quarta-feira, 23 de novembro de 2016

Atividade sobre o poema "Cidadezinha", de Mário Quintana

Cidadezinha

Cidadezinha cheia de graça
Tão pequenina que até causa dó! 
Com seus burricos a pastar na praça...
Sua igrejinha de uma torre só...

Nuvens que venham, nuvens e asas,
Não param nunca nem um segundo...
E fica a torre, sobre as velhas casas, 
Fica cismando como é vasto o mundo! 

Eu que de longe venho perdido, 
Sem pouso fixo (a triste sina!)
Ah, quem me dera ter lá nascido! 

Lá toda a vida pode morar! 
Cidadezinha... Tão pequenina
Que toda cabe num só olhar... 

(Mário Quintana) 

01) Justifique o título dado ao poema:

02) Circule no texto todos os diminutivos, explicando o que eles expressam:

03) Que snetimento o eu lírico demonstra ter pela cidade? Ele nasceu lá?

04) O que significa a passagem "sem pouso fixo"?

05) Do que se lamenta o eu lírico? O que você pensa a respeito disso?

06) Transcreva do poema uma personificação, explicando bem:

07) Que mensagem o texto transmite? Comente: 

08) Que sentimento o poema despertou em você? Justifique sua resposta:

09) Copie do texto uma interjeição, dizendo o que ela expressa:

10) Explique a forte presença das reticências no texto: 

11) Como você imagina que é a tal cidadezinha descrita? Ilustre-a:

12) Localize no poema:

a) um advérbio de intensidade:
b) dois pronomes possessivos:
c) um numeral: 
d) um advérbio de negação:
e) um adjetivo:
f) um advérbio de lugar:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pela visita!!! Volte sempre!!!