quinta-feira, 18 de agosto de 2016

Atividade sobre a música "Cérebro eletrônico" - Gilberto Gil


Cérebro eletrônico

O cérebro eletrônico faz tudo,
Faz quase tudo,
Quase tudo,
Mas ele é mudo.

O cérebro eletrônico comanda,
Manda e desmanda,
Ele é quem manda
Mas ele não anda.

Só eu posso pensar
Se Deus existe,
Só eu.
Só eu posso chorar
Quando estou triste,
Só eu.
Eu cá, com os meus botões
De carne e osso,
Eu faço e ouço,
Eu penso e posso,
Eu posso decidir
Se eu vivo ou morro.
Porque, porque sou vivo,
Vivo pra cachorro.
E sei que cérebro eletrônico nenhum
Me dá socorro
Em meu caminho
Inevitável para a morte.
Porque eu sou vivo,
Ah, sou muito vivo,
E sei que a morte
É nosso impulso primitivo.
E sei
Que cérebro eletrônico nenhum
Me dá socorro,
Com seus botões de ferro e seus olhos de vidro.

(Gilberto Gil)


01) O autor vê a máquina como um ser que auxilia o homem, mas que tem muitos limites em relação à capacidade humana. Localize os versos que comprovam essa afirmação:

02) Quais os limites da máquina que o autor aponta?

03) Entre os traços de superioridade do homem em relação à máquina, que o autor aponta, está a capacidade de sentir e de tomar decisões importantes. Localize os versos que dizem isso:

04) O que significa “Eu cá, com os meus botões” / “De carne e osso”?

05) O que o poeta evidencia com estes versos: “Porque, porque sou vivo / Vivo pra cachorro” e “Porque eu sou vivo, / Ah, sou muito vivo”?

06) De todos os limites apontados no texto, qual (ou quais) você acha que a máquina não pode ultrapassar? Por quê?

07) A letra dessa canção tem caráter dissertativo? Por quê?

08) O homem é capaz de não se deixar subjugar totalmente pela máquina? Em que circunstância?

09) Qual deve ser o lugar da máquina na vida do homem? Que tipo de coisas ela deve fazer? O que não deve (e não pode) fazer?

10) É possível uma convivência pacífica e proveitosa entre o homem e a máquina? Ou ela representa uma ameaça ao ser humano? Justifique sua resposta:

11) Que outro título você daria ao texto?

12) Copie do texto duas orações coordenadas sindéticas adversativas, explicando:

13) Copie do texto duas orações coordenadas sindéticas aditivas, justificando:

14) Copie do texto duas orações coordenadas assindéticas, explicando bem:

15) Copie do texto uma oração coordenada sindética explicativa, explicando:

16) Ao ler o título da música qual é a primeira ideia que lhe vem à mente?

17) Na sua opinião por que o eu lírico diz no primeiro verso que o cérebro eletrônico faz tudo e no segundo verso, muda de opinião e diz faz quase tudo?

18) O autor vê a máquina como um ser que auxilia o homem, mas que tem muitos limites em relação à capacidade humana. Localize os versos que comprovam essa afirmação:

19) Entre os traços de superioridade do homem em relação à máquina, que o autor aponta, está a capacidade de sentir e de tomar decisões importantes. Localize os versos que dizem isso:

21) Eu posso decidir / Se vivo ou morro por quê / Porque sou vivo.

Diferencie semanticamente os dois porquês empregados nos versos acima:

22) Só eu posso pensar / Se Deus existe

Explique a mudança de sentido que ocorreria no posicionamento ideológico do eu lírico se trocássemos a conjunção SE por QUE.

23) No trecho “só eu posso pensar / se Deus existe”, o termo "só" enfatiza a idéia de:

A) isolamento.
B) distanciamento.
C) dúvida.
D) antecipação.
E) exclusividade.

24) "...com os meus botões de carne e osso" "com seus botões de ferro e olhos de vidro". Analise o sentido dos versos, assim como a escolha da linguagem conotativa e denotativa:

2 comentários:

  1. Gostei muito desta atividade. Vou trabalhar com meu nono ano.Valeu!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz que você tenha gostado! Fique à vontade para usar e, se possível, depois me conte como foi, se seus alunos curtiram! Sucesso!

      Excluir

Deixe aqui o seu comentário sobre o blog ou sobre esta postagem em especial!!! Vou amar saber o que você pensa!! Muito obrigada pela visita!!! Volte sempre!!!