quarta-feira, 28 de março de 2012

Atividade sobre o texto "O coveiro", de Millôr Fernandes


O coveiro

Ele foi cavando, cavando, cavando, pois sua profissão - coveiro - era cavar. Mas, de repente, na distração do ofício que amava, percebeu que cavara demais.Tentou sair da cova e não conseguiu. Levantou o olhar para cima e viu que sozinho não conseguiria sair. Gritou. Ninguém atendeu. Gritou mais forte. Ninguém veio. Enrouqueceu de gritar, cansou de esbravejar, desistiu com a noite. Sentou-se no fundo da cova, desesperado. A noite chegou, subiu, fez-se o silêncio das horas tardias. Bateu o frio da madrugada e, na noite escura, não se ouviu um som humano, embora o cemitério estivesse cheio de pipilos e coaxares naturais dos matos. Só pouco depois da meia-noite é que vieram uns passos. Deitado no fundo da cova o coveiro gritou. Os passos se aproximaram. Uma cabeça ébria apareceu lá em cima, perguntou o que havia: O que é que há? 
O coveiro então gritou, desesperado: Tire-me daqui, por favor. Estou com um frio terrível! Mas, coitado! - condoeu-se o bêbado - Tem toda razão de estar com frio. Alguém tirou a terra de cima de você, meu pobre mortinho! E, pegando a pá, encheu-a e pôs-se a cobri-lo cuidadosamente. 

Moral: Nos momentos graves é preciso verificar muito bem para quem se apela.

(Millôr Fernandes) 

01) Qual é o tipo de narrador? Justifique sua resposta:

02) Quais são as personagens dessa história?

03) Trata-se de um texto narrativo, dissertativo ou descritivo? Por quê? 

04) Onde reside o humor do texto? Comente:

05) Por que a escolha justamente do bêbado para ser uma das personagens foi importante?

06) Por que podemos afirmar que o texto comprova o clichê "por ironia do destino"? Explique:

07) Justifique o título do texto, dizendo que outro você daria: 


08) Por que o coveiro não percebeu que tinha cavado demais? 


09) Retire do texto uma frase que indique o esforço do coveiro em tentar sair da cova:


10) Explique com suas palavras o que a moral do texto quer dizer:

11) Onde e quando ocorreu a história?

12) Retire do texto uma frase declarativa, uma interrogativa, uma exclamativa e uma imperativa:

13) Retire do texto o adjetivo que caracteriza o estado emocional do coveiro quando se viu preso na cova:

14) Que mensagem o texto transmite? Comente: 

terça-feira, 20 de março de 2012

Atividade sobre o texto "Profissões só pra homem", de Jaguar

Profissões só pra homem

RIO - Não faz muito tempo comentei numa crônica, numa entrevista ou numa mesa de bar (hipótese mais provável) que só restavam duas profissões exclusivas para homem: estivador e cartunista. Todas as outras já estavam ocupadas, com mais zelo e competência, pelas mulheres. Exemplo mais expressivo: as presidentas do Brasil e da Alemanha. E quem me garante que a suprema autoridade da China não é mais uma mulher travestida de homem? Já o Obama, desconfio que não passa de um pau mandado da Michelle, aquele mulherão. Mas voltando ao estivador e cartunista. 
Outro dia comprei uma revista com fotos de mulheres mais musculosas que qualquer halterofilista. A única profissão que sobrava para o (ex) sexo forte era a de cartunista. Um cartum do Siné é um soco na cara gráfico. 
E não me falem da Maitena, sucesso na Argentina e adjacências. Comparada a esses monstros, é uma sangria ao lado de um vinho rascante. Até que Laerte, 59, passou, a partir de 2009, a usar roupas femininas e comunicou aos amigos e clientes que atende pelo nome de Sônia ou coisa parecida. E isso com o apoio dos filhos e da namorada. Minha tese foi para as cucuias; a senhora em questão produz cartuns geniais. Para mim foi a coisa mais original deste século e até do anterior. Não se trata de um travesti "normal". Fui o primeiro, com a turma do Pasquim, a entrevistar a Rogéria e saiu na capa do jornal como Mona Lisa. Sônia não tem nada a ver com Rogéria ou Aloma, mais bonitas que a maioria das mulheres. 
Ela poderia ser uma das senhoras que encontro do elevador do prédio, carregando sacolas do supermercado. E isso veio de repente. Lembro que há anos, num festival de humor aqui no Rio, depois de muitas rodadas de "chopes e pastel", alguém sugeriu que cada um contasse sua mais esquisita experiência. Por sorteio, o primeiro a falar foi o Laerte. "Um amigo de infância foi me visitar. Bebemos um bocado". "E aí?", perguntei. "Dormi com ele". "Não sou homem nem mulher", declarou numa entrevista. Concordo. Sônia (ou Laerte) é algo fora do comum. 
(Jaguar)

01) Justifique o título dado ao texto:

02) Segundo o autor, que profissões são exclusivas para homens? Você concorda com isso?

03) Copie do texto uma antítese, explicando seu raciocínio:

04) Você achou o autor do texto machista? Justifique sua resposta utilizando uma passagem do texto:

05) Copie do texto uma passagem carregada de ironia e humor:

06) Transcreva do texto marcas de oralidade:

07) Que fato parece ter confundido a cabeça do autor? O que você pensa a respeito disso?

08) Tal fato provocou polêmica entre os familiares mais próximos da pessoa ou não? Comprove com uma passagem do próprio texto:

09) Justifique as aspas utilizadas no texto, respectivamente: 

10) Que mensagem o texto transmite? Comente:

11) O que seria uma pessoa "não ser nem homem nem mulher"? Isso é possível?

12) Localize na crônica:

a) um advérbio de negação:
b) três numerais:
c) um advérbio de tempo:
d) um advérbio de intensidade:
e) três substantivos próprios:
f) dois adjetivos:

terça-feira, 13 de março de 2012

Atividade sobre a música "Cuitelinho", com Renato Teixeira


Cuitelinho

Cheguei na beira do porto
Onde as onda se espaia
A garça dá meia volta
E senta na beira da praia
E o cuitelinho não gosta
Que o botão de rosa caia, ai, ai

Aí quando eu vim
da minha terra
Despedi da parentaia
Eu entrei no Mato Grosso
Dei em terras paraguaias
Lá tinha revolução 
Enfrentei fortes bataia, ai, ai

A tua saudade corta 
Feito aço de navaia
O coração fica aflito
Bate uma, a outra faia
E os óio se enche d´água
Que até a vista de atrapaia, ai...

Eu vou pegar o seu retratinho
E colocar numa medalha
Com seu vestidinho de cambraia
Colocá-la no meu peito
Onde o coração trabalha, ai, ai

(Renato Teixeira)

01) Justifique o título dado à canção, dizendo se você já conhecia ou não essa palavra:

02) Que tipo de linguagem é utilizado na música? Justifique sua resposta, comprovando com palavras do próprio texto:

03) Qual a ideia central do texto? Justifique sua resposta: 

04) Embora todo construído com linguagem informal, foi possível compreender o texto? Por quê?

05) Transcreva da música uma comparação, explicando-a: 

06) Localize na canção marcas fortes de oralidade: 

07) Copie do texto uma passagem em que há o sentido conotativo da linguagem, explicando sua escolha: 

08) A que conflito provavelmente se refere a canção? Comprove com um trecho dela: 

09) Que tipos de desvios seriam encontrados na canção, segundo a gramática normativa? Comente: 

10) Se tais desvios não existissem, se fossem adequados à norma culta, o que aconteceria com a expressividade da letra de música? 

11) Por que o cuitelinho não gosta que o botão de rosa caia? Levante hipóteses:

12) Circule no texto uma interjeição, dizendo o que ela expressa: 

13) Que mensagem a música transmite?

Atividade sobre anúncio publicitário de O Boticário - Chapeuzinho Vermelho


01) Qual o público-alvo do anúncio publicitário acima? O que deu indícios disso?

02) Essa propaganda vende um produto, uma ideia ou ambas as coisas? Justifique sua resposta:

03) Com que obra literária famosa a propaganda dialoga, gerando a intertextualidade?

04) Que imagem foi usada no anúncio? Que força ela dá ao produto oferecido?

05) O que há em comum entre a linguagem verbal e não verbal? Foram coerentes?

06) Que argumento foi usado para convencer o leitor?

07) O que seria, explorando o contexto, "Chapeuzinho Vermelho colocar o Lobo Mau na coleira"? Como ela conseguiria isso? 

08) Qual o objetivo dessa propaganda? Você acha que ele foi alcançado?

09) Que função da linguagem predomina no anúncio? Por quê?

10) Que nota de 0 a 10 você daria a essa propaganda? Justifique sua escolha:

segunda-feira, 12 de março de 2012

Atividade sobre anúncio publicitário - Bebida alcoólica para menores


01) Qual o tema central do anúncio acima?

02) A que a linguagem não verbal se refere? Por que não tem rótulos?

03) Qual o objetivo do anúncio? Ele foi alcançado? Comente:

04) Explique o emprego das reticências presentes no anúncio:

05) Transforme a frase do anúncio em uma oração subordinada adverbial condicional:

06) Aponte a causa e a consequência presentes em tal frase:

07) Qual a relação entre a imagem e a frase que a acompanha?

08) Explique por que o trecho "vai preso" está escrito numa tarja vermelha?

09) Que regra justifica o acento gráfico da palavra "alcoólica"?

10) Elabore uma proposta de intervenção para a problemática apresentada:

(Atividade feita em parceria com a querida amiga Zizi Cassemiro!)

terça-feira, 6 de março de 2012

Atividade sobre a obra "Os comedores de batatas" (1885) - Van Gogh



01) O título da obra em questão foi apropriado? Justifique sua resposta:

02) Sobre esse quadro, o próprio Van Gogh disse que "é possível provar que se trata de um quadro VERDADEIRAMENTE CAMPONÊS". O que ele quis dizer com essas palavras? 

03) De que forma o pintor expressou, nessa tela, sua preocupação com os problemas sociais? 

04) Que impressões lhe sugere a atitude das pessoas à mesa, se servindo?

05) Observe a expressão dos olhos da camponesa mais nova. O que eles nos passam?

06) Descreva o ambiente em que se encontram essas pessoas:

07) Quem são as personagens dessa cena? Descreva-as: 

segunda-feira, 5 de março de 2012

Atividade sobre o texto "Prova de amor", da Marina Colasanti

Prova de amor

"Meu bem, deixa crescer a barba para me agradar", pediu ele.
E ela,  num supremo esforço de amor, começou a fiar dentro de si e a laboriosamente expelir aqueles novos pelos, que na pele fechada feriam caminho.
Mas quando, afinal, doce barba cobriu-lhe o rosto, e com orgulho expectante entregou sua estranheza àquele homem: "Você não é mais a mesma", disse ele.
E se foi.
(Marina Colasanti)


01) Justifique o título dado ao miniconto acima:

02) Por que o homem abandonou a mulher? 

03) Circule no texto um vocativo: 

04) Justifique o emprego das aspas no texto: 

05) O que você teria feito no lugar da mulher, diante do pedido do homem? 

06) O que você faria no final do texto, no lugar da mulher abandonada? 

07) Você acha que houve alguma incoerência na história? Explique: 

08) Que mensagem o texto transmite? Comente: 

09) Vale a pena mudar só para agradar alguém? Isso é amor ou falta de personalidade? Justifique: 

10) De acordo com o que se conhece até hoje na Ciência, a produção voluntária de barba é possível? Explique:

Atividade sobre "A aula do e-mail"


01) Copie dos textos acima dois vocativos:

02) O que significa a palavra "teclando"? Que outra também caberia no lugar dela?

03) Transcreva dos textos marcas de oralidade:

04) Que novidade uma amiga contou à outra?

05) O que seria "dar um banho" na bicicleta?

06) Que idade você acha que as protagonistas têm? Justifique sua resposta:

07) Você costuma escrever e-mails? Por quê?