terça-feira, 12 de junho de 2012

Atividade com a música "Canção do sal", do Milton Nascimento

Canção do sal

Trabalhando o sal
É amor o suor que me sai
Vou viver cantando
O dia tão quente que faz
Homem ver criança
Buscando conchinhas no mar
Trabalho o dia inteiro
Pra vida de gente levar
"Água vira sal lá na salina
Quem diminuiu água do mar?
Água enfrenta sol lá na salina
Sol que vai queimando até queimar"
Trabalhando o sal
Pra ver a mulher se vestir
E ao chegar em casa
Encontrar a família a sorrir
Filho vir da escola
Problema maior é o de estudar
Que é pra não ter meu trabalho
E vida de gente levar.

(Milton Nascimento)

01) Justifique o título da canção:

02) Por que o trabalhador do sal considera seu próprio suor uma forma de amor?

03) Aponte passagens do texto em que se podem perceber as condições de trabalho de quem canta:

04) Por que se diz que a água do mar diminui?

05) Retire do texto as passagens em que o trabalhador do sol nos informa as finalidades de seu trabalho:

06) É possível formular alguma opinião sobre o que o trabalhador do sal pensa da sua própria atividade? Por quê?

07) Que mensagem a música lhe transmitiu?

segunda-feira, 4 de junho de 2012

Atividade sobre música explicando o Parnasianismo


Parnasianismo

Lapidação das palavras
Presente o descritivismo
"Arte pela arte" é o ideal
Do Parnasianismo

Métricas são perfeitas
Formalismo da poesia 
Preferência pelo soneto
Volta da Mitologia

É uma poesia plástica
Palavra, a matéria-prima
Imagens com muitas cores
Ricas são as suas rimas

Refrão! 

Olavo Bilac é o príncipe
O ourives da palavra
Além do amor sensual,
Patriotismo exaltava

Na "Profissão de fé"
Virou manifesto parnasiano
Não quis saber dos problemas
Considerados urbanos

Refrão! 

Na tríade parnasiana
Temos o Raimundo Correia
Além de Olavo Bilac 
E Alberto de Oliveira

Alberto de Oliveira é ortodoxo
Preso ao rigor formal
Correia aproxima-se do Romantismo
Com a mulher ideal

Refrão! 

(Autor desconhecido)


01) Que características do estilo literário Parnasianismos estão presentes na música?

02) Por que "Profissão de fé" tornou-se um manifesto parnasiano? Do que esse texto falava?

03) Tente diferenciar, de alguma forma, o estilo dos três principais poetas parnasianos:

04) Quem formava a chamada "tríade parnasiana"?

05) Explique, com suas palavras, como reconhecer um texto parnasiano ou com essa tendência:

06) Invente um ritmo bem legal para cantar a música analisada: 

Atividade sobre o texto "O sofá estampado", de Lygia Bojunga Nunes

O sofá estampado

É pequeno, tem só dois lugares. E fica perto da janela. Pro sol não desbotar o estampado, a Dona-da-casa fez uma cortina branca, fininha e toda franzida; no fim de atravessar tanto pano, a luz entra cansada na sala, clareando tudo de leve. 
É só passar pelo sofá que a Dona-da-casa começa: ajeita um almofadão, estica a ponta do tapete, arruma a cortina na janela, anda pra trás pra ver o efeito, e aí suspira contente "é uma graça!"
E é. O sofá estampado é uma graça. Gorducho. Braço redondo. Fazenda bem esticada. Mais pra baixo que pro alto. Mas o melhor de tudo -- longe, nem se discute -- é o estampado que ele tem: amarelo bem clarinho, todo salpicado de flor; ora é violeta, ora é margarida, e lá uma vez que outra também um monsenhor. 
O resto todo da sala foi arrumado pra combinar com o sofá: poltrona verde-musgo, tapete marrom, espelho redondo pra botar na parede branca um pouco do estampado, e mais isso e mais aquilo, e mais a Dalva também. Porque o sofá estampado não é só ele e pronto: é ele, e a Dalva.

(Lygia Bojunga Nunes)

01) Justifique o título dado ao texto:

02) O texto é narrativo, descritivo ou dissertativo? Por quê?

03) Por que a Dona-da-casa não tem um nome? Qual a intenção do autor com isso?

04) Justifique as aspas empregadas no texto:

05) Copie do texto duas palavras antônimas:

06) Quem seria a Dalva, citada no texto?

07) Que mensagem o texto transmite?

08) Colhendo todos os detalhes, desenhe o tal sofá estampado: