primeiro que não ganho NADA com este blog (além de muitas amizades feitas através dele e que faço questão de manter) e, se o atualizo, há anos, é por pura BOA VONTADE e desejo de trocar, de ajudar alguns colegas, dando ideias de atividades e afins. Parece pouco para alguns? Lamento! Arregace as mangas e faça melhor, do jeitinho que acha que tem valor! Quer gabarito? Encontre alguém que faça isso para você e PAGUE pelo serviço dessa pessoa, pois como dá trabalho, muito mais, aliás, do que a pessoa preguiçosa pensar ou ler um livro ou ver um filme em questão. 

Segundo: não faço gabarito nem para mim, até porque grande parte das questões é aberta, ou seja, cabem várias respostas, desde que se use o chamado BOM SENSO que, vale lembrar, não vem incluso no "salvador" gabarito! É algo exercitado, diariamente! 

Terceiro: é uma escolha MINHA, portanto, não fazer nem disponibilizar gabaritos aqui. PONTO. Nenhum recadinho, por mais lindinho, meigo e carinhoso que seja -- e que não é o caso deste em questão -- vai me convencer a mudar de ideia. Ainda mais quando ele vem mal escrito, em caixa alta (que na internet significa GRITAAAAAAAAAAAAR, revelando, assim, uma tremenda falta de educação, além da gritante cara de pau) e cheio de arrogância, o que é típico de uma pessoa folgada, abusada e invasiva, que gosta de exigir, mas que provavelmente não deve fazer nada de positivo na vida (ou será que também tem um blog?!?). Dá pena de pensar que tenho colegas desse nível, mais dependentes de gabarito do que muitos viciados em drogas! Precisam se tratar e conquistar a carta de alforria! Aposto que podem, se desejarem! 

Enfim, é isso! Não adianta insistir e, se pensa que atividades sem gabarito não têm valor, pode se esquecer, agora mesmo, do endereço deste blog! Combinado?!? Um abraço. Para todos -- até mesmo para os parasitas, folgados e pobres de espírito (que fiz questão de esconder o nome pra não dar IBOPE nem os famoso "quinze minutinhos de fama").

Deixo aqui, para finalizar, uma reflexão do Armandinho, personagem que eu simplesmente adoro:


sexta-feira, 5 de agosto de 2016

Atividade com a música "Românticos", do Vander Lee


Meu coração está partido, em mil pedaços, e sem ser hipérbole! Dor, muita dor, e de mãos dadas com uma imensa tristeza! Luto! Vander Lee se foi. A ficha não quer cair, de jeito nenhum. Luto contra essa triste realidade... em vão...

Então o jeito é dizer adeus a ele e deixá-lo vivo através de suas belíssimas canções, como esta, que amo trabalhar com meus alunos, quando explico Romantismo... Não conheço nenhuma definição mais bela nem mais profunda para explicar quem insiste em ser um ser romântico, ainda mais nos dias de hoje, em que tudo é tão efêmero, descartável, volúvel... 

Deixo aqui registrada a minha homenagem a esse grande cantor da MPB... Vai fazer uma puta falta! Descanse em paz, meu querido! Com todo o amor do mundo, da sua fã aqui!


Românticos

Românticos são poucos
Românticos são loucos, desvairados
Que querem ser o outro
Que pensam que o outro é o paraíso.

Românticos são lindos
Românticos são lindos e pirados
Que choram com baladas
Que amam sem vergonha e sem juízo.

São tipos populares
Que vivem pelos bares
E mesmo certos vão pedir perdão
Que passam a noite em claro
Conhecem o gosto raro
De amar sem medo de outra desilusão

Romântico é uma espécie em extinção
Romântico é uma espécie em extinção...

(Vander Lee) 

01) Localize, no texto, os adjetivos usados para caracterizar os românticos:

02) A partir dessa escolha de adjetivos, aponte quais aspectos da escola romântica foram escolhidos  para definir os românticos:

03) Uma das características dos românticos é a entrega amorosa. Isso está presente no texto? Justifique com exemplos:

04) Interprete o trecho “Conhecem o gosto raro / De amar sem medo / De outra desilusão“:

05) Ao afirmar que os românticos são uma “espécie em extinção” e se identificar com eles, o eu lírico assume uma atitude tipicamente romântica. Qual? Por quê? Você concorda com essa afirmação? Justifique sua resposta:

06) Por que uma pessoa mesmo estando certa pediria perdão? Você também é assim? Justifique-se:

07) Você se considera uma pessoa romântica? Por quê? Gosta de ser assim? Acha que isso é uma escolha? 

08) Que mensagem a canção lhe transmitiu? Comente:

segunda-feira, 11 de julho de 2016

Desabafando...


Acabei de ver essa imagem (inspiradora para uns e preocupante para outros) no mural do Facebook de um colega de luta, o Jeliel, e como me identifiquei! Como ela mexeu comigo, com o que eu sinto neste momento! 

Depois de participar de tantos atos esvaziados (e que deveriam estar LOTADOS, devido a tamanha insatisfação), como professora, como mãe de aluno da rede pública, como cidadã... a gente vai ficando meio descrente... mas só por alguns momentos... porque eu SEMPRE vou preferir plantar, semear, ainda que pareça louca para a maioria e às vezes até mesmo para mim; mesmo que eu saiba que estou cercada de gente mau caráter, mascarada, que torce para que eu falhe, enfraqueça, desanime, ou vire as costas para que possa agir, covardes que são! Sempre são! 

Não, não me deixo amedrontar... podem me cercar... colocar como alvo... tentar (inutilmente) me coagir. Não cedo! Se insistir dói, desistir dói mais ainda, embora às vezes eu reconheça que isso é necessário... e nem digo desistir... e sim mudar de tática, mudar de caminho... Sempre tratei sementes nos meus bolsos e no meu coração... e acredito SEMPRE na força que o BEM tem... e em DEUS também! 

(Andreia Dequinha) 

segunda-feira, 18 de abril de 2016

Muito orgulho desses jovens guerreiros!


Com a Educação da Rede Estadual do Rio de Janeiro em GREVE (e eu, claro, sou grevista, com muito orgulho), tem ocorrido muita pressão pra cima de todo mundo! Quanto desgaste! Muito triste todo ano confirmar o quão grande é o descaso dos governantes com a Saúde e com a Educação, especialmente. Com a Saúde, o povo até tenta cobrar mais, denuncia, já que é mais pro AGORA, mas a Educação... fica não em segundo plano, mas em último, e acham que pode se deixar pra amanhã, ou depois, pro ano que vem, pro outro, e por aí vai!!! 

Tenho dezoito anos de Estado e, neste tempo, fiz muito mais greve do que não fiz e é impressionante como todo mundo parece se voltar contra as nossas tão justas lutas... O governo (que já era de se esperar, obviamente!), os pais, os alunos, a mídia descaradamente comprada e que vomita uma série de mentiras para tentar denegrir a nossa imagem e proteger os políticos corruptos em troca de regalias! Vergonhoso e triste escambo!

Mas desta vez sinto algo bem diferente no  ar... e me alegro... Os pais se mostraram e têm se mostrado muito compreensivos, solidários, e os alunos então... Minha nossa!!! Já são mais de setenta escolas ocupadas por eles, que cuidam da escola, limpam, cozinham, promovem atividades culturais, provando que "quem ama (de verdade) cuida!". Estão dando aulas de organização e de CIDADANIA! E eles sabem bem de que lado estão! Já perceberam claramente o quanto a luta é justa, é NOSSA, e que há lições grandes demais para ficarem apenas dentro das salas de aulas. Como a greve também ensina! Como eu tenho aprendido com essa moçada! Como cada um deles tem me renovado a esperança! Como sou grata! Como eu me orgulho!

Cada ocupação me deixou, me deixa e me deixará emocionada... por ver que quando a gente cansa da luta vem essa galera e nos coloca mesmo pra descansar um pouco e assume a luta, assume o comando! Alguns pais também, que coisa linda! Quanto gás! Quanto apoio! Eu certamente, com essa idade, estaria lá, fazendo o mesmo, conforme aprendi com quase todos os professores guerreiros (e grevistas!) que passaram pela minha vida. E é impossível não explicitar uma emoção em especial: hoje ocuparam o "Miguel Couto", ou, vulgo, o ESTADUAL, escola em que estudei dos 5 aos 16 anos... e isso não só me encheu de alegria, como me fez trans-bor-dar!

Se quando eu olho pros políticos, em sua grande maioria, especialmente no grande circo que foi o dia da votação pro Impeachment da Dilma, no último domingo, eu sinto NOJO e VERGONHA, quando eu olho pra essa juventude corajosa, guerreira, parceira, justa, eu sinto muita ALEGRIA, EMOÇÃO e ORGULHO! Muito obrigada! É por vocês que eu ainda não desisti... é por vocês que eu insisto... resisto... porque vocês me representam! #ocupatudo

(Andreia Dequinha - professora que AINDA tem esperança no que faz, graças a vocês!) 

quarta-feira, 30 de março de 2016

Desabafando um pouquinho sobre GREVE


Queria conseguir, mesmo forçando a barra, rir da charge acima, mas não consigo, (in)felizmente. E não consigo não por ser desprovida de humor e da capacidade de fazer piada, pois sou expert nisso, garanto, mas... O momento é duro e crucial. Massacrante. Com a desvalorização tamanha da nossa profissão já estamos até "acostumados", embora não devêssemos, mas vermos os nossos poucos direitos sendo descaradamente roubados é demais, deprimente e triste! Todo santo dia me pergunto: A que ponto chegamos?!? Será que a coisa consegue, ainda, piorar?!? Ou será que já chegamos ao fundo do poço?!?

Que a dureza do atual momento não me roube, porém, a esperança de dias melhores tampouco me torne covarde ou temerosa em excesso e nem que me impeça de sonhar com um tempo em que o ladrão desista de assaltar o professor não por ele ser um ferrado e digno de pena, mas por reconhecer a sua importância para a sociedade e fazer com que se saia dali refletindo se vale a pena continuar no mundo do crime em busca de dinheiro e sem nenhuma dignidade. Aliás, que eu possa sonhar com um mundo sem ladrões, inclusive na politica! Já somos duramente assaltados por essa corja que finge que nos governa! E são muitos, mais perversos do que qualquer ladrãozinho de rua, de porta de banco, de loja! Não nos poupam! 

Agora mesmo estou aqui aflita porque tenho colegas lá na frente da ALERJ enfrentando gás de pimenta, tropa de choque, uma forte repressão dos seguranças da casa, como se fossem o quê? Bandidos? Não, são GUERREIROS, que lutam por mim, por todos nós, contra esse sistema que nos escraviza e pisoteia, sem nenhuma culpa. Um professor foi agredido, mas já foi medicado e está bem. Bem? Bom, dentro do possível. Aposto que a dor física é, ainda, "fichinha", perto da dor moral que ele está sentindo! Garanto! 

Que eu fique aqui orando, enquanto me recupero de uma Dengue, Zika, Chicungunya ou qualquer coisa que seja. É tudo o que eu posso fazer, por ora. Nenhuma doença, por pior que seja, dói mais do que acompanhar esses relatos tão tristes. É duro ver policial descendo o cacete no trabalhador explorado e desrespeitado tanto quanto ele! Queria que ele se rebelasse e fosse para o lado certo, que é o dele também, se consciente fosse! Enfim...

Não queria terminar esta minha postagem transbordando tristeza, preocupação, descrença, desânimo, nada disso! Então recorro à tirinha do Armandinho (que eu adoro!), e que ela acenda em mim -- e em todos nós -- a chama da ESPERANÇA de que possamos todos acordar e perceber, de uma vez por todas, que JUNTOS SOMOS FORTES! Só falta a gente se unir... só isso...! Será que é tão difícil assim?!? Mesmo?!? 


(Professora Andreia Dequinha, GREVISTA sim, com muito orgulho!)

terça-feira, 8 de março de 2016

Atividade sobre o texto "Oito de março", de Germana Zanettini


01) Justifique o título dado ao textículo acima:

02) Localize no texto os numerais e explique a importância deles para o contexto:

03) Transcreva do texto uma antítese, explicando seu raciocínio:

04) Que palavra encontra-se com um duplo sentido? Explique esses dois sentidos: 

05) Que mensagem o texto transmite? Comente: 

06) O que a charge a seguir tem a ver com o texto em questão? Justifique sua resposta: 



Aproveito esta atividade para fazer uma pergunta bem simples: Temos o que comemorar hoje?!? Sim, a minha resposta é SIM! Há o que se comemorar, pois são décadas e décadas de conquistas, de provações e resistindo bravamente a provocações também! Porém, ainda há muito mais a se conquistar... diariamente... 

Se eu sou contra o Dia Internacional da Mulher?!? Não, não chego a sê-lo, pois tenho orgulho de ser mulher e de tudo o que conquistei em uma sociedade extremamente machista, embora muito se negue. Fácil negar, difícil é fechar os olhos para esse problema denunciado na imagem acima. Difícil comemorar UM dia da Mulher, enquanto em todos os outros raramente esses problemas são discutidos, resolvidos, cessados. Queria comemorar não a existência de uma Lei Maria da Penha, mas o fato de não precisarmos nunca recorrer a ela para nos proteger.

Queremos o verbo APANHAR sendo empregado para TODAS e em TODOS OS DIAS apenas se referindo às flores... e nunca sentindo -- nem no corpo nem na alma -- esse verbo com outro sentido. Aí sim teremos MUITO a comemorar! Um beijo, queridas! 

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016

É grave... é greve!!!


Ainda bem que tudo está se transformando de forma constante, diariamente, o tempo todo. Detestaria que fôssemos sempre iguais, lineares, previsíveis. A mágica do ser humano está justamente em surpreender -- aos outros e a si mesmo. Não tenho nenhum medo de mudar de ideia... nunca... sou livre... eu tenho é medo (muito) é de ficar presa em mim mesma, preocupada com o que os outros vão pensar, e de não ter ideias para mudar. O resto é resto. Eu tenho esperança... ainda... por isso, desta vez, nada nem ninguém me impede, nem mesmo o medo: é GREVE!!! Sim, eu aderi à GREVE da rede estadual de ensino aqui do Rio de Janeiro. Chega de cruzar os braços e de parecer dizer SIM aos mandos e desmandos do Pezão!!! Vamos pra luta... e que seja o que Deus quiser!!!