quarta-feira, 11 de maio de 2016

Exercícios sobre o Barroco

À mesma Dona Ângela

Anjo no nome, Angélica na cara!
Isso é ser flor, e anjo juntamente:
Ser Angélica flor, e anjo florente,
Em quem, senão em vós, se uniformara.

Quem vira uma tal flor, que não a cortara,
Do verde pé, da rama florescente;
E quem um anjo vira tão luzente,
Que por seu Deus o não idolatrara?

Se pois como anjo sois dos meus altares,
Fôreis o meu Custódio, e a minha guarda,
Livrara eu de diabólicos azares.

Mas vejo, que por bela, e por galharda,
Posto que os anjos nunca dão pesares,
Sois anjo, que me tenta, e não me guarda.

 (Gregório de Matos)

01) Por que o texto é um soneto?

02) A que parte da poesia do autor barroco Gregório de Matos ele pertence? Justifique sua resposta:

03) Nas duas primeiras estrofes, o poeta trabalha com duas metáforas referentes à mulher amada. Quais são elas? O que o leva a pensar assim? 

04) O autor estabelece uma oposição entre anjo e demônio, embora esta última palavra não apareça claramente no texto. Copie o verso em que essa oposição fica evidente, explicando-o: 

05) Leia atentamente o sermão de Padre Antônio Vieira a seguir:

         “O trigo que semeou o pregador evangélico, diz Cristo que é a palavra de Deus. Os espinhos, as pedras, o caminho e a terra boa, em que o trigo caiu, são os diversos corações dos homens. Os espinhos são os corações embaraçados com cuidados, com riquezas, com delícias; e nestes afoga-se a palavra de Deus. As pedras são os corações duros e obstinados; e nestes seca-se a palavra de Deus, e se nasce, não cria raízes. Os caminhos são os corações inquietos e perturbados com a passagem e tropel das coisas do Mundo, umas que vão, outras que vêm, outras que atravessam – e todas passam; e nestes é pisada a palavra de Deus, porque a desatendem ou a desprezam. Finalmente, a terra boa são os corações bons ou os homens de bom coração; e nestes prende e frutifica a palavra divina, com tanta fecundidade e abundância.”

a) Com que o autor compara a palavra de Deus? Explique a comparação: 

b) Segundo o autor, a palavra de Deus destina-se a quatro tipos de coração. Que metáfora (comparação direta) representa cada um deles?

c) Copie do texto uma frase que expressa opinião sobre a efemeridade das coisas terrenas, característica do Barroco, e explique:

2 comentários:

  1. Gostei muito. Ainda continua dificil boas publicações sobre o Barroco contextualizadas com os dias atuais, ou com outro "olhar". Obrigada por compartilhar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Feliz que você tenha gostado, querida! Ando meio sem tempo de novo de atualizar todos os dias, mas... espero que encontre muitas atividades legais por aqui! Beijocas!

      Excluir

Deixe aqui o seu comentário sobre o blog ou sobre esta postagem em especial!!! Vou amar saber o que você pensa!! Muito obrigada pela visita!!! Volte sempre!!!