terça-feira, 25 de setembro de 2012

Atividade sobre música explicando o Romantismo

Romantismo

Excesso de sofrimento 
Mulher fenomenal
O herói sempre presente
Romantismo é legal! 

A morte serve de fuga
Se renunciam a viver
A natureza é cúmplice 
Por amor posso morrer
Poeta romântico espelha
Excesso do eu nos poemas
Criando com liberdade
Romantismo em vários temas

Três gerações encontramos
Na poesia do Romantismo:
Nacionalista, Ultrarromântica
E por fim o Condoreirismo

Gonçalves Dias retrata
Índio e nacionalismo
"Minha terra tem palmeiras"
Nunca me esqueço disso!

Álvares de Azevedo é sofrido
A morte ele procurou
Culpado pelo mal-do-século
"Foi poeta, sonhou e amou".

Castro Alves é condoreiro
Sua poesia é social
Dos escravos revela drama
Descreve a mulher sensual
"Navio Negreiro", sua marca
De eloquência e vibração
"Espumas flutuantes" cultiva
Mulher, natureza e nação.

"A Moreminha" é um romance
De aspecto urbano
Do conhecido Macedo
Que açucara o cotidiano
"A virgem dos lábios de mel"
É a Iracema de Alencar
Deflorada por Martim
América vem simbolizar
De Manuel de Almeida
O sargento de milícias
Leonardo é o primeiro anti-herói
Que se enrola com a polícia. 

(Autor desconhecido)

01) Que características do Romantismo são destacadas na canção acima?

02) Quais são as três gerações românticas? Descreva cada uma delas: 

03) De qual delas você mais gosta? Por quê?

04) Quais são os autores principais citados na música? A que geração cada um pertence? 

05) Explique o emprego das aspas, respectivamente:

06) Que romances marcaram a prosa romântica? Você já leu algum? Se sim, qual? 

07) Por que o nome "Iracema" não veio entre aspas na canção? 

08) Escreva, com suas palavras, o que você entendeu do Romantismo:

09) Invente um ritmo bem legal para cantar a música que você analisou:

10) Dê um título bem sugestivo para a canção: 

segunda-feira, 24 de setembro de 2012

Atividade sobre o texto "O Cupidóide"

O Cupidóide

O destino de todo cupidóide é apaixonar-se violentamente. Seu rabo possui uma seta, a qual está embebida da essência divina do amor. Como seu rabo é curvado, ele sempre espeta a si mesmo. A característica deste veneno é que a pessoa se apaixona pela primeira coisa que vê, seja ela o que for. Assim, temos inúmeros casos de cupidóides apaixonados por pedras, caixinhas de fósforo, tampinhas de refrigerante, moedas, ou mesmo por pontes, automóveis. E como, na maioria dos casos, ele dificilmente tem o seu amor correspondido, o cupidóide é um espécime terrivelmente amargurado. Vive enchendo a cara e sofre de um ciúme doentio. Um cupidóide se apaixonou por um guardanapo de papel, que tinha, impressa, uma boca de batom. Como não recebeu nenhuma atenção do ser amado, passou a vigiá-lo em toda a parte por onde o vento o carregava, até que o guardanapo foi parar num rio e o cupidóide morreu afogado. É, como se vê, uma espécie terrivelmente estúpida, sem nenhuma resistência e em vias de extinção.
(Tacus)
01) Justifique o título dado ao texto acima:

02) Qual é o radical da palavra "Amargurado"? 

03) Qual é a desinência que aparece na palavra "pontes"?O que essa desinência indica?

04) Qual a desinência encontrada na forma verbal "temos"? O que essa desinência indica?

05) Identifique e classifique o afixo que aparece na palavra "resistência":

06) Forme duas novas palavras a partir da palavra "papel", empregando sufixos: 

07) Indique os elementos que compõem a forma verbal "carregava":

08) Diga a que classe gramatical pertence cada palavra sublinhada no texto: 

Atividade sobre a música "O caderno", de Toquinho


O caderno

Sou eu que vou seguir você Do primeiro rabisco Até o be-a-bá. Em todos os desenhos Coloridos vou estar A casa, a montanha Duas nuvens no céu E um sol a sorrir no papel Sou eu que vou ser seu colega Seus problemas ajudar a resolver Te acompanhar nas provas Bimestrais, você vai ver Serei, de você, confidente fiel Se seu pranto molhar meu papel Sou eu que vou ser seu amigo Vou lhe dar abrigo Se você quiser Quando surgirem Seus primeiros raios de mulher A vida se abrirá Num feroz carrossel E você vai rasgar meu papel O que está escrito em mim Comigo ficará guardado Se lhe dá prazer A vida segue sempre em frente O que se há de fazer Só peço, a você Um favor, se puder Não me esqueça Num canto qualquer

(Toquinho)

01) Justiique o título empregado na canção, aproveitando para sugerir um outro: 

02) Copie um par de rimas de que você tenha gostado: 

03) O caderno a que a música se refere é uma espécie de diário ou de aula? Comprove sua resposta com uma passagem do texto: 


04) Quantos versos compõem a música? Em quantas estrofes eles são dispostos? 

05) Qual é o assunto da canção? Justifique sua resposta: 

06) O que a música despertou em você? Explique: 

07) Que mensagem a música transmite? Comente: 

08) Ilustre a canção utilizando uma folha A4: 

09) Localize na música:

a) um numeral ordinal:
b) cinco substantivos:
c) um numeral cardinal:

d) dois adjetivos: 

quinta-feira, 20 de setembro de 2012

Atividade com "Dominó dos Adjetivos By Dequinha"

Já que meus alunos curtiram tanto o DOMINÓ DAS COORDENADAS, resolvi repetir a dose e criar um outro, mas desta vez para fixar o assunto ADVÉRBIOS! Mesmo esquema: imprimir as tirinhas abaixo em papel colorido (de preferência, para ficar mais "alegre", cortá-las e, no dia, entregar para cada grupo de três ou quatro pessoas para simplesmente jogar... é o famoso "aprender brincando"!!! Tem coisa melhor?!?


Advérbio de Tempo


O vôlei é certamente o esporte do futuro



Advérbio de Tempo


Você se saiu bem na prova?



Advérbio de Tempo


Sua casa fica muito mais distante da minha



Advérbio de Tempo


Já sabe quão especial você é?



Advérbio de Tempo


Angélica é bastante inteligente



Advérbio de Tempo


Venha aqui agora!



Advérbio de Tempo


Não sei aonde irás




Advérbio de Modo


Ela às vezes é muito estressada



Advérbio de Modo


O público aplaudiu menos intensamente



Advérbio de Modo


Eu sempre me esqueço dos detalhes



Advérbio de Modo


O brasileiro sem dúvida gosta de novela



Advérbio de Modo


Ontem não fui à escola



Advérbio de Modo


Mariana chegou cedíssimo




Advérbio de Lugar


Dirigiu-se respeitosamente ao professor



Advérbio de Lugar


Os escritores se apresentaram timidamente



Advérbio de Lugar


De repente do riso fez-se o pranto



Advérbio de Lugar


Coma mais devagar!



Advérbio de Lugar


Ela às vezes é muito estressada




Advérbio de Intensidade



Quem sabe eu o acompanhe amanhã?





Advérbio de Intensidade


Está frio aqui dentro de casa



Advérbio de Intensidade


Provavelmente passarei na sua casa



Advérbio de Intensidade


Chegou passando mal




Advérbio de Dúvida


Onde você está agora?



Advérbio de Dúvida


Talvez hoje chova



Advérbio de Dúvida


Não fique triste assim!




Advérbio de Afirmação


Onde você está agora?



Advérbio de Afirmação


Provavelmente eu irei ao show




Advérbio de Negação


Talvez hoje chova



Não se esqueça de deixar um comentário aqui na postagem relatando a sua experiência utilizando esse dominó! Vou adorar saber e, quem sabe, não me animo e crio logo outros, para vários assuntos gramaticais!?!? Um abraço a todos!!! Até breve!!! 

quarta-feira, 19 de setembro de 2012

Atividade sobre a crônica "Conversinha mineira", de Fernando Sabino

Conversinha mineira

-- É bom mesmo o cafezinho daqui, meu amigo?
-- Sei dizer não senhor: não tomo café.
-- Você é dono do café, não sabe dizer?
-- Ninguém tem reclamado dele não senhor.
-- Então me dá café com leite, pão e manteiga.
-- Café com leite só se for sem leite.
-- Não tem leite?
-- Hoje, não senhor.
-- Por que hoje não?
-- Porque hoje o leiteiro não veio.
-- Ontem ele veio?
-- Ontem não.
-- Quando é que ele vem?
-- Tem dia certo não senhor. Às vezes vem, às vezes não vem. Só que no dia que devia vir em geral não vem.
-- Mas ali fora está escrito "Leiteria"!
-- Ah, isso está, sim senhor.
-- Quando é que tem leite?
-- Quando o leiteiro vem.
-- Tem ali um sujeito comendo coalhada. É feita de quê?
-- O quê: coalhada? Então o senhor não sabe de que é feita a coalhada?
-- Está bem, você ganhou. Me traz um café com leite sem leite. Escuta uma coisa: como é que vai indo a política aqui na sua cidade?
-- Sei dizer não senhor: eu não sou daqui.
-- E há quanto tempo o senhor mora aqui?
-- Vai para uns quinze anos. Isto é, não posso agarantir com certeza: um pouco mais, um pouco menos.
-- Já dava para saber como vai indo a situação, não acha?
-- Ah, o senhor fala da situação? Dizem que vai bem.
-- Para que Partido?
-- Para todos os Partidos, parece.
-- Eu gostaria de saber quem é que vai ganhar a eleição aqui.
-- Eu também gostaria. Uns falam que é um, outros falam que outro. Nessa mexida...
-- E o Prefeito?
-- Que é que tem o Prefeito?
-- Que tal o Prefeito daqui?
-- O Prefeito? É tal e qual eles falam dele.
-- Que é que falam dele?
-- Dele? Uai, esse trem todo que falam de tudo quanto é Prefeito.
-- Você, certamente, já tem candidato.
-- Quem, eu? Estou esperando as plataformas.
-- Mas tem ali o retrato de um candidato dependurado na parede, que história é essa?
-- Aonde, ali? Ué, gente: penduraram isso aí...
(Fernando Sabino)

01) Quais são as duas personagens envolvidas na história?

02) O viajante parece querer ser simpático com o dono do café. Que elementos de sua fala mostram isso? Copie:

03) Pelas respostas que o dono do café dá ao viajante, parece que ele não quer se comprometer ou então que não gosta de dar respostas diretas.  Que recursos ele utiliza para “não responder” ás duas perguntas do viajante, nesse primeiro segmento?

04) Nesse diálogo, o autor procura reproduzir a linguagem coloquial, informal. Que características da língua falada ali encontramos?

05) A expressão “café com leite” presente no texto tem sentidos diferentes. Quais são eles?

06) Ao responder, “hoje, não senhor”, o dono do café dá ao viajante duas informações: uma está clara e a outra, implícita. Quais são essas informações?

07) Quando o viajante diz “Mas ali fora está escrito “Leiteria!”, o que ele quis dizer com essa afirmação?

08) Ao perguntar de que é feita a coalhada, após ver um sujeito comendo-a, o viajante está realmente querendo saber de que é feita a coalhada? Explique a sua resposta:

09) Que frase do texto mostra a desistência do viajante diante da argumentação do dono do café?

10) Como o dono do café se esquivou de responder claramente à pergunta sobre a política da cidade?

11) O fato de o dono do café não ser do lugar justifica sua alegação de que nada sabia sobre a política local? Por quê?

12) Que recurso de linguagem o dono do café utilizou para tornar imprecisa a resposta dada ao viajante sobre o tempo em que morava na cidade?

13) Que trechos representam expressões típicas da linguagem popular?

14) Ao dizer que gostaria de saber quem ia ganhar a eleição, o que o viajante pretendia?

15) Por que o título da crônica é “Conversinha mineira”?

16) Podemos afirmar que o protagonista é um estereótipo? Explique sua resposta:  

terça-feira, 18 de setembro de 2012

Atividade sobre música explicando o Simbolismo


Simbolismo 

O Simbolismo observe:
Musicalidade marcante 
Sinestesia também 
Subjetivismo constante

Misticismo, mistério
Busca o transcendente
Pra justificar a existência
Mergulha no inconsciente

A musicalidade aparece 
Devido a aliterações 
"Vozes veladas, veludosas vozes"
Volúpias dos violões

Refrão!

Cruz e Souza é revolta
O tédio que causa dor
Obsessão pelo branco,
O erótico e o amor

Ao usar muito soneto
Tende ao Parnasianimo
Na busca de paz pra alma
Explora o Simbolismo

Refrão! 

Alphonsus de Guimaraens
(Acredite se quiser!)
Associa a Virgem Maria
À figura ideal da mulher

Fala do amor e da morte
Temáticas de dor
Místico, religioso
Teve decepções no amor

Refrão!

(Autor desconhecido) 

01) Que características do Simbolismo são bem frisadas nesta música? Cite-as: 

02) O que é sinestesia? Pesquise e dê dois exemplos: 

03) Por que a sinestesia é a figura de linguagem preferida dos simbolistas? 

04) Defina o que é aliteração e aproveite para observar os dois exemplos citados na música:

05) Que dois autores simbolistas são citados na canção? 

06) Por que será que Cruz e Souza tinha preferência pela cor branca? Levante possíveis hipóteses, levando em conta o estilo literário do qual ele é representante:

07) Explique a utilização da expressão "Acredite se quiser" na canção, dizendo a que ela se refere:

08) Causou algum estranhamento associar a Virgem Maria à figura da mulher ideal? Por quê? 

09) Por que Alphonsus de Guimaraens tinha predileção nítida por temáticas de dor? Que pista textual lhe deu essa dica? 

10) Explique, com suas palavras, como identificar textos simbolistas ou com essa tendência:

11) Dê um título sugestivo à música analisada:

12) Invente um ritmo bem legal para cantar a música em questão: 

terça-feira, 11 de setembro de 2012

Atividade sobre a música "Vambora", da Adriana Calcanhoto


Vambora

Entre por essa porta agora
E diga que me adora
Você tem meia hora 
Pra mudar a minha vida

Vem, vambora
Que o que você demora
É o que tempo leva...

Ainda tem o seu perfume pela casa
Ainda tem você na sala 
Por que meu coração dispara
Quando tem o seu cheiro
Dentro de um livro,
Dentro da noite veloz?

Ainda tem o seu perfume pela casa
Ainda tem você na sala 
Porque meu coração dispara
Quanto tem o seu cheiro
Dentro de um livro,
Na cinza das horas...

(Adriana Calcanhoto)

01) Justifique o título empregado na música:

02) Justifique o emprego dos porquês em negrito na canção:

03) Que pedido o eu lírico faz à pessoa amada?

04) Explique as reticências empregadas na canção:

05) Copie da música uma forte marca de oralidade:

06) Tente responder à indagação feita na canção:

07) Que mensagem a música transmite? Comente:

08) Diga a que classe gramatical pertence cada palavra destacada no texto:

domingo, 9 de setembro de 2012

Atividade com a obra "Três garotos jogando dados", de Bartolomé Esteban Murillo


01) Que detalhes do quadro despertam maior atenção? Por quê?

02) O que as crianças estão fazendo na cena retratada?

03) O garoto que está no meio da tela, na sombra, faz um gesto com a mão. O que esse gesto indica?

04) A expressão da criança mais nova, que está em pé, é diferente da expressão das outras duas. Explique por quê:

05) O cachorro olha para o menino que come o pão. O que isso pode indicar?

06) Atualmente, como seriam as crianças em cenas de rua? 

07) Que nota você daria a essa obra de arte? Por quê?

08) Que sensações ela despertou em você? Comente: 

Atividade sobre a poesia "Necrológio dos desiludidos do amor", de Carlos Drummond de Andrade

Necrológio dos desiludidos do amor

Os desiludidos do amor
Estão desfechando tiros no peito,
Do meu quarto ouço a fuzilaria.
As amadas torcem-se de gozo.
Oh, quanta matéria para os jornais! 

(Carlos Drummond de Andrade)


01) Quantas frases há no texto? Justifique sua resposta:  

02) Transcreva do textículo uma frase nominal (se houver), justificando:

03) Quantos períodos existem no texto? Divida-os: 

04) Classifique os períodos encontrados, justificando: 

05) Divida o texto em orações, dizendo quantas você encontrou e o porquê disso: 

06) Copie uma oração com locução verbal, explicando seu raciocínio: 

07) Qual o sentido da palavra NECROLÓGICO, que aparece no título do poema? 

08) Qual é o sujeito da primeira oração do texto? Classifique-o e explique seu raciocínio: 

09) Analise a segunda oração do texto, apontando o seu sujeito, classificando e justificando o mesmo: 

10) Use esta mesma oração agora para analisar o predicado, destacando-o, classificando e também justificando a sua resposta:  

11) Que mensagem o texto lhe transmitiu? Comente: