terça-feira, 31 de outubro de 2017

Atividade com o poema "Seiscentos e sessenta e seis", do Mário Quintana

Seiscentos e sessenta e seis 

A vida é uns deveres que nós trouxemos para fazer em casa.
Quando se vê, são 6 horas: tempo...
Quando se vê, já é sexta feira...
Quando se vê, passaram sessenta anos...
Agora, é tarde demais para ser reprovado...
E se me dessem -- um dia -- uma outra oportunidade,
eu nem olhava o relógio
seguia sempre, sempre em frente... 
E iria jogando pelo caminho a casca dourada e inútil das horas...

(Mário Quintana)

01) A que o eu lírico compara implicitamente a vida?

02) Você vê semelhanças nesses dois termos da comparação? Quais?

03) Como se pode interpretar o verso "Agora, é tarde demais para ser reprovado..."? 

04) Levando em conta o contexto, dê uma interpretação ao último verso: 

05) Que sentimentos o poema sugere em relação ao passar davida?

06) Que trecho do poema se relaciona mais estreitamente ao título?

07) Que ideia é reforçada pela repetição da estrutura "Quando se vê"? Que tipo de figura de linguagem está ali presente? 

08) Que mensagem o poema lhe transmitiu? 

09) Classifique morfologicamente cada palavra destacada no poema: 

quarta-feira, 25 de outubro de 2017

Atividade sobre Intertextualidade, com obras de Salvador Dalí



01) A obra de arte acima, chamada de "Persistência da memória", de Salvador Dalí, é um exemplo de linguagem verbal ou não-verbal? Justifique sua resposta:

02) Baseando-se na sua resposta anterior, tente passar de uma linguagem para a outra, de modo a não perder nenhum detalhe:

03) A respeito da tela, assinale as afirmações verdadeiras:

(A) Aparecem apenas cenas e objetos que não existem na realidade.
(B) O quadro mistura cenas e objetos reais e outros que são produto da imaginação do autor.
(C) A imagem pode ser considerada uma mistura de sonho e realidade.
(D) Dalí preocupou-se em retratar com precisão diferentes imagens muito presentes em nosso cotidiano. 

04) Que elementos você identifica na figura? Descreva-os:

05) O que mais chama sua atenção na imagem?

06) Na leitura que você faz desse quadro, o que significam os relógios "moles", que "escorrem"?

07) Essa tela provoca as mais variadas reações em quem a observa. Leia estes comentários, por exemplo, postados em blogues: 

"Este quadro representa o tempo e transmite-nos a sensação de lentidão: está tudo muito parado. Os relógios mostram ritmos de vida diferentes (os ponteiros estão em horas não coincidentes, diferentes), talvez devido ao calor. A imagem retrata um deserto ao entardecer. Talvez simbolize o fim da vida."

"A passagem do tempo sempre foi um mistério, e acho que continuará a ser. Por que será que determinados momentos parecem passar tão rapidamente e outros demoram tanto?" 

E você? Que  análise você faz?


08) Por que podemos afirmar que uma obra acima, chamada "Desintegração da persistência da memória", do mesmo pintor, dialoga com a outra (a esse diálogo damos o nome de intertextualidade)? 

09) Que pontos de semelhança você identifica? Por que isso foi, de certa forma, mantido? 

10) Que diferenças você observa nelas? Por que será que isso ocorreu?

11) Na primeira obra, os relógios sugerem preocupação com um tempo que se derrete, se vai. Observe novamente a segunda obra, com sua paisagem desintegrada.

a) O que sugerem os objetos incluídos nesta tela?

b) DESINTEGRAR é "desfazer, desagregar" e tmabém "retirar, afastar, separar". Sendo assim, como você interpreta o título dessa obra? 

12) De qual das duas obras analisadas você mais gostou? Por quê? 

13) Que mensagem se pode extrair da análise de ambas? 

terça-feira, 24 de outubro de 2017

Atividade sobre a música "Preposição", da Banda Sujeito Simples


Preposição

Preposição é a palavra 
Que relaciona duas palavras, 
Dentro da frase
Veja alguns exemplos então:

Dia a dia.
Perto de você. 
O amor está entre nós. 
O muro vai daqui até ali.
Entregou-se perante o juiz.

Ela retirou-se após a aula. 
Ele ficou parado ante o mar.
Café com leite.
Joana passou por aqui.

Lutamos contra eles. 
Vamos em frente. 
Alegria para todos. 
Dia sem sol. 

Vivemos sob o céu.
Correndo sobre a terra.
A repórter foi atrás da notícia. 

Existem preposições acidentais
São palavras pertencentes 
A outras classes gramaticais
 E que, casualmente, 
Exercem o papel de preposição
Veja alguns exemplos então:

Como, afora, 
Segundo, durante, 
Salvo, conforme, 
Fora.

A preposição pode ser de combinação
Exemplo:
de + isso = disso
em + o = no
em + um = num
a + onde = aonde

Locução prepositiva
É o grupo de duas ou mais palavras 
Com valor de preposição.
Exemplo: 
Acima de
Abaixo de
De acordo com
Por causa de. 



01) Circule no texto todas as preposições utilizadas: 

02) Numere todas as preposições encontradas na questão anterior e forme uma outra frase utilizando cada uma delas:

03) De todas as preposições que você conhece, se só pudesse salvar UMA, qual seria? Por quê? 

sexta-feira, 20 de outubro de 2017

Atividade sobre a música "Pro dia nascer feliz", de Cazuza


Pro dia nascer feliz

Todo dia a insônia
Me convence que o céu
Faz tudo ficar infinito
E que a solidão 
É pretensão de quem fica
Escondido, fazendo fita

Todo dia tem a hora da sessão coruja
Só entende quem namora
Agora vambora
Estamos, meu bem, por um triz
Pro dia nascer feliz 
Pro dia nascer feliz
O mundo inteiro acordar
E a gente dormir
Pro dia nascer feliz
Essa é a vida que eu quis
O mundo inteiro acordar
E a gente dormir

Todo dia é dia
E tudo em nome do amor
Essa é a vida que eu quis
Procurando vaga 
Uma hora aqui, outra ali
No vai-e-vem dos teus quadris 

Nadando contra a corrente
Só pra exercitar
Todo o músculo que sente 
Me dê de presente o teu bis
Pro dia nascer feliz
Pro dia nascer feliz 
O mundo inteiro acordar 
E a gente dormir, dormir

(Cazuza e Frejat)

01) Justifique o título da música acima:

02) Qual é o assunto do texto? Justifique sua resposta: 

03) Circule na canção um vocativo: 

04) O que significa a expressão "fazer fita"? 

05) Copie da música uma antíteses, justificando sua resposta:

06) Transcreva da canção marcas de oralidade: 

07) Interprete os versos destacados no texto: 

08) Que mensagem a canção transmite? Comente: 

09) O que é necessário, para você, "pro dia nascer feliz"? 

quinta-feira, 19 de outubro de 2017

Atividade sobre HQ


 01) Dê um título à HQ acima: 

02) Qual foi o plano do Cebolinha? Ele funcionou? 

03) O Cascão deu credibilidade ao amigo? Comprove com uma passagem da HQ: 

04) Circule na HQ um vocativo: 

05) Copie da HQ um trecho carregado de humor: 

06) Localize na HQ:

a) um advérbio de negação:

b) um advérbio de intensidade:

c) um advérbio de modo:

d) dois substantivos:

e) uma interjeição: 

quarta-feira, 18 de outubro de 2017

Atividade sobre a lenda "Como nasceram as estrelas", de Clarice Lispector


Como nasceram as estrelas 

Pois é, todo mundo pensa que sempre houve no mundo estrelas pisca-pisca. Mas é erro. Antes os índios olhavam de noite para o céu escuro -- e bem escuro estava esse céu. Um negror. Vou contar a história singela do nascimento das estrelas. 
Era uma vez, no mês de janeiro, muitos índios. E ativos: caçavam, pescavam, guerreavam. Mas nas tabas não faziam coisa alguma: deitavam-se nas redes e dormiam roncando. E a comida? Só as mulheres cuidavam do preparo dela para terem todos o que comer. 
Uma vez elas notaram que faltava milho no cesto para moer. Que fizeram as valentes mulheres? O seguinte: sem medo enfurnaram-se nas matas, sob um gostoso sol amarelo. As árvores rebrilhavam verdes e embaixo delas havia sombra e água fresca. 
Quando saíam de debaixo das copas encontravam o calor, bebiam no reino das águas dos riachos buliçosos. Mas sempre procurando milho porque a fome era daquelas que as faziam comer folhas de árvores. Mas só encontravam espigazinhas murchas e sem graça. 
-- Vamos voltar e trazer conosco uns curumins. (Assim chamavam os índios as crianças). Curumim dá sorte. 
E deu mesmo. Os garotos pareciam adivinhar as coisas: foram retinho em frente e numa clareira da floresta -- eis um milharal viçoso crescendo alto. As índias maravilhadas disseram: toca a colher tanta espiga. Mas os garotinhos também colheram muitas e fugiram das mães voltando à taba e pedindo à avó que lhes fizesse um bolo de milho. A avó assim fez e os curumins se encheram de bolo que logo se acabou. Só então tiveram medo das mães que reclamariam por eles comerem tanto. Podiam esconder numa caverna a avó e o papagaio porque os dois contariam tudo. Mas -- e se as mães dessem falta da avó e do papagaio tagarela? Aí então chamaram os colibris para que amarrassem um cipó no topo do céu. Quando as índias voltaram ficaram assustadas vendo os filhos subindo pelo ar. Resolveram, essas mães nervosas, subir atrás dos meninos e cortar o cipó embaixo deles. 
Aconteceu uma coisa que só acontece quando a gente acredita: as mães caíram no chão, transformando-se em onças. Quanto aos curumins, como já não podiam voltar para a terra, ficaram no céu até hoje, transformados em estrelas brilhantes. 
Mas, quanto a mim, tenho a lhes dizer que as estrelas são mais do que curumins. Estrelas são os olhos de Deus vigiando para que corra tudo bem. Para sempre. E, como se sabe, "sempre" não acaba nunca. 
(Clarice Lispector)

01) O que é uma lenda? Por que esse texto é uma lenda? Explique: 

02) Que personagens aparecem nessa lenda? 

03) O que levou as mulheres a se embrenharem no mato?

04) Por que as mulheres chamaram os curumins? 

05) Por que os curumins ficaram com medo das mães? Você acha que isso foi motivo suficiente? O que teria feito no lugar deles? 

06) Que ideia eles tiveram para fugir delas? 

07) O que as mães fizeram quando viram os filhos subindo pelo ar? 

08) Além da origem das estrelas, o texto explica também a origem de qual outro elemento da natureza? Explique:

09) Explique a importância da passagem grifada no texto para o entendimento do que veio a seguir: 

10) Para o narrador, as mães terem se transformado em onças é algo fantasioso ou que poderia acontecer na vida real? Comente:

11) O que pode ser considerado real nesta lenda por revelar o modo de vida e a cultura desse povo indígena?

12) Na lenda, o que a atitude dos curumins tem a ver com a origem das estrelas?

13) Ao ser transformados em estrelas, os curumins foram castigados ou premiados? Por quê? 

14) Que ensinamento essa lenda transmitiu? 

15) Você diria que o narrador concorda com a explicação dos índios bororos para o surgimento das estrelas? Explique: 

16) Pela leitura da lenda, deu para perceber que a vida dos homens era mais fácil ou mais difícil do que a das mulheres? O que você pensa a respeito disso?

17) Em sua opinião, há tarefas que só devem ser realizadas por homens e outras que só podem ser realizadas por mulheres? Explique seu raciocínio, citando algumas dessas tarefas (se for o caso): 

18) Retire do texto exemplos de oralidade, dizendo a importância disso para o gênero textual em questão:

19) Identifique esses momentos na narrativa: situação inicial, complicação, ações, clímax e desfecho:

domingo, 15 de outubro de 2017

Atividade sobre o filme "Um senhor estagiário" (2 h)


Sinopse: Ben Whittaker é um viúvo com 70 anos que descobriu que a aposentadoria não é tudo aquilo de bom que as pessoas falam. Ele vive entediado e leva uma vida mónotona, até que, aproveitando uma oportunidade de voltar à ativa, se torna estagiário sênior de um site de moda, fundado e dirigido por Jules Ostin, com quem cria uma forte amizade. (Duração: 2 h) 

01) Explique o duplo sentido presente no título do filme, dizendo que palavra é responsável pela ambiguidade: 

02) O que o filme denuncia? Justifique sua resposta: 

03) Quando Ben lê as exigências para o estagiário, o que o "assusta"? O que você pensa disso?

04) Que problema a Jules enfrenta em seu casamento? O que isso revela?

05) Como você acha que os aposentados, de um modo geral, são vistos no nosso país? Posicione-se sobre isso:

06) Liste vantagens e desvantagens dos jovens e dos idosos no mercado de trabalho:

07) O que Ben aprendeu com a amizade com a Jules? E ela com ele? Comente:

08) De que parte do filme você mais gostou? Por quê? 

09) Quantos anos Ben trabalhou em sua antiga empresa, antes de se aposentar, e o que isso revela?

10) Destaque uma cena que revela proatividade, trabalho em equipe e empatia, explicando seu raciocínio:

11) Que mensagem o filme lhe transmitiu? 

12) De 0 a 10, que nota daria ao filme em questão? Justifique sua resposta:

(Participação especial da querida amiga Nadiolan Ribeiro em algumas questões!)

sexta-feira, 13 de outubro de 2017

Atividade sobre o texto "Barbeiro" , de autoria desconhecida


Barbeiro

Diz que, um belo dia, um índio bem alegre chegou numa barbearia juntamente com um menino, os dois para cortar o cabelo. 
O barbeiro, gente mui buena, fez um belo corte no índio, que já aproveitô pra aparar a barba, enfim, deu um trato geral. Depois de pronto o índio, chegou a vez do guri. Nisso o índio disse pro barbeiro:
-- Tchê, enquanto tu corta as melena do guri, vou dar um pulo até o bolicho da esquina comprar um cigarrito e já tô de volta. 
-- Tá bueno! -- disse o barbeiro. 
Só que o barbeiro terminou de cortar o cabelo do guri e o índio não apareceu. 
-- Senta aí e espera que teu pai já vem te buscar. 
-- Ele não é meu pai! - disse o moleque. 
-- Teu irmão, teu tio, seja lá o que for, senta aí. 
-- Ele não é nada meu! -- falou o guri. 
Aí o barbeiro perguntou intrigado:
-- Mas quem é o animal então?
-- Não sei! Ele me pegou ali na esquina e perguntou se eu queria cortar o cabelo de graça! 

(Autor desconhecido)

01) Justifique o título dado ao causo acima:

02) Que outro título você daria ao texto?  

03) As hipóteses que você havia levantado sobre o texto se confirmaram?

04) Quantas personagens há na história e como o narrador se refere a elas? Ele as chama pelo nome? O que isso revela?

05) O narrador caracteriza detalhadamente as personagens? O que se sabe sobre elas? 

06) Há informações sobre a situação das personagens antes e depois do episódio narrado? 

07) O texto informa quando e onde aconteceu esse episódio?

08) A princípio, qual se imagina que seja a relação entre o homem e o menino? Por quê?

09) Até que ponto do texto essa impressão se mantém?

10) Você achou o final engraçado? Surpreendente? Por quê? 

11) Copie do texto expressões coloquiais, informais: 

12) O que significa a expressão destacada no texto? Você costuma utilizá-la? 

13) Por que podemos afirmar que esse texto pertence ao gênero textual CAUSO? 

quinta-feira, 12 de outubro de 2017

Atividade sobre o filme "SING - Quem canta seus males espanta" (1 h 48 min)



Sinopse: Um empolgado coala chamado Buster decide criar uma competição de canto para aumentar os rendimentos de seu antigo teatro. A disputa movimenta o mundo animal e promove a revelação de diversos talentos da cidade, todos de olho nos "15 minutos de fama" e também nos US$ 100 mil doláres de prêmio! (Duração: 1h 48 min)

01) Por que o valor do prêmio saiu errado nos cartazes? 

02) Os cartazes convidando para o "Concurso de canto" foram espalhados aos quatro ventos. Explique o sentido denotativo e conotativo da expressão destacada: 

03) Que problema familiar é denunciado na vida do gorila Jonny? Isso costuma mesmo acontecer? O que você pensa sobre isso? Comente:

04) O que gerou o término do namoro entre os dois porcos-espinhos? O que você pensa a respeito disso? Explique:

05) E que problema parecia ocorrer na vida da porquinha Rosetta? Explique: 

06) Que "solução" foi encontrada por essa porquinha para conseguir ir aos ensaios? Por que isso falhou? 

07) Por que a elefanta não conseguia cantar? Você já passou por uma situação assim? 

08) Qual era a função da lhama Judith no filme? 

09) Por que o pai do Jonny foi preso? E para que ele resolveu fugir da prisão? 

10) Por que o balde era tão importante para o coala Buster? 

11) "O bom de se estar no fundo do poço é porque só tem uam saída: para cima". Tal frase apareceu em dois momentos do filme. Quais foram eles? 

12) Como descobrem que não tem dinheiro algum no baú? O que acontece logo em seguida? 

13) Por que ocorre a destruição do teatro? 

14) "Não deixe o medo desistir de fazer o que você ama". Você concorda com essa frase dita no filme? Explique: 

15) O que o Buster resolve fazer depois que o teatro é destruído? 

16) O que faz o Buster desistir desse novo trabalho? Que ideia ele tem? Ela dá certo? 

17) Praticamente todas as personagens do filme têm um sonho. Qual? Eles o realizaram?

18) O que a famosa cantora Nana resolveu fazer, no final? 

19) De que personagem você mais gostou? Por quê? 

20) Que mensagem o filme lhe transmitiu? Comente: 

21) Que nota, de 0 a 10, você daria ao filme? Por quê? 

terça-feira, 10 de outubro de 2017

Atividade sobre a crônica "Aí, galera", de Luís Fernando Veríssimo

Aí, galera

Jogadores de futebol podem ser vítimas de estereotipação. Por exemplo, você pode imaginar um jogador de futebol dizendo "estereotipação"? E, no entanto, por que não?
-- Aí, campeão. Uma palavrinha pra galera. 
-- Minha saudação aos aficionados do clube e aos demais desportistas, aqui presentes ou no recesso de seus lares.
-- Como é?
-- Aí, galera.
-- Quais são as instruções do técnico? 
-- Nosso treinador vaticinou que, com um trabalho de contenção coordenada, com energia otimizada, na zona da preparação, aumentam-se as probabilidades de, recuperado o esférico, concatenarmos um contragolpe agudo com parcimônia de meios e extrema objetividade, valendo-nos da desestruturação momentânea do sistema oposto, surpreendido pela reversão inesperada do fluxo de ação. 
-- Ahn?
-- É pra dividir no meio e ir pra cima pra pegá eles sem calça. 
-- Certo, você quer dizer mais alguma coisa?
-- Posso dirigir uma mensagem de caráter sentimental, algo banal, talvez mesmo previsível e piegas, a uma pessoa à qual sou ligado por razões, inclusive, genéticas?
-- Pode.
-- Uma saudação para a minha progenitora.
-- Como é?
-- Alô, mamãe!
-- Estou vendo que você é um, um...
-- Um jogador que confunde o entrevistador, pois não corresponde à expectativa de que o atleta seja um ser algo primitivo com dificuldade de expressão e assim sabota a estereotipação? 
-- Estereoquê?
-- Um chato?
-- Isso.
(Luís Fernando Veríssimo)

01) Quais são as duas situações relatadas no texto que fogem à expectativa do público?

02) Justifique o título do texto, aproveitando para dar um outro:

03) O que gerou o humor no texto? Explique:

04) Copie do texto dois vocativos, explicando:

05) Explique por que a palavra "estereotipação" encontra-se normal em uma passagem e em outra aparece entre aspas: 

06) Justifique o emprego das reticências no texto:

07) Que mensagem o texto transmite? 

segunda-feira, 9 de outubro de 2017

Atividade sobre a música "Angra dos Reis", de Legião Urbana


Angra dos Reis

Deixa, se fosse sempre assim
Quente, deita aqui perto de mim
Tem dias que tudo está em paz
E agora os dias são iguais
Se fosse só sentir saudade
Mas tem sempre algo mais
Seja como for
É uma dor que dói no peito
Pode rir agora
Que estou sozinho
Mas não venha me roubar
Vamos brincar perto da usina!
Deixa pra lá
A Angra é dos Reis
Por que se explicar
Se não existe perigo?!
Senti teu coração perfeito
Batendo à toa e isso dói
Seja como for
É uma dor que dói no peito
Pode rir agora
Que estou sozinho
Mas não venha me roubar
Uh! Uh! Uh! Uh!
Vai ver que não é nada disso
Vai ver que já não sei quem sou
Vai ver que nunca fui o mesmo
A culpa é toda sua e nunca foi
Mesmo se as estrelas
Começassem a cair
E a luz queimasse tudo ao redor
E fosse o fim chegando cedo
Você visse o nosso corpo
Em chamas!
Deixa pra lá...
Quando as estrelas
Começarem a cair
Me diz, me diz
Pr'onde é
Que a gente vai fugir?
(Legião Urbana)



01) Justifique o título da canção:

02) Existe ou não um pleonasmo no verso em negrito na segunda estrofe? Justifique sua resposta:

03) O que significa o verso "Mas não venha me roubar"? Você já se sentiu assim, roubado(a)?

04) O que o eu lírico quer dizer com "A Angra é dos Reis"? Que crítica encontra-se aí embutida? Comente: 

05) Explique os versos destacados na terceira estrofe, aproveitando para responder à pergunta ali feita: 

06) Que convite é feito na terceira estrofe? Por que houve uma espécie de desistência logo após?

07) O que a passagem "Pode rir agora / Que eu estou sozinho" transmite?

08) O que significa, pelo contexto, o verso "Deixa pra lá..."?

09) O que as estrelas poderiam estar, metaforicamente, representando? Comente:

10) Pra onde e do que exatamente as pessoas precisariam fugir?

11) Com relação às estrelas, que mudança ocorreu nas duas últimas estrofes? Explique:

12) Que mensagem a música transmite?

quarta-feira, 4 de outubro de 2017

Atividade sobre o texto "Circuito fechado 03", do Ricardo Ramos

Circuito fechado (3)

Muito prazer. Por favor, quer ver o meu saldo? Acho que sim. Que bom telefonar, foi ótimo, agora mesmo estava pensando em você. Puro, com gelo. Passe mais tarde, ainda não fiz, não está pronto. Amanhã eu ligo, e digo alguma coisa. Guarde o troco. Penso que sim. Este mês, não, fica para o outro. Desculpe, não me lembrei. Veja logo a conta, sim? É pena, mas hoje não posso, tenho um jantar. Vinte litros, da comum. Acho que não. Nas próximas férias, vou até lá, de carro. Gosto mais assim, com azul. Bem, obrigado, e você? Feitas as contas, estava errado. Creio que não. Já, pode levar. Ontem aquele calor, hoje chovendo. Não, filha, não é assim que se faz. Onde está minha camisa amarela? Às vezes, só quando faz frio. Penso que não. Vamos indo, naquela base. Que é que você tem? Se for preciso, dou um pulo aí. Amanhã eu telefono e marco, mas fica logo combinado, quase certo. Sim, é um pessoal muito simpático. Foi por acaso, uma coincidência. Não deixe de ver. Quanto mais quente melhor. Não, não é bem assim. Morreu, coitado, faz dois meses. Você não reparou que é outra? Salve, lindos pendões. Mas que esperança. Nem sim, nem não, muito pelo contrário. Como é que eu vou saber? Antes corto o cabelo, depois passo por lá. Certo. Pra mim, chega. Espere, mais tarde nós vamos. Aí foi que ele disse, não foi no princípio, quem ia adivinhar? Deixe, vejo depois. Sim, durmo de lado, com uma perna encolhida. O quê? É, quem diria. Acredito que sim. Boa tarde, como está o senhor? Pague duas, a outra fica para o mês que vem. Oh, há quanto tempo! De lata e bem gelada. Perdoe, mas não tenho miúdo. Estou com pressa. Como é que pode, se eles não estudam? Só peço que não seja nada. Estou com fome. Não vejo a hora de acabar isto, de sair. Já que você perdeu o fim de semana, por que não vai pescar? É um chato, um perigo público. Foi há muito tempo. Tudo bem, tudo legal? Gostei de você. Acho que não, penso que não, creio que não. Acredito que sim. Claro, fechei a porta e botei o carro pra dentro. Vamos dormir? É, leia que é bom. Ainda agosto e esse calor. Me acorde cedo amanhã, viu?

(Ricardo Ramos)

01) Como você imagina a personagem?

02) É possível saber se a personagem é homem ou mulher? Comprove:

03) Como é o dia dessa personagem?

04) Há algumas frases no texto que revelam emoção da personagem. Transcreva uma delas:

05) É possível conhecer algum traço da personalidade dessa personagem?

06) Qual é o provável contexto social em que se desenrolam suas ações?

07) Há no texto expressões usadas em relações que podem pressupor a situação de prestação de serviços. Um exemplo é “Puro, com gelo” – possivelmente um pedido feito a um garçom. Transcreva do texto outras três expressões que indicam situações semelhantes:

08) O texto inicia com uma expressão-clichê, própria de cumprimentos, da relação cordial das pessoas: “Muito prazer”. Pode-se afirmar que as falas que sucedem essa expressão confirmam a ideia de prazer? Por quê?

09) Há, no texto, algumas referências claras, explícitas com relação ao TEMPO. Dê exemplos delas:

10) Pode-se afirmar que o texto lido é uma narrativa? Por quê?

11) Qual é o provável contexto social em que se desenrolam as ações da personagem?

12) Que efeito de sentido a construção de um texto em um só parágrafo produz?

terça-feira, 3 de outubro de 2017

Atividade com a música "Mais uma vez", do Renato Russo


Mais uma vez

Mas é claro que o sol 
Vai voltar amanhã
Mais uma vez, eu sei
Escuridão vi pior, 
De endoidecer gente sã
Espera que o sol já vem...

Tem gente que está do mesmo lado que você,
Mas deveria estar do lado de
Tem gente que machuca os outros
Tem gente que não sabe amar


Tem gente enganando a gente
Veja nossa vida como está
Mas eu sei que um dia a gente aprende

Se você quiser alguém em quem confiar
Confie em si mesmo
Quem acredita sempre alcança

Mas é claro que o sol 
Vai voltar amanhã
Mais uma vez, eu sei
Escuridão já vi pior
De endoidecer gente
Espera que o sol já vem

Nunca deixe que lhe digam que não vale a pena
Acreditar no sonho que se tem
Ou que seus planos nunca vão dar certo
Ou que você nunca vai ser alguém


Tem gente que machuca os outros
Tem gente que não sabe amar
Mas eu sei que um dia a gente aprende

Se você quiser alguém em quem confiar
Confie em si mesmo
Quem acredita sempre alcança.

(Renato Russo)

01) Justifique o ttítulo da canção, aproveitando para sugerir um outro: 

02) Posicione-se sobre a terceira estrofe do texto, justificando-se:

03) Você concorda que "Quem acredita sempre alcança"? E em que você acredita? Comente:

04) Você acha que pode confiar em outras pessoas ou apenas em si mesmo(a)? Por quê?

05) Explique a passagem "De endoidecer gente sã": 

06) Copie do texto uma passagem que revela otimismo: 

07) Transcreva da música um trecho que revela que o eu lírico já foi traído: 

08) Que sentimento a canção lhe despertou? Justifique sua resposta: 

09) O que as pessoas fazem que machucam você? E o que você pode estar fazendo que também as machuca? 

10) Que mensagem a canção lhe transmitiu? Comente:

11) Classifique morfologicamente cada palavra em destaque no texto:

12) Qual o sujeito da oração "Que o sol já vem"? Classifique-o: 

13) Analise o predicado da passagem "Confie em si mesmo", classificando-o: 

segunda-feira, 2 de outubro de 2017

Exercícios sobre Variação Linguística / Oralidade

01) Observe a linguagem utilizada na frase abaixo, tirada de uma propaganda:



a) Identifique as gírias que aparecem na frase manuscrita:

b) Como você escreveria essa frase sem usar gíria?

c) A propaganda de onde esse texto foi tirado anuncia um guia de redação. A quem ela deseja atingir?

d) Que efeito o emprego da gíria cria na frase principal da propaganda?

e) Você deixou de entender o recado por causa das gírias?

02) Imagine que uma adolescente escrevesse este e-mail para o diretor da escola (pedindo providências para um campeonato esportivo): 

Ô meu, vc precisa dar um gás no campeonato de vôlei e fazer algo manero para os mano da escola. Não fique bolado, deixe de ser presepeiro, senão vai pagar mico. Tá ligado? 
Falô, broder. 

E, para o namorado, enviasse a seguinte mensagem: 

Prezado senhor, 

Temos em nossa agenda muitas datas sem compromisso marcado, motivo pelo qual manifestamos interesse em acompanhá-lo em sua próxima ida ao cinema. Caso haja interesse da sua parte, colocamo-nos à disposição para novos contatos, nos quais possamos detalhar nossa proposta. Atenciosamente,
Maria Margarida de Sousa Leite

a) Comente a linguagem dos textos acima e explique a reação que provavelmente causariam aos destinatários: 

b) Reescreva ambos os textos, adequando-os a cada situação e aos seus respectivos destinatários: