sábado, 5 de novembro de 2016

"Não há vagas" (Ferreira Gullar)

O preço do feijão
Não cabe no poema.
O preço do arroz
não cabe no poema
Não cabem no poema o gás
a luz o telefone
a sonegação
do leite
da carne
do açúcar
do pão.
O funcionário público 
não cabe no poema
com seu salário de fome
sua vida fechada 
em arquivos.
Como não cabe no poema
o operário
que esmerila seu dia de aço
e carvão
nas oficinas escuras
-- porque o poema, senhores, 
está fechado:
"não vagas"
cabe no poema
o homem sem estômago
a mulher de nuvens
a fruta sem preço.
O poema, senhores
não fede
nem cheira

(Ferreira Gullar)


01) Justifique o título do poema: 

02) Transcreva do texto um vocativo, explicando a quem, de fato, ele se refere: 

03) Que mensagem o poema nos transmite? 

04) Qual é a crítica presente no texto e a quem ela é direcionada? Explique: 

05) Diga a que classe de palavras cada vocábulo em destaque pertence:  

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui o seu comentário sobre o blog ou sobre esta postagem em especial!!! Vou amar saber o que você pensa!! Muito obrigada pela visita!!! Volte sempre!!!