segunda-feira, 30 de abril de 2012

Atividade sobre sermão de Padre Antônio Vieira

Leia atentamente o sermão de Padre Antônio Vieira a seguir:

“O trigo que semeou o pregador evangélico, diz Cristo que é a palavra de Deus. Os espinhos, as pedras, o caminho e a terra boa, em que o trigo caiu, são os diversos corações dos homens. Os espinhos são os corações embaraçados com cuidados, com riquezas, com delícias; e nestes afoga-se a palavra de Deus. As pedras são os corações duros e obstinados; e nestes seca-se a palavra de Deus, e se nasce, não cria raízes. Os caminhos são os corações inquietos e perturbados com a passagem e tropel das coisas do Mundo, umas que vão, outras que vêm, outras que atravessam – e todas passam; e nestes é pisada a palavra de Deus, porque a desatendem ou a desprezam. Finalmente, a terra boa são os corações bons ou os homens de bom coração; e nestes prende e frutifica a palavra divina, com tanta fecundidade e abundância.”

01) Com que o autor compara a palavra de Deus? Explique a comparação: 

02) Segundo o autor, a palavra de Deus destina-se a quatro tipos de coração. Que metáfora (comparação direta) representa cada um deles?

03) Qual coração seria o seu? Justifique sua resposta: 

04) Copie do texto uma frase que expressa opinião sobre a efemeridade das coisas terrenas, característica do Barroco, e explique:

05) Transcreva do texto um par de antítese:

domingo, 29 de abril de 2012

Proposta de Redação: Mafalda e a vitrine


Elabore um texto, de até 15 linhas, contando com suas palavras a situação vivida pela menina diante da vitrine!  Não deixe escapar nenhum detalhe, combinado? Não se esqueça também de dar um título bem interessante e criativo ao seu textículo! Arrase!

sábado, 28 de abril de 2012

Atividade sobre o texto "12 dicas divertidas" - Produção textual


01) Qual a finalidade do texto acima? Ela foi atingida? Por quê?

02) Há a presença da função metalinguística? Justifique sua resposta:

03) De que dica você mais gostou? Explique:

04) Que mensagem o texto transmite? Comente:

quinta-feira, 26 de abril de 2012

Atividade sobre "Sorria!", de Fernando Bonassi

O texto a seguir me foi apresentado por um colega de Geografia, Afonso, e, assim que bati os olhos nele, senti que poderia dar um bom "caldo", de tão interessante e desafiador que o considerei. Lembrei-me de "Circuito fechado", de Ricardo Ramos, tão bom quanto! Fica aqui a dica!

Sorria! 

Deposite aqui. Aguarde. Ficha no caixa.
Leve três. Aceitamos todos os tíquetes.
Só com RG. Não pise
na faixa. Pague dois. Por quilo.
Facilite o troco. Até o vencimento.
Débito automático. Fila única.
Não tem chave. Não insista. Crédito
obrigatório. Confira. Buzine.
Conforme instruções. Relaxe.
É lei. Digite a senha. Silêncio. À vista.
Visite nossa cozinha. Senha não confere.
Obrigada. Atenção. Em jejum.
Fale com nossas operadoras.
Não desligue. Por favor. Não perfure.
Cuidado. Não rasure. Pare. Não amasse.
Bloqueado. Deseja salvar?
Sorria! Você está sendo filmado.

(Fernando Bonassi)


01) Quantas frases existem no texto? Organize-as de acordo com a possível profissão de quem teria feito uso delas:

02) Crie uma pergunta criativa para que pudesse ser respondida com uma dessas frases:

03) Há, no texto, uma palavra que foi nitidamente “aportuguesada”. Qual é ela? E a que língua ela pertencia?

04) Que mensagem o texto lhe transmitiu?

05) Quais as situações diárias de nossa vida reveladas nesse texto?

06) Crie um texto como este de um dia da sua vida:

07) Reorganize melhor o texto para que ele fique coeso e coerente:

08) O título está de acordo com o contexto da historia? Explique:

09) No texto, aparecem vários verbos no imperativo. Qual ou quais sentidos o autor quis despertar no leitor?

10) No texto lido, qual a função da linguagem predominante? Que marcas linguísticas podem comprovar sua resposta?

11) Em “Só com RG”, embora tenhamos uma ideia completa, não há uma oração. Explique:

12) No texto, existem mais períodos simples ou períodos compostos? Por quê?

13) Crie uma situação de comunicação que contextualizem as frases e expressões abaixo:
- Aceitamos todos os tíquetes.
- Só com RG.
- Não insista.
- Senha não confere.
- Fale com nossas operadoras.
- Deseja salvar?
- Sorria! Você está sendo filmado.

14) Qual tipo textual predomina no texto? Justifique:

15) Apesar de não haver elementos coesivos, podemos perceber claramente uma sequência textual. Explique por que isso ocorre:

16)  Existe mesmo possibilidade de o povo sorrir recebendo tantas ordens, tantos comandos? Ou você acredita que o povo reclame, questione tudo isso? Comente:

17) Qual a classe social que mais se adéqua com o texto? Por quê?

18) A ordem “buzine” existe? Ou é uma sugestão do emissor?

19) Crie uma imagem que ilustre bem o texto:

20) Mencione alguns locais e/ou situações nas quais você se depara com as frases do texto:

21) Escolha cinco frases que você considera simpáticas e outras cinco nem tanto. Justifique:

22) Elabore um gibi expondo as situações nas quais algumas dessas frases aparecem no seu dia-a-dia:

23) Encontre no texto cinco frases nominais e cinco frases verbais:

24) Escolha duas frases verbais e as transforme em nominais:

25) Escolha duas frases nominais e as transforme em verbais:

26) Escolha duas frases com períodos simples e as transforme em períodos compostos:

27) Encontre no texto um exemplo de frase: negativa, afirmativa, interrogativa e exclamativa:

28) Pense em uma pessoa que está diariamente em contato com essas frases. Que perfil essa pessoa teria? Elabore um texto narrativo/descritivo sobre o tema:

29) O que você pensa sobre esse tipo de comunicação indireta? Quais aspectos são positivos? Quais são negativos? Pense nisso e elabore um texto opinativo:

30) Por que este texto não seria, por exemplo, entendido numa zona rural do Amazonas?

(Autores: Andreia Dequinha, Cris Barata, Maria Regina, Édina Moura, Débora Patrícia, Sandra Vitezi, Carmem Lúcia, Vânia Oliveira, Hellem Toledo, Marly Corrêa, Helaine Soares, Sandra Prado e Zizi Cassemiro)

quarta-feira, 25 de abril de 2012

Atividade sobre o vídeo "O poder das palavras" (2 minutos)


01) Justifique o título dado ao vídeo acima:

02) Qual é a dificuldade exposta nele?

03) Qual foi a solução encontrada pelo protagonista? Ela funcionou?

04) Havia algum problema no cartaz escrito pelo homem? Justifique sua resposta:

05) Que função da linguagem estava presente nesse cartaz inicial? Por quê?

06) Que atitude diferente das demais pessoas a mulher teve? Que consequência ela teve?

07) O que passou a acontecer depois dessa ação da mulher?

08) Como o protagonista percebe que a mulher voltou para falar com ele?

09) Você imaginava o que ela tinha escrito? Ela, de fato, escreveu a mesma coisa que ele, só que de maneira diferente?

10) Se era a mesma coisa escrita no cartaz, por que então as pessoas tiveram um comportamento diferente? Explique:

11) A que função da linguagem a mulher recorreu? Justifique sua resposta:

12) Que mensagem o vídeo transmite? Comente:

13) Você já tentou mudar o dia de alguém? Como se sentiu? Se não, está esperando o quê?

14) Alguém já teve alguma ação que mudou o seu dia? Como foi?

(Vídeo sugerido pela colega Yara Reis, do grupo "INTEXTOS"!!!)

terça-feira, 24 de abril de 2012

Atividade com recortes de jornais ou revistas


Depois de prestar muita atenção no vídeo acima, que tal propor para os seus alunos uma atividade bem dinâmica utilizando recortes de jornais ou revistas?!? Os meus costumam curtir pra valer... sempre fazem  suuuuper animados, apesar do medo inicial por perceberem que praticamente nenhuma palavra tem algo a ver com a outra!!! (e não sabem eles que a intenção é justamente esta!!!)

A mágica de tal atividade é justamente desafiar cada dupla (mas pode fazer individualmente ou em trio, dependendo do gosto do freguês) a usar as dez (ou mais) palavras (e até mesmo frases, se quiser dar uma dificultada básica!) que cada uma recebeu e transformar algo solto em um texto coeso, coerente, bem "costuradinho" e com sentido de unidade!!! Melhor forma de se aprender, na prática, coesão e coerência!!! Recomendo!!! Tente e depois me diga como foi, combinado?!?

quarta-feira, 11 de abril de 2012

Proposta de Redação - Mafalda e a democracia


Sou apaixonada pela Mafalda, que sempre está nos surpreendendo e nos dando verdadeiras lições de moral! Esta tirinha então, sobre a piada que é a democracia em nosso país, é demais! Aposto como ele daria um delicioso tema de redação! Que tal você sugerir dez temas possíveis e dois títulos para cada um deles?!? Arrase!!!

Atividade sobre a música "Como nossos pais", de Elis Regina


Como nossos pais 

Não quero lhe falar,
Meu grande amor,
Das coisas que aprendi nos discos
Quero lhe contar como eu vivi
E tudo que aconteceu comigo

Viver é melhor que sonhar
Eu sei que o amor é uma coisa boa
Mas também sei 
Que qualquer canto é menor
Do que a vida de qualquer pessoa

Por isso cuidado, meu bem,
Há perigo na esquina
Eles venceram 
E o sinal está fechado pra nós,
Que somos jovens

Para abraçar seu irmão 
E beijar sua menina, na rua
É que se fez o seu braço, 
O seu lábio
E a sua voz

Você me pergunta pela minha paixão
Digo que estou encantado
Com uma nova invenção
Vou ficar nessa cidade
Não vou voltar pro sertão
Pois vejo vir vindo no vento
O cheiro da nova estação
Eu sei de tudo na ferida viva
Do meu coração

Já faz tempo eu vi você na rua
Cabelo ao vento
Gente jovem reunida
Na parede da memória,
Essa lembrança é o quadro que dói mais

Minha dor é perceber
Que apesar de termos feito
Tudo, tudo, tudo que fizemos
Ainda somos os mesmos e vivemos
Ainda somos os mesmos e vivemos
Como os nossos pais

Nossos ídolos ainda são os mesmos
E as aparências não enganam não
Você diz que depois deles
Não apareceu mais ninguém

Você pode até dizer que eu estou por fora
Ou então que eu estou inventando
Mas é você que ama o passado e que não vê
É você que ama o passado e que não vê
Que o novo sempre vem

E hoje eu sei que quem me deu a ideia
De uma nova consciência e juventude
Está em casa guardado por Deus
Contando vil metais

Minha dor é perceber
Que apesar de termos feito
Tudo, tudo, tudo que fizemos
Ainda somos os mesmos e vivemos
Ainda somos os mesmos e vivemos
Ainda somos os mesmos e vivemos
Como os nossos pais! 

(Elis Regina)


01) Justifique o título da canção: 

02) Circule no texto um vocativo, justificando seu raciocínio:

03) Posicione-se sobre o verso em destaque na letra de música, justificando seu ponto de vista:

04) Explique quem seriam "eles", que se encontra em negrito no texto:

05) Que mensagem a música lhe transmitiu? Comente:

terça-feira, 10 de abril de 2012

Atividade sobre a música "Burguesia", de Cazuza


Burguesia 

A burguesia fede
A burguesia quer ficar rica
Enquanto houver burguesia 
Não vai haver poesia

A burguesia não tem charme nem é discreta
Com suas perucas de cabelos de boneca
A burguesia quer ser sócia do Country
A burguesia quer ir a New Yor fazer compras

Pobre de mim que vim do seio da burguesia
Sou rico, mas não sou mesquinho
Eu também cheiro mal
Eu também cheiro mal

A burguesia tá acabando com a Barra
Afunda barcos cheios de crianças
E dormem tranquilos
E dormem tranquilos

Os guardanapos estão sempre limpos
As empregadas, uniformizadas, 
São caboclos querendo ser ingleses
São caboclos querendo ingleses

A burguesia fede
A burguesia quer ficar rica
Enquanto houver burguesia
Não vai haver poesia 

A burguesia não repara na dor
Da vendedora de chicletes
A burguesia só olha pra si
A burguesia só olha pra si
A burguesia é a direita, é a guerra

A burguesia fede
A burguesia quer ficar rica
Enquanto houver burguesia
Não vai haver poesia 

As pessoas vão ver que estão sendo roubadas
Vai haver uma revolução
Ao contrário de 64
O Brasil é medroso
Vamos pegar o dinheiro roubado da burguesia
Vamos pra rua
Vamos pra rua
Vamos pra rua
Vamos pra rua

Vamos acabar com a burguesia
Vamos dinamitar a burguesia
Vamos por a burguesia na cadeia
Numa fazenda de trabalhos forçados
Eu sou burguês, mas não sou artista
Estou do lado do povo, do povo

A burguesia fede, fede, fede, fede
A burguesia quer ficar rica
Enquanto houver burguesia
Não vai haver poesia

Porcos num chiqueiro
São mais dignos que um burguês
Mas também existe o bom burguês
Que vive do seu trabalho honestamente
Mas este quer construir um país
E não abandoná-lo com uma pasta de dólares
O bom burguês é como o operário
É o médico que cobra menos pra quem não tem
E se interessa por seu povo
Em seres humanos vivendo como bichos
Tentando te enforcar na janela do carro
No sinal, no sinal
No sinal, no sinal

A burguesia fede
A burguesia quer ficar rica
Enquanto houver burguesia
Não vai haver poesia

(Cazuza)

01) Justifique o título dado à canção, aproveitando para sugerir um outro:

02) Por que você acha que "a burguesia fede"? Você concorda com isso? 

03) Explique os versos destacados no começo da música: 

04) Por que o eu lírico assume que também cheira mal? No que ele difere da burguesia propriamente dita? 

05) Copie da cançãofortes marcas de oralidade:

06) O que o verso "E dormem tranquilos" transmite? O que você pensa sobre isso?

07) Interprete o verso em destaque na quinta estrofe:

08) Transcreva da canção uma passagem que revela que a burguesia é insensível e falta empatia a ela: 

09) Posicione-se sobre o verso destacado na sétima estrofe:

10) Que mensagem a música transmite? Comente: