terça-feira, 20 de junho de 2017

Atividade "Minha árvore de botões"!!!

Apesar de trabalhar com Língua Portuguesa, Literatura e Produção Textual, já me aventurei dando aulas, no passado, de Artes e eu amava! Aprendi muita coisa, dentre elas a perder o medo de colocar no papel o que me vinha à telha, desenhando... É algo que muito estimulo no meu filho Miguel, de 7 anos, e ele, felizmente, vive dizendo SIM a cada convite meu! 

Hoje terminei de fazer a minha árvore de botões, inspirada por minha amiga Flávia Damas, professora de Artes e que tem tanta ideia show de bola, que eu sempre tento colocar em prática! Adoro ser "cobaia" dela e nunca vou entender a resistência que tantos alunos têm com relação a tal disciplina! 



E que tal você criar a sua árvore, hein?!? Ou levar a proposta para os seus alunos?!? Vamos lá?!? 

domingo, 18 de junho de 2017

Atividade sobre o texto "O pecado", de Lima Barreto

O pecado

Quando naquele dia São Pedro despertou, despertou risonho e de bom humor. E, terminados os cuidados higiênicos da manhã, ele se foi à competente repartição celestial buscar ordens do Supremo e saber que almas chegariam na próxima leva. 
Em uma mesa longa, larga e baixa, em grande livro aberto se estendia e debruçado sobre ele, todo entregue ao serviço, um guarda-livros punha em dia a escrituraçao das almas, de acordo com as mortes que Anjos mensageiros e noticiosos traziam de toda extensão da terra. Da pena do encarregado celeste escorriam grossas letras, e de quando em quando ele mudava a caneta para melhor talhar um outro caráter caligráfico. 
Assim páginas ia ele enchendo, enfeitadas, iluminadas em os mais preciosos tipos de letras. Havia no emprego de cada um deles, uma certa razão de ser e entre si guardavam tão feliz disposição que encantava o ver uma página escrita do livro. O nome era escrito em bastardo, letra forte e larga; a filiação em gótico, tinha um ar religioso, antigo, as faltas, em bastardo e as qualidades em ronde arabescado. 
Ao entrar São Pedro, o escriturário do Eterno, voltou-se, saudou-o e, à reclamação da lista d´almas pelo Santo, ele respondeu com algum enfado que viesse à tarde buscá-la. 
Aí pela tardinha, ao findar a escrita, o funcionário celeste (um velho jesuíta encanecido no tráfico de açúcar da América do Sul) tirava uma lista explicativa e entregava a São Pedro a fim de se preparar convenientemente para receber os ex-vivos no dia seguinte. 
Dessa vez ao contrário de todo o sempre, São Pedro, antes de sair, leu de antemão a lista; e essa sua leitura foi útil, pois que se a não fizesse talvez, dali em diante, para o resto das idades, quem sabe? O céu ficasse de todo estragado. Leu São Pedro a relação: havia muitas almas, muitas mesmo, delas todas, à vista das explicações apensas, uma lhe assanhou o espanto e a estranheza. Leu novamente. Vinha assim:
P. L. C., filho de... neto de... bisneto de.... Carregador, quarenta e oito anos. Casado. Casto. Honesto. Caridoso. Pobre de espírito. Ignaro. Bom como São Francisco de Assis. Virtuoso como São Bernardo e meigo como o próprio Cristo. É um justo. 
Deveras, pensou o Santo Porteiro, é uma alma excepcional: como tão extraordinárias qualidades bem merecia assentar-se à direita do Eterno e lá ficar, per saecula saeculorum, gozando a glória perene de quem foi tantas vezes Santo... 
-- E por que não ia? Deu-lhe vontade de perguntar ao seráfico burocrata. 
-- Não sei, retrucou-lhe este. Você sabe, acrescentou, sou mandado...
-- Veja bem nos assentamentos. Não vá ter você se enganado. Procure, retrucou por sua vez o velho pescador canonizado. 
Acompanhadi de dolorosos rangidos da mesa, o guarda-livros foi folheando o enorme Registro, até encontrar a página própria, onde com certo esforço achou a linha adequada e com o dedo afinal apontou o assentamento e leu alto:
-- P. L. C., filho de... neto de... bisneto de.... Carregador. Quarenta e oito anos. Casado. Honesto. Caridoso. Leal. Pobre de espírito. Ignaro. Bom como São Francisco de Assis. Virtuoso. 
-- Esquecia-me... Houve engano. E foi bom você falar. Essa alma é a de um negro. Vai para o purgatório. 
(Lima Barreto) 

01) Justifique o título do texto:

02) Qual é o tema abordado? Que tipo de discurso predominou?

03) Quem comunicava a morte das pessoas ao escriturário?

04) Havia morrido muitas pessoas no dia da narração desta história? Cite uma passagem do texto que comprove sua afirmação:

05) Por que, apesar de tantas virtudes, a alma do cidadão não pôde sentar-se ao lado do Eterno? 

06) Quem é, segundo o texto, o Eterno? Comente:

07) Que mensagem o texto transmite? 

terça-feira, 13 de junho de 2017

Atividade sobre o texto "Patinhos Feios do Ibirapuera"

Patinhos Feios de Ibirapuera

Acabam de nascer dois "patinhos feios" no parque Ibirapuera. Os filhos do cisne negro, que têm apenas nove dias, já podem ser vistos nadando no lago. Desde de fevereiro, sete fêmeas deram cria, somando 18 cisnezinhos.
Acinzentados e com bico preto, os filhotes levam até dois anos para se tornarem belos, como os pais. Nessa fase, recebem alimentos reforçados com vitaminas e verduras, e saem para nadar nas horas mais quentes do dia. 
Vivendo no parque há um ano, os cisnes negros ficam no "recinto das aves", próximo ao Pavilhão Japonês (portão 10). "Eles não são sociáveis e só brigam quando invadem seu território ou mexem com seus filhos", diz o veterinário Marcos Rizzo, da Divisão Médica Veterinária do parque Ibirapuera. O macho é quem choca os ovos, além de permanecer com a mesma fêmea a vida toda. 

(Folha de São Paulo)

01) Justifique o título do texto:

02) Explique a presença das aspas em "patinhos feios": 

03) Por que o verbo destacado no texto foi acentuado? 

04) Copie do texto uma comparação, explicando-a: 

05) Justifique o uso das aspas encontradas em dois momentos do terceiro parágrafo, respectivamente: 

06) A que gênero textual pertence o texto? Justifique sua resposta: 

07) Circule no texto todas as palavras com encontros consonantais que você encontrar: 

08) Localize no texto: 

a) três numerais:
b) um substantivo próprio:
c) dois adjetivos: 
d) um advérbio de tempo:
e) um advérbio de lugar: 
f) um substantivo no grau diminutivo:
g) um verbo no gerúndio: 
h) um advérbio de intensidade: 
i) um pronome possessivo: 

segunda-feira, 12 de junho de 2017

Atividade sobre anúncio publicitário - "Dia dos Namorados Visa"



01) Explique o efeito causado pela anáfora na propaganda acima:

02) Qual é o principal objetivo do anúncio?

03) O que mais chamou a sua atenção nele? Por quê?

04) Você considera a propaganda interessante? Justifique sua resposta:

05) Que recursos gráficos visuais foram utilizados? Isso foi criativo ou manjado?

06) O que é "virar do avesso"? E "cair em tentação"?

07) A propaganda pode ser considerada um apelo consumista? Comente:

08) Que outros recursos você usaria no anúncio? Cite-os:

09) Quem é o público-alvo dessa campanha?

10) Explique o uso das reticências no panfleto:

11) Crie uma campanha beneficente para o Dia dos Namorados:

(Atividade feita em parceria com a querida colega de grupo: Érica Viqueti)

Atividade "Você sabe seguir instruções?"

Minhas turmas andavam beeeeeeem desatentas e errando muitas questões, que até sabiam, por conta disso, então resolvi pregar-lhes uma peça, levando essa atividade, que foi bem interessante, visto que a grande maioria caiu! kkkkkkkkkkkkkkkk

Você sabe seguir instruções? 

1 - Leia atentamente tudo antes de fazer qualquer coisa.
2- Escreva seu nome no canto direito superior de uma folha em branco.
3- Faça um círculo no seu nome.
4- Desenhe cinco quadrinhos no canto esquerdo superior da folha em branco.
5- Faça um X  em cada quadrinho.
6- Escreva seu nome no canto esquerdo inferior.
7- Faça um círculo  em volta do último quadrado.
8- Faça um X no canto esquerdo  inferior.
9- Faça um triângulo em torno do X que você  acabou  de fazer.
10- Desenhe um retângulo no centro da folha.
11- Diga em voz alta seu primeiro nome quando atingir este ponto.
12- Se você acha que seguiu as instruções cuidadosamente até este ponto, diga em voz alta: "Eu segui".
13- No verso da folha em branco some 8950 com 9905.
14- Faça um círculo em torno do resultado e um quadrado em torno do círculo.
15- Conte em voz alta de 10 a 1 em ordem inversa.
16- Faça três pequenos pontos no alto de sua folha com a ponta da caneta.
17- Se você for a primeira pessoa a chegar a este ponto, diga em voz alta "Eu sou o
      primeiro neste ponto e líder em seguir instruções".
18- Diga em voz alta: "Estou quase terminando."
19- Agora que você leu tudo atentamente, faça somente o número dois.

quinta-feira, 8 de junho de 2017

Atividade de arte e criatividade "Receita de um outro monstrinho"...

Na reunião de pais da escola do meu filho, conheci outra dinâmica do "Monstrinho" (que já postei AQUI), que também aproveito para compartilhar com vocês, já que é sempre muito bom termos "várias cartas na manga", né?!? Sempre alguma delas vai servir...

Pedir para que cada pessoa desenhe instrução por instrução (seguindo a lista de comando abaixo!): 

01) Uma cabeça redonda e grande;
02) Um corpo pequeno coberto de pelos;
03) Braços compridos com mãos pequenas e garras afiadas;
04) Pernas curtas;
05) Pés grandes e arredondados;
06) Um olho no meio da testa;
07) Orelhas pontiagudas;
08) Nariz com narinas quadradas;
09) Boca grande e dentes falhados;

No final da atividade perguntar se todos os montrinhos ficaram iguais... Por que não ficaram, se todos obedeceram aos mesmos comandos?!? Como associar isso à vida e à sala de aula, especialmente?!? Ser diferente é bom ou ruim? Soma ou diminui? Enfim...

Compartilho, cheia de coragem, o monstrinho que eu desenhei na reunião e também o que o meu filho Miguel desenhou, depois, em casa, já que adora essas ideias! Não sei a quem puxou... he he he



E aí?!? Acharam os monstrinhos simpáticos?!? Isso porque vocês não viram o que o Miguel quis fazer mais de dois anos depois, em 01/08/19, atualizando o monstro, pintando, evoluindo, batizando-o de CRESVALDO! he he he


quarta-feira, 7 de junho de 2017

Atividade lacunada com o texto "Fim do mundo?", de Gleice Coelho

Fim do mundo?

-- Mãe, disseram que o mundo vai acabar.
-- Sim, querida, andam dizendo isso, ___________ é bobagem.
-- Você não acredita?
-- Não.
-- Por quê?
-- Ah... ____________ o mundo não vai acabar assim, de repente.
-- Não?! Não entendi...
-- Não vai, filha. Eu acho que o mundo pode acabar sim, _________ aos pouquinhos, entende?
-- Aos pouquinhos?
-- Sim... por exemplo, se não cuidarmos dele, aí sim o mundo pode acabar. As pessoas andam maltratando muito a natureza, _________ tudo que temos hoje um dia pode acabar, como árvores, alguns animais, água...
-- A professora disse que a água doce do planeta está acabando __________ a gente está poluindo demais.
-- É verdade...
-- Não quero que a água acabe, mãe.
-- Sim, filha. Eu também não quero. Então _______ nós cuidamos da água ______ ela irá acabar.
-- Já sei, mãe! Tive uma ideia! Vou criar uma máquina! Assim a água não vai acabar aos pouquinhos ________ sempre teremos água limpa.
-- Hummm. Que interessante... Uma máquina para reciclar água?!
-- Não... máquina de reciclar o homem, mãe. 
(Gleice Coelho)

01) Invente uma fala para substituir a última fala da filha, criando um novo final para o texto lido:

02) Elabore duas falas para a mãe (uma para complementar o final original e outra para complementar a fala que você criou para a questão anterior!):

03) Preencha as lacunas do texto com as conjunções adequadas: 

04) Você acredita em fim do mundo? Comente a sua resposta: 

05) Circule no texto todos os vocativos, explicando a importância deles para o entendimento do mesmo: 

06) Por que podemos afirmar que o texto foi construído em forma de diálogo? 

07) O que cada charge a seguir critica? Comente: 

08) O que elas têm em comum? E com o texto lido? Explique: 



09) De qual charge você gostou mais? Por quê? 

10) Você acha importante comemorar o "Dia do Meio Ambiente"? Justifique sua resposta: 

sábado, 3 de junho de 2017

Usando CAIXINHA de gêneros textuais!


Peguei uma caixinha de sapato que estava rolando por aqui e a transformei em uma caixinha de gêneros textuais, que pretendo levar para os meus alunos, todo dia! A questão dos gêneros é bem interessante e a partir dela se pode explorar muitos terrenos, cada qual mais interessante que o outro! Adooooooooooooooro! 

Catei um monte de crônicas, horóscopos, receitas culinárias, charges, obras de arte, notícias de jornais, entrevista, folheto, bula de remédio, propaganda, adivinha, etc... e fui colocando dentro da caixinha, que promete! Dessa forma, rápida, os alunos aprenderão a reconhecer mole mole cada gênero! Aí é partir para as características de cada um deles... explorar tudinho o que se desejar... 

Tomara que sirva de "aquecimento" para ótimas atividades! E fica aqui a dica, pra quem também quiser experimentar! 

Atividade sobre o texto "Poema do nadador", de Jorge de Lima

Poema do nadador

A água é falsa, a água é boa.
Nada, nadador!
A água é mansa, a água é doida,
aqui é fria, ali é morna,
a água é fêmea. 
Nada, nadador! 
A água sobe, a água desce,
A água é mansa, a água é doida.
Nada, nadador! 
A água te lambe, a água te abraça,
A água te leva, a água te mata.
Nada, nadador! 
Senão, que restará de ti, nadador?
Nada, nadador. 

(Jorge de Lima) 

01) Justifique o título dado ao poema acima:

02) Quantas estrofes e quantos versos ele possui?

03) Explique o uso da vírgula no primeiro verso:

04) Qual o significado da palavra NADA no último verso e nos demais? Comente:

05) Copie do texto um exemplo de vocativo, justificando seu raciocínio:

06) Transcreva do poema uma antítese, explicando:

07) Existe alguma prosopopeia no texto? Justifique sua resposta: 

08) Circule no texto todos os adjetivos que encontrar:

09) Há, no poema, alguma ambiguidade? Explique:

10) Que mensagem o texto transmite? Comente: