quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

Atividade sobre a música "Não dá mais pra segurar", de Gonzaguinha


Não dá mais pra segurar

Chega de tentar dissimular
E disfarçar e esconder
O que não dá mais pra ocultar
E eu não quero mais calar
Já que o brilho desse olhar foi traidor 
E entregou o que você tentou conter
O que você não quis desabafar e me cortou

Chega de temer, chorar, sofrer
Sorrir, se dar, e se perder e se achar
E tudo aquilo que é viver
Eu quero é mais me abrir 
E que esta vida entre assim
Como se fosse o sol 
Desvirginando a madrugada
Quero sentir a dor dessa manhã

Nascendo, rompendo, rasgando 
E tomando meu corpo e então eu...
Chorando, sofrendo, sorrindo, adorando 
Gritando feito louco alucinado e criança 
Sentindo o meu amor se derramando
Não dá mais pra segurar
Explode, coração! 

(Gonzaguinha) 

01) Justifique o título da canção, aproveitando para sugerir um outro: 

02) Circule no texto os verbos no gerúndio, explicando a importância deles para o contexto:

03) Transcreva um exemplo de polissíndeto, explicando seu raciocínio: 

04) Copie da canção uma prosopopeia, justificando sua resposta: 

05) Localize no texto verbos no infinitivo, dizendo que efeito isso causou ao texto: 

06) Copie da canção um exemplo de assíndeto, explicando seu raciocínio: 

07) Transcreva da música dois pares de antíteses, justificando sua resposta: 

08) Copie da canção uma comparação, explicando-a: 

09) Copie do texto um vocativo, explicando seu raciocínio: 

10) Qual o efeito estilístico conseguido pelo uso da gradação na música? Explique bem: 

11) Na passagem "Desvirginando a madrugada" temos uma personificação ou uma metáfora? Justifique a resposta: 

12) Que efeito semântico e estilístico se obtém com o uso de sinônimos num mesmo verso? Exemplifique: 

13) Que mensagem a música transmite? 

14) O verso "Explode, coração" possui sentido denotativo ou conotativo? Explique: 

domingo, 1 de fevereiro de 2015

Atividade sobre a música "Admirável chip novo", da Pitty


Admirável chip novo

Pane no sistema, alguém me desconfigurou
Aonde estão meus olhos de robô?
Eu não sabia, eu não tinha percebido
Eu sempre achei que era vivo
Parafuso e fluido em lugar de articulação

Até achava que aqui batia um coração
Nada é orgânico, é tudo programado
E eu achando que tinha me libertado,
Mas lá vêm eles novamente e eu sei o que vão fazer:
Reinstalar o sistema

Pense, fale, compre, beba
Leia, vote, não se esqueça
Use, seja, ouça, diga
Tenha, more, gaste e viva

Pense, fale, compre, beba
Leia, vote, não se esqueça
Use, seja, ouça, diga...
Não senhor, sim senhor, não senhor, sim senhor.

 (Pitty)


01) O enunciador na canção parece confuso: não sabe ao certo se é uma pessoa ou uma máquina. Levante passagens que comprovem isso:

02) Qual a intenção do autor a levantar essa dúvida, essa confusão? Justifique sua resposta:

03) Você acha que isso é algo comum de acontecer? Por quê?

04) Em alguma situação você já se sentiu como um robô? Tente explicar em que caso isso aconteceu e por que você teve essa sensação:

05) O título da música em questão dialoga com um famoso livro de Aldous Huxley ("Admirável mundo novo") e também com outra música, de Zé Ramalho (Admirável gado novo"). Pesquise e teça um parágrafo falando sobre as semelhanças e diferenças entre eles:

06) Copie da música alguns verbos no modo imperativo e diga que leitura se pode fazer em cima disso:

07) Você já se sentiu “reconfigurado(a)”? Por quê? Por quem?

08) Qual a função de linguagem predominante na terceira e quarta estrofes? Justifique sua resposta:

09) Que metáfora podemos afirmar que aparece no texto? Explique:

10) O que significa, pelo contexto, “reinstalar o sistema” e quando isso ocorre?

11) Explique a dupla possibilidade de interpretação do verso “Eu sempre achei que era vivo”:

12) Transcreva do texto três advérbios, classificando-os:

13) Justifique o título da letra de música, aproveitando para criar um outro que seja possível:

14) Encontre na canção todos os elementos da comunicação: emissor, receptor, mensagem, código, canal e referente:

15) Quem é o eu lírico do texto? Caracterize-o:

16) Altere os verbos das terceira e quarta estrofes para o gerúndio e diga que mudança isso acarretaria:

17) Elabore pequenos trechos utilizando os verbos de cada um verso, nos seguintes tempos:

*No 1º verso: pretérito perfeito do indicativo.
*No 2º verso presente do subjuntivo.
*No 3º verso: futuro do pretérito do indicativo.
*No 4º verso: pretérito imperfeito do subjuntivo.

18) Comente sobre a decepção do eu lírico:

19) O conteúdo da letra está no sentido denotativo ou conotativo? Comente:


20) Classifique morfologicamente as palavras do título e comente por que duas delas pertencem a mesma categoria:

21) O que representa a sequência de palavras utilizadas na terceira e quarta estrofes?

22) "Parafuso e fluido em lugar de articulação". Qual outra expressão poderia substituir: "em lugar de" sem alterar o sentido?

23) "Nada é orgânico, é tudo programado".

a) Qual a classe gramatical das palavras: "nada" e "tudo"?
b) Uma figura de linguagem que indica oposição aparece no verso. Qual?

25) Que mensagem a canção pode nos transmitir? 


26) Transforme a letra da música em uma história em quadrinhos (HQ), não esquecendo de incluir também onomatopeias, interjeições e outros elementos característicos do gênero:

27) Imagine que você é o eu lírico e enviará uma carta protestando contra a sua "Reinstalação do sistema".  Como ficou sua carta? Mostre-nos:

28) Se o eu lírico fosse o planeta Terra, como ficaria a letra da música? Com base nisso, reescreva a letra com todas as alterações necessárias:

29) A letra de música levanta alguns questionamentos muito importantes para nossa reflexão. Leia o texto novamente e produza um texto argumentativo, sobre as seguintes questões: “Nós realmente temos direito de escolha ou isso é apenas uma mera ilusão?”

30) A terceira estrofe tem exatamente sete sílabas poéticas. Como são chamadas as estrofes com sete sílabas poéticas?

31) Na única frase com imperativo negativo há um pronome pessoal do caso oblíquo. Explique a sua colocação:

32) Em “Aonde estão meus olhos de robô?", a palavra destacada foi usada corretamente? Por quê? Se for necessário, faça as devidas alterações:

33) Qual a reflexão que se pode fazer acerca da letra dessa música? Ela nos chama a atenção para qual problemática vivenciada pela sociedade atual?

34) Justifique o emprego do acento circunflexo no verbo "vêm" no verso: “Mas lá vêm eles novamente”:


(Participação especial das amigas artemanhosas Sandra Vitezi, Zizi Casemiro, 
Lourdes Galhardo, Vânia Oliveira, Nalva Kássia e Fabi Behling)


P.S.: Vale muito a pena trabalhar a intertextualidade utilizando também a música "Admirável gado novo", do cantor Zé Ramalho. Para isso, basta clicar na música, que possui um link que remete à atividade relacionada a ela, aqui neste blog. 

Atividade sobre a música "Brasil Corrupção" , da Ana Carolina


Brasil Corrupção

Neste Brasil corrupção
Pontapé bundão

Puto saco de mau cheiro

Do Acre ao Rio de Janeiro

Neste país de manda-chuvas
Cheio de mãos e luvas
Tem sempre alguém se dando bem 
De São Paulo a Belém 

Eu pego meu violão de guerra 
Pra responder essa sujeira 
E como começo de caminho 
Quero a unimultiplicidade 
Onde cada homem é sozinho 
A casa da humanidade

Não tenho nada na cabeça 
A não ser o céu 
Não tenho nada por sapato 
A não ser o passo 

Neste país de pouca renda 
Senhoras costurando 
Pela injustiça vão rezando 
Da Bahia ao Espírito Santo 

Brasília tem suas estradas 
Mas eu navego é noutras águas 
E como começo de caminho 
Quero a unimultiplicidade 
Onde cada homem é sozinho 
A casa da humanidade...

(Ana Carolina e Tom Zé)



01) Justifique o título dado à canção:

02) Explique a poesia contida nos seguintes versos: "Não tenho nada na cabeça  a não ser o céu":

03) Você acha que o Brasil merece mesmo ser associado à corrupção? A que você associaria este país? E quem é estrangeiro? Como você acha que o enxerga?

04) Você acha que todo brasileiro é corrupto? Vale a pena morar num país de políticos corruptos? Justifique:

05) Comente o que o autor quis dizer com os versos: "E como começo de caminho / Quero a unimultiplicidade / Onde cada homem é sozinho /  A casa da humanidade": 

06) Baseando-se na letra dessa música, crie uma nova bandeira para o Brasil, uma que tenha realmente a cara atual dele! Capriche!

07) "Pela injustiça vão rezando / da Bahia ao Espírito Santo". Se trocarmos "Espírito Santo" por "Santa Catarina" teremos o acento indicador de crase? Por quê?


08) Em "Onde cada homem é sozinho / A casa da humanidade", determine a função sintática do pronome ONDE na oração em questão:


09) Classifique o predicado da oração "Não tenho nada na cabeça", dizendo se essa passagem está no sentido denotativo ou conotativo: 

10) Na oração "Eu pego meu violão de guerra", o termo destacado é complemento nominal ou adjunto adnominal? Justifique:

11) Algumas locuções adjetivas têm um adjetivo de valor semântico equivalente, como é o caso da expressão "de guerra", que é o mesmo que bélico. Na frase "Pego meu violão de guerra", essa troca daria o mesmo efeito à frase? Explique:

12) Que mensagem a música lhe transmitiu? Comente: