segunda-feira, 29 de abril de 2019

Atividade sobre a crônica "Lixo", do Luís Fernando Veríssimo


Lixo

Encontraram-se na área de serviço. Cada um com seu pacote de lixo. É a primeira vez que se falam. 
-- Bom dia...
-- Bom dia.
-- A senhora é do 610.
-- E o senhor do 612.
-- É.
-- Eu ainda não o conhecia pessoalmente...
-- Pois é.
-- Desculpe a minha indiscrição, mas tenho visto o seu lixo...
-- O meu o quê?
-- O seu lixo. 
-- Ah...
-- Reparei que nunca é muito. Sua família deve ser pequena...
-- Na verdade, sou só eu. 
-- Mmmmmmmm. Notei também que o senhor usa muita comida em lata.
-- É que tenho que fazer minha própria comida. E como não sei cozinhar...
-- Entendo.
-- A senhora também...
-- Me chame de você. 
-- Você também perdoe a minha indiscrição, mas tenho visto alguns restos de comida em seu lixo. Champignos, coisas assim...
-- É que eu gosto muito de cozinhar. Fazer pratos diferentes. Mas, como moro sozinha, às vezes sobra...
-- A senhora... você não tem família?
-- Tenho, mas não aqui. 
-- No Espírito Santo. 
-- Como é que você sabe?
-- Vejo uns envelopes no seu lixo. Do Espírito Santo.
-- É. Mamãe escreve toda semana. 
-- Ela é professora?
-- Isso é incrível! Como foi que você adivinhou?
-- Pela letra no envelope. Achei que era letra de professora.
-- O senhor não recebe muitas cartas. A julgar pelo seu lixo...
-- Pois é...
-- No outro dia tinha um envelope de telegrama amassado.
-- É.
-- Más notícias?
-- Meu pai. Morreu.
-- Sinto muito. 
-- Ele já estava bem velhinho. Lá no Sul. Há tempos não nos víamos.  
-- Foi por isso que você recomeçou a fumar?
-- Como é que você sabe?
-- De um dia para o outro começaram a aparecer carteiras de cigarro amassadas no seu lixo. 
-- É verdade. Mas consegui parar outra vez. 
-- Eu, graças a Deus, nunca fumei. 
-- Eu sei. Mas tenho visto uns vidrinhos de comprimido no seu lixo...
-- Tranquilizantes. Foi uma fase. Já passou. 
-- Você brigou com o namorado, certo?
-- Isso você também descobriu no lixo?
-- Primeiro, o buquê de flores, com o cartãozinho, jogado fora. Depois, muito lenço de papel...
-- É, chorei bastante, mas já passou.
-- Mas hoje ainda tem uns lencinhos...
-- É que estou com um pouco de coriza.
-- Ah.
-- Vejo muita revista de palavras cruzadas no seu lixo.
-- É. Sim. Bem. Eu fico muito em casa. Não saio muito. Sabe como é.
-- Namorada?
-- Não. 
-- Mas há uns dias tinha uma fotografia de mulher no teu lixo. Até bonitinha. 
-- Eu estava limpando umas gavetas. Coisa antiga. 
-- Você não rasgou a fotografia. Isso significa que, no fundo, você quer que ela volte. 
-- Você já está analisando o meu lixo! 
-- Não posso negar que o seu lixo me interessou. 
-- Engraçado. Quando examinei o seu lixo, decidi que gostaria de conhecê-la. Acho que foi a poesia.
-- Não! Você viu meus poemas?
-- Vi e gostei muito. 
-- Mas são muito ruins! 
-- Se você achasse eles ruins mesmo, teria rasgado. Eles só estavam dobrados. 
-- Se eu soubesse que você ia ler...
-- Só não fiquei com eles, porque, afinal, estaria roubando. Se bem que não sei: o lixo da pessoa ainda é propriedade dela? 
-- Acho que não. Lixo é domínio público. 
-- Você tem razão. Através do lixo, o particular se torna público. O que sobra da nossa vida privada se integra com a sobra dos outros. O lixo é  comunitário. É a nossa parte mais social. Será isso?
-- Bom, aí você já está indo fundo demais no lixo. Acho que...
-- Ontem, no seu lixo...
-- O quê?
-- Me enganei, ou eram cascas de camarão?
-- Acertou. Comprei uns camarões graúdos e descasquei.
-- Eu adoro camarão.
-- Descasquei, mas ainda não comi. Quem sabe a gente pode...
-- Jantar juntos?
-- É.
-- Não quero dar trabalho. 
-- Trabalho nenhum. 
-- Vai sujar a sua cozinha. 
-- Nada. Num instante se limpa e põe os restos fora. 
-- No seu lixo ou no meu? 
(Luís Fernando Veríssimo)

01) O título e o tema têm relação? Justifique sua resposta:

02) Que outro título você daria a esse texto?

03) O texto é praticamente formado, todo ele, por diálogo. Como foi possível chegar a essa conclusão?

04) Quem são as protagonistas? Por que tais personagens não têm nome? O que isso possibilita?

05) As personagens moravam no mesmo andar do prédio. Elas já se conheciam pessoalmente? Justifique com uma passagem do texto:

06) Como as personagens sabiam tanto uma da outra? Justifique com uma passagem do texto:

07) Enumere os objetos do lixo de cada personagem e explique os indícios dopadrão de comportamento do homem e da mulher na nossa sociedade: 

08) Cada personagem possuída uma espécie de "muleta" para os momentos difíceis. Quais eram esses momentos e suas respectivas "muletas"? 

09) Encontre uma relação entre o sentido da palavra MULETA (dicionarizado) e o empregado na mesma palavra no texto (conotativo):

10) O lixo, no texto, pode ser visto como uma metáfora. Justifique tal afirmativa:

11) "... o lixo da pessoa ainda é propriedade dela?". Reveja a situação em que a pergunta foi feita no texto e dê a sua opinião sincera: 

12) "Você já está analisando o meu lixo!", disse o rapaz em determinado momento. Pouco depois, ele faz uma "análise" do lixo da moça. O que ele analisa? Você concorda com ele?

13) Se considerarmos o lixo como uma metáfora, o que significaria uma pessoa "apaixonar-se pelo lixo da outra"? Justifique sua resposta:

14) Use 5 adjetivos para caracterizar o homem e mais 5 adjetivos para caracterizar a mulher: 

15) Sinceramente, você acha que há alguma possibilidade de a situação narrada no texto ocorrer na vida real? Por quê? 

16) Podemos afirmar que o texto é uma crônica? Por quê? 

17) O objetivo do texto em questão é mostrar que:

(A) o lixo é importante.
(B) o lixo retrata seu dono.
(C) mexer no lixo é uma atitude saudável.
(D) o lixo é domínio público. 

18) Em que pessoa é feita a narração? Comprove com uma passagem do próprio texto:

19) Observe como o autor estruturou o texto e explique qual é o papel do narrador:

20) Além de um conhecimento mútuo, o que mais o lixo proporcionou aos dois? 

21) Podemos afirmar que há ironia na passagem "Bom, aí você já está indo fundo demais no lixo"? Explique: 

22) O texto mostra a solidão de duas pessoas. Você acha que nas cidades grandes elas são mais solitárias? Por quê? 

23) Quem você sentiu que começou a provocar uma situação favorável à paquera: ele ou ela? O que isso revela? Comente:

24) Em nenhum momento do texto, o autor descreve suas personagens. Como você imagina que elas são? Descreva-as de acordo com a sua imaginação:

25) Releia a última frase do texto. O que ela sugere ou insinua? 

26) Existe no texto algum desvio gramatical? Se sim, copie e faça a devida adequação: 

27) Explique a brincadeira proposta no trecho "No seu lixo ou no meu?": 

28) Como você se sentiria com alguém analisando o seu lixo? Comente: 

29) Que mensagem o texto lhe transmitiu? 

30) Crie um final bem criativo e interessante para o texto, dizendo se aconteceu ou não o tal jantar com os camarões, como foi... e não se esqueça de manter a estrutura do texto (em forma de diálogo):

31) Transforme o texto em uma HQ (História em Quadrinhos)! Capriche! 

22 comentários:

  1. Ótima atividade.
    Você teria disponível o gabarito?
    Poderia enviar ao meu e-mail?
    Keyllamotta1000@hotmail.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada! Infelizmente não tenho o hábito de elaborar gabarito, ainda mais porque são questões abertas, com várias possibilidades. Gabarito engessa e limita demais. E fora que não teria tempo de ficar enviando por e-mail de cada um que pede. Obrigada pela compreensão! Um abraço!

      Excluir
  2. Respostas
    1. Muito obrigada pela visita, querida! Volte sempre! A casa é sua!

      Excluir
  3. Vc tem as questões em PDF 😚

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Infelizmente não tenho e, se tivesse, também não teria tempo, devido à correria imensa, de ficar enviando! Desculpe! Já é uma doideira conseguir disponibilizar aqui e tentar ajudar os colegas...

      Excluir
  4. Adoro essa crônica e as atividades estão muito boas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tb gosto demais dela! E fico feliz que vc tenha vindo aqui me visitar e que gostou das atividades! Volte sempre! A casa é sua!

      Excluir
  5. Olá,
    sou professora no RS. Adorei o teu trabalho. Parabéns!
    Por acaso, teria algo sobre o livro "O jardim do Diabo"?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Fabi, tudo bem? Muito prazer e obrigada pela visita!
      Valeu pelo carinho! Que bom que gostou! E infelizmente não tenho nada sobre tal livro não, que ainda não li. De quem é a autoria, por favor? Beijinhos.

      Excluir
  6. Que delícia de atividades Andreia! Parabéns por compartilhar.

    ResponderExcluir
  7. Apaixonada pelo seu trabalho!
    Parabéns pelas atividades!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada, colega! Fico muitíssimo feliz com esse retorno! Beijos!

      Excluir
  8. Que belo trabalho! Vou preparar para meus alunos. Parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou e tomara que seus alunos gostem tanto quanto os meus!

      Excluir

Obrigada pela visita!!! Volte sempre!!!