segunda-feira, 25 de junho de 2018

Atividade sobre o texto "A Tecnologia", de Nacélio Simoa

A Tecnologia

Acordei cedo. Sem o que fazer naquela manhã, resolvi ir à praça da minha localidade. Antes, um espaço sem construção, cavalos amarrados  nas estacas esperando seus donos que assistiam à missa. Hoje, observava o pouco movimento da comunidade, alguns poucos carros, motos e pássaros que insistiam em alegrar aquela manhã nos pés de cajueiros. 
Com o vento lambendo meu rosto e um calor de mil graus em plena manhã, percebi que um casal de idosos acabara de sentar naquele banco quase quebrado. Acho que esperavam algum transporte para ir à cidade, já que precisamos nos deslocar do nosso pacato lugar para resolvermos nossos problemas. 
Ele parecia meio que revoltado, algo o intrigava. Aproximei-me sem despertar sua atenção, descobri que falava de internet. Não era bem essa palavra que ele fazia uso, mas desvendei que esse era o assunto. Ele dizia para aquela senhora que ouvia suas inquietações:
-- Esse povo de hoje só vive nesse tal de Facebook.
-- Verdade. A minha neta ganhou de presente um celular e agora não faz outra coisa, senão cutucar aquele troço. Não gosto disso! Falou aquela senhora. 
Entre tantas conversas naquele banco da praça, o senhor então resolveu amenizar o tom do diálogo:
-- Me recordo da Dona Toinha que comprou uma televisão e resolvi ir a sua casa para vê-la depois de tantas conversas na vizinhança sobre a novidade. Saí correndo desesperado tropeçando os pés no batente da porta da casa quando a vi funcionar. 
-- É o ônibus! 
-- Vamos então. 
-- O importante é valorizar e respeitar esta nova tecnologia, afinal, não podemos fazer nada para detê-la, apesar dela tanto nos ajudar. 
-- Cuidado com o batente, não vá bater o pé de novo! 
-- Claro que não! 
Aquela cena chamou minha atenção, pois percebi como a tecnologia influencia diretamente na vida das pessoas, jovens ou idosos.E se você, leitor, gostou do meu texto e se interessou por ele, posso te enviar pelo e-mail, afinal, hoje tudo depende apenas de um clique. 

(Nacélio Simoa)

01) Justifique o título do texto acima, aproveitando para sugerir um outro:

02) Qual é o assunto do texto? Justifique sua resposta:

03) Que estratégia o autor utiliza para se aproximar do leitor? Comprove com uma passagem do texto:

04) Copie do texto uma hipérbole, explicando seu raciocínio: 

05) Posicione-se sobre a passagem destacada no texto, argumentando bem: 

06) Diga qual é a transitividade do verbo destacado no primeiro parágrafo do texto, explicando bem: 

07) Transcreva do texto um exemplo de discurso direto, convertendo em discurso indireto: 

08) Copie uma passagem do texto contra a tecnologia e uma a favor, dizendo com qual delas você se identifica mais: 

09) Que mensagem o texto transmite? Comente: 

domingo, 24 de junho de 2018

Atividade sobre o filme "O Leitor" (2 h 4 min)


Sinopse: Na Alemanha pós-guerra, o adolescente Michael Berg inicia um relacionamento apaixonado por Hanna Schmitz, uma mulher que tem o dobro da sua idade. Apesar das diferenças de classe, os dois vivem uma bonita história de amor. Um dia Hanna desaparece misteriosamente, deixando Michael com o coração partido. Anos mais tarde, ele, que agora é estudante de Direito, se surpreende ao reencontrar Hanna em um polêmico julgamento por crimes de guerra cometidos pelos nazistas. (Duração: 2 h 4 min)

Acabei de assistir a esse filme e fiquei en-can-ta-da! Apesar das cenas de nudez, pretendo levar para os meus alunos qualquer dia. Chorei em muitos momentos! Cada um mais lindo e intenso que o outro! E acabei me empolgando e criando algumas questões sobre ele. Espero que gostem! 

01) Qual foi a importância de Hanna na vida de Michael e dele na vida dela, assim que se conheceram?

02) Em que momento começou a despertar o interesse dela nele? E o dele nela? Comente: 

03) Por que ela preferia que ele lesse para ela? Isso ainda predominava depois que ela finalmente aprendeu a ler? Comente:

04) Comprove, citando partes do filme, que ela, de fato, não sabia ler: 

05) Como e quando, afinal de contas, ela aprendeu a ler? 

06) Apesar da grande diferença de idade entre os protagonistas, você acha que isso seria um obstáculo para continuarem juntos? Justifique sua resposta, mencionando alguns momentos do filme:

07) Qual a importância da menina Sofia para mudar o rumo da história entre Michael e Hanna? Explique: 

08) Por que houve um momento de tensão entre os dois no dia do aniversário de Michael e da promoção dela no serviço? O que isso revelou? 

09) Por que, afinal de contas, Hanna resolveu sair da vida de Michael? Você concorda com isso? O que teria feito no lugar dela? E no lugar dele?

10) Por que Hanna não assumia que não sabia ler nem escrever? O que você pensa a respeito disso? 

11) Por que Hanna caprichou tanto ao dar banho em Michael no dia do aniversário dele? 

12) Que presente Michael resolveu dar à Hanna na cadeia? Que efeito isso causou nela? E nele?

13) Por que Michael nunca se abriu com ninguém e ficava distante, inclusive de sua filha Julia? Você acha que ele tinha motivos para isso? 

14) O que foi a "Marcha da Morte"? Já ouviu falar sobre isso? Como Hanna escolhia, ao contrário das demais guardas, as vítimas? O que ela pedia às prisioneiras? O que isso revela? 

15) Por que Hanna resolveu assumir uma culpa que não era dela? Você acha que ela foi, na verdade, culpada ou inocente? Comente:

16) No lugar de Michael, você falaria a favor de Hanna no tribunal, na época do julgamento? Por quê? Por que, afinal, ele não o fizera? Você achou essa atitude correta?

17) Por que você acha que Hanna preferiu se suicidar e justo quando sairia da prisão, depois de cumprir sua pena? 

18) Qual a importância da obra "A dama do cachorrinho" para a história?

19) Justifique o título do filme, aproveitando para dar um outro: 

20) O que poderia ter acontecido se Hanna não tivesse se matado? Eles ficariam juntos, na sua opinião? Justifique sua resposta:

21) Você acha que o analfabetismo é algo assim tão vergonhoso quanto Hanna via? Comente:

22) Por que a sobrevivente não quis o dinheiro que Hanna deixou e apenas a latinha que o continha? O que isso significa?

23) Qual a intenção de Hanna ao enviar esse "presente" após a sua morte? Ela conseguiu o que queria, na sua opinião? 

24) Posicione-se sobre essa afirmação da Hanna: "Não importa o que e pense ou o que eu sinta. Os mortos estão mortos": 

25) O que a morte de Hanna significou para o Michael e para a sua relação com sua filha? O que isso revela? 

26) Que mensagem o filme lhe transmitiu, como um todo? 

segunda-feira, 18 de junho de 2018

Atividade sobre a música "Formato mínimo", do Skank


Formato mínimo

Começou de súbito
A festa estava mesmo ótima
Ela procurava um príncipe
Ele procurava a próxima

Ele reparou nos óculos
Ela reparou nas vírgulas
Ele ofereceu-lhe um ácido
E ela achou aquilo o máximo

Os lábios se tocaram ásperos
Em beijos de tirar o fôlego
Tímidos, transaram trôpegos
E ávidos, gozaram rápido

Ele procurava álibis
Ela flutuava lépida
Ele sucumbia ao pânico
E ela descansava lívida

medo redigiu-se, ínfimo
E ele percebeu a dádiva
Declarou-se dela, o súdito
Desenhou-se a história trágica

Ele, enfim, dormiu apático 
Na noite segredosa e cálida
Ela despertou-se tímida
Feita do desejo à vítima

Fugiu dali tão rápido
Caminhando passos tétricos
Amor em sua mente épico
Transformado em jogo cínico

Para ele, uma transa típica
O amor em seu formato mínimo
O corpo se expressando, clínico
Da triste solidão, à rubrica 

(Skank)

01) Justifique o título da música:

02) Qual a diferença do desejo do homem e da mulher? O que você pensa a respeito disso? 

03) O que a palavra "aquilo", em negrito na segunda estrofe, significa?

04) Qual a transividade do verbo presente na passagem "Ela procurava um príncipe"? Justifique sua resposta:

05) E qual é a transividade do verbo que se encontra no verso "Ele reparou nos óculos"? Explique:

06) Pelo texto, o que costuma interessar à mulher? E ao homem? Comprove com passagens da canção:

07) Qual o predicado do período "Os lábios se tocaram ásperos"? Classifique-o, justificando seu raciocínio: 

08)  Que mensagem a canção transmite? Comente: 


09) Diga a que classe gramatical pertence cada palavra sublinhada na música:

sábado, 16 de junho de 2018

Dica de Jogo educativo - "Diga tudo com três palavras"



Ontem utilizei com as minhas turmas, pela primeira vez, esse joguinho "Diga tudo com três palavras", do Paulo Tadeu, que já comprei faz um tempo pela internet! E foi muito proveitoso! Como nos divertimos! Quantas risadas! Quanta animação! E em plena sexta-feira chuvosa... 

Então quem foi mesmo que disse que não dá pra reforçar a criatividade, o poder de síntese e o improviso ao lidar com situações hipotéticas através do lúdico e do bom-humor, hein?!? Isso é possível sim e recomendo muuuuuito o uso desse recurso, principalmente para turmas bem desanimadas, apáticas, descompromissadas! É uma ótima forma de "fisgá-las"!

Você pode jogar de várias maneiras, mas eu optei por fazer as 50 perguntas oralmente, de uma a uma, e cada aluno ia respondendo no próprio caderno, sem muito tempo para pensar. Quando fizemos a última pergunta, eu voltei a ler cada uma delas e eles iam respondendo o que haviam colocado, na ordem. Pelo menos cinco alunos tinham que explicitar a sua resposta, quando achavam mais criativa e tal! A turma escolhia a melhor resposta e o autor dela ia ganhando um pontinho! Quem acumulou mais respostas interessantes ganhou um ponto na média, como prêmio, sendo que o maior e melhor prêmio, na verdade, foi poder contar com a animação de todos! Show de bola! Experimentem!

Algumas das perguntinhas: "Você perdeu tudo que tinha na vida e foi morar embaixo da ponte. O que você diz?", "Você pediu um presente para o Papai Noel, mas ele trouxe um que não tem nada a ver. Quais são suas palavras para ele?", "Como você pediria um abraço?", "É a primeira vez que você vai a casa de alguém e a descarga quebra enquanto você está no banheiro. O que você diz ao dono da casa?", "Seu vizinho deixou o cachorro com você enquanto saía de férias, mas o animal morreu por um descuido seu. Como explicar isso?" e muitas outras!

E para quem está me perguntando onde comprar, aqui está uma possibilidade: SARAIVA! Vale super a pena o pequeno investimento, viu!!! Garanto!!! 

segunda-feira, 11 de junho de 2018

Atividade sobre o texto "Receita para fazer um herói", de Reinaldo Ferreira

Receita para fazer um herói

Tome-se um homem feito de nada
Como nós em tamanho natural
Embeba-se lhe a carne
Lentamente
De uma certeza aguda, irracional
Intensa como o ódio, ou como a fome.
Depois perto do fim
Agite-se um pendão
E toque-se o clarim.
Serve-se morto.

(Reinaldo Ferreira)

01) Que elementos do texto fazem lembrar uma "receita", como diz o título?

02) Segundo o eu lírico, qual é o "ingrediente" que pode transformar um ser humano em herói? Por quê? 

03) Você concorda com essa ideia? Acha que é assim mesmo que fazem "heróis"? 

04) Copie do texto uma comparação, explicando-a: 

05) Localize no texto:

a) um pronome pessoal:
b) um adjetivo, dizendo a que substantivo ele se refere:
c) um artigo definido:
d) um advérbio de modo:
e) uma conjunção alternativa:
f) um advérbio de tempo:
g) um advérbio de lugar: 

Atividade sobre o texto "Velha infância", do Mário Quintana

Velha infância

Era uma vez um homem que estava pescando, Maria. Até que apanhou um peixinho! Mas o peixinho era tão pequenininho e inocente, e tinha um azulado tão indescritível nas escamas, que o homem ficou com pena. E retirou cuidadosamente o anzol e pincelou com iodo a garganta do coitadinho. Depois guardou-o no bolso traseiro das calças, para que o animalzinho sarasse no quente. E desde então, ficaram inseparáveis. Aonde o homem ia, o peixinho o acompanhava, a trote, que nem um cachorrinho. Pelas calçadas. Pelos elevadores. Pelo café. Como era tocante vê-los no “17”! – o homem, grave, de preto, com uma das mãos segurando a xícara de fumegante moca, com a outra lendo o jornal, com a outra fumando, com a outra cuidando do peixinho, enquanto este, silencioso e levemente melancólico, tomava laranjada por um canudinho especial...
Ora, um dia o homem e o peixinho passeavam à margem do rio onde o segundo dos dois fora pescado. E eis que os olhos do primeiro se encheram de lágrimas. E disse o homem ao peixinho:
“Não, não me assiste o direito de te guardar comigo. Por que roubar-te por mais tempo ao carinho do teu pai, da tua mãe, dos teus irmãozinhos, da tua tia solteira? Não, não e não! Volta para o seio da tua família. E viva eu cá na terra sempre triste!...”
Dito isso, verteu copioso pranto e, desviando o rosto, atirou o peixinho n’água. E a água fez redemoinho, que foi depois serenando, serenando... até que o peixinho morreu afogado...


(Mário Quintana)

01) Com quem o texto fala? Como você descobriu isso?

02) Localize no texto 4 (quatro) palavras no diminutivo, dizendo a importância disso para o contexto:

03) Justifique o emprego da palavra "Aonde", destacada no texto:

04) Para criar um efeito cômico no texto, o narrador descreve o homem com muitas mãos. Quantas são? Copie o trecho que lhe deu essa dica:

05) Podemos dizer que o texto é um bom exemplo de narração? Por quê?

06) Justifique o título do texto, aproveitando para dar um outro:

07) Existem passagens descritivas no texto? Como você percebeu isso?

08) "O peixinho silencioso e levemente melancólico tomava laranjada por um canudinho especial". Melancolia = estado de tristeza, de depressão. Por que razão um peixe estaria melancólico? Explique:

09) No final do texto, aparentemente, há um grande absurdo: o peixe morre afogado! Na sua opinião, como isso pôde acontecer? Explique bem:

10) Podemos afirmar que o texto é uma espécie de carta? Para quem é contada essa "velha história"? O que ela seria do narrador? Ela teria acreditado ou não no que ele contou? E você? Acreditaria? 

11) Baseando-se nessa história, explique o que significa dizer que uma pessoa está se sentindo "um peixe fora d´água": 

12) Que lição você pôde extrair do texto lido? Comentte:

13) Sua missão agora é criar uma linda e cheia de detalhes HQ sobre o texto: 

Atividade "Liberte um poema" ou "Libere um texto"



Ainda não coloquei em prática tal atividade, mas pretendo fazer muito em breve, pois achei fantástica, sem falar que pode ser feita em qualquer série! Concordam?!? Vi a ideia em um grupo de professores, no Facebook, e já me interessei! Você vai precisar apenas de uma gaiola, bem enfeitadinha, repleta de poemas legais dentro dela, para que cada aluno possa tirar um para começar a sua aula, por exemplo, ou deixar na biblioteca, ou, ainda, fazer parte de algum projeto de leitura! 

Dá, ainda, para adaptar e fazer também com textos variados, se você preferir, batizando de "Libere um texto", convidando o aluno a retirar um da gaiola para apreciá-lo! O que me diz?!? Vamos colocar em prática com as nossas turmas?!? 

quarta-feira, 6 de junho de 2018

Atividade sobre a crônica "É menina", de Gregório Duvivier



É menina

É menina, que coisa mais fofa, parece com o pai, parece com a mãe, parece um joelho, upa, upa, não chora, isso é choro de fome, isso é choro de sono, isso é choro de chata, choro de menina, igualzinha à mãe, achou, sumiu, achou, não faz pirraça, coitada, tem que deixar chorar, vocês fazem tudo o que ela quer, isso vai crescer mimada, eu queria essa vida pra mim, dormir e mamar, aproveita enquanto ela ainda não engatinha, isso daí quando começa a andar é um inferno, daqui a pouco começa a falar, daí não para mais, ela precisa é de um irmão, foi só falar, olha só quem vai ganhar um irmãozinho, tomara que seja menino pra formar um casal, ela tá até mais quieta depois que ele nasceu, parece que ela cuida dele, esses dois vão ser inseparáveis, ela deve morrer de ciúmes, ele já nasceu falante, menino é outra coisa, desde que ele nasceu parece que ela cresceu, já tá uma menina, quando é que vai pra creche, ela não larga dessa boneca por nada, já podia ser mãe, já sabe escrever o nomezinho, quantos dedos têm aqui, qual é a sua princesa da Disney preferida, quem você prefere, o papai ou a mamãe, quem é o seu namoradinho, quem é o seu príncipe da Disney preferido, já se maquia dessa idade, é apaixonada pelo pai, cadê o Ken, daqui a pouco vira mocinha, eu te peguei no colo, só falta ficar mais alta que eu, finalmente largou a boneca, já tava na hora, agora deve tá pensando besteira, soube que virou mocinha, ganhou corpo, tenho uma dieta boa pra você, a dieta do ovo, a dieta do tipo sanguíneo, a dieta da água gelada, essa barriga só resolve com cinta, que corpão, essa menina é um perigo, vai ter que voltar antes de meia-noite, o seu irmão é diferente, menino é outra coisa, vai pela sombra, não sorri pro porteiro, não sorri pro pedreiro, quem é esse menino, se o seu pai descobrir, ele te mata, esse menino é filho de quem, cuidado que homem não presta, não pode dar confiança, não vai pra casa dele, homem gosta é de mulher difícil, tem que se dar valor, homem é tudo igual, segura esse homem, não fuxica, não mexe nas coisas dele, tem coisa que é melhor a gente não saber, não pergunta demais que ele te abandona, o que os olhos não veem o coração não sente, quando é que vão casar, ele tá te enrolando, morar junto é casar, quando é que vão ter filho, ele tá te enrolando, barriga pontuda deve ser menina, é menina.
(Gregório Duvivier)


01) Contrariando todos os manuais de redação, o texto acima é composto por um único (e enorme) parágrafo. Qual o efeito de sentido produzido por essa escolha?

02) Há no texto palavras que indicam o registro oral, característico das conversas do dia a dia. Transcreva alguns exemplos:

03) Como toda crônica, o texto reflete sobre um olhar do escritor a respeito de fatos do dia a dia. O que chamou a atenção do autor e qual parece ser a visão dele sobre o assunto? Comente:

04) No trecho “homem gosta é de mulher difícil, tem que se dar  valor”, o que significa a expressão destacada nesse contexto? Você concorda com tal afirmação? Explique:

05) Explique a tirinha abaixo e a associe, de alguma forma, ao texto lido:
  


06) O texto é composto por muitos “pitacos”. O que isso significa? Você é uma pessoa influenciável pela opinião dos outros? Gosta de dar opiniões sobre a vida alheia?  Comente:

07) Identifique, no próprio texto, os trechos que revelam mudanças de idade da menina, ou seja, suas várias fases, como infância, adolescência, fase adulta:

08) Copie do texto passagens que podem ser consideradas machistas, dizendo qual a intenção do autor ao acrescentá-las ao texto:

09) Segundo o texto, quais as principais diferenças entre homem e mulher, na sociedade? O que você pensa a respeito desses estereótipos? Explique:

10) Transcreva do texto uma passagem que comprove como os padrões de beleza exigidos pela sociedade afeta a vida das meninas:

11) Qual o provável objetivo do autor ao recorrer a  um ciclo vicioso, ou seja, ao terminar o texto exatamente da mesma forma como ele foi começado? Justifique sua resposta:

12) Por que o ponto final só aparece no final do único parágrafo existente no texto e todas as frases aparecem separadas apenas por vírgulas?

13) Que outro título você daria ao texto? Por quê?

14) Que mensagem o texto lhe transmitiu? Comente:

15) Que tal você tentar reescrever o texto de forma a pontuá-lo de forma tradicional, conforme manda a gramática? Depois compare ambos os textos (o original e a reescritura), fazendo uma pequena análise do que foi mantido e do que se perdeu:

16) Ao seu ver, qual dos dois textos foi mais expressivo? Por quê?

17) Se o texto fosse referente a um menino, por exemplo, como seriam as colocações? Reescreva-o, alterando-o para “É menino”, fazendo as devidas alterações:

  (Parceiras: Sandra Vitezi, Christiane Sheyla, Sandra Curvelo, Else, Maria Aparecida e Zizi)