sábado, 27 de julho de 2013

Análise de "Serenata" - Di Cavalcanti


("Serenata" - Di Cavalcanti)

01) Que sensação a obra acima desperta em você? Justifique sua resposta:

02) Crie uma pequena narrativa em que a obra de arte seja o desfecho dela:

03) Fazendo uso apenas de adjetivos, descreva a obra:

04) Quais são os traços físicos das personagens da tela? 

05) Com base na resposta anterior, percebendo que todas as mulheres são mulatas, que leitura pode ser feita em relação à intencionalidade do artista?

06) O que sugere a presença de pássaros que rodeiam uma das personagens?

07) Inspirando-se na cena retratada, construa pelo menos três metáforas:

08) Você sabe o que é uma serenata? Já ouviu ou presenciou alguma? O que você acha disso?

09) Observando as pessoas retratadas no quadro, podemos dizer que a "serenata" agradou? Está provocando que tipo de reação nelas?

10) Escreva os indícios que fizeram você a dar a sua resposta anterior: 

quarta-feira, 17 de julho de 2013

Análise de "Morro de favela" - Tarsila do Amaral


Algumas questões rápidas a respeito da obra "Morro de favela" (1924), da Tarsila do Amaral: 

01) Olhando bem a obra em questão, você acha que ela condiz com o seu título? Justifique sua resposta:

02) Descreva as personagens que aparecem em cena:

03) Quais traços identificam o estilo da pintora Tarsila do Amaral? 

04) Que cores predominam no quadro acima e o que isso revela?

05) Faça uma pesquisa e descubra de onde se originou o termo "favela", nome dado a esse tipo de moradia:

06) Com base no quadro, justifique (ou negue) o nacionalismo da artista em pauta:

07) Trata-se de uma obra estática ou dinâmica? Por quê? 

08) Você acha que as pessoas que moram em favelas são marginalizadas? Use bons argumentos para defender a sua opinião:

sexta-feira, 31 de maio de 2013

Análise de "Bordel" - Di Cavalcanti


Trabalhei esta obra de arte, de Di Cavalcanti, chamada "Bordel", com meus alunos dos segundos anos do Ensino Médio e foi o maior barato! Fiz como uma "ponte" para incentivar a lerem o romance "Lucíola", de José de Alencar, que eu adoro! 

01) Observe bem a imagem e explique a relação entre ela e o seu título:

02) Que sensação essa obra de arte lhe despertou? Justifique sua resposta:

03) Qual é o perfil da beleza física da mulher no contexto em que a obra foi pintada? 

04) Que características do Renascimento italiano podemos notar na obra em questão?

05) Faça um paralelo entre a moda atual e a retratada na obra:

06) O que sugere o espelho na composição de tal texto visual?

07) Faça uma breve análise das cores empregadas na obra de arte, dizendo o que isso pode revelar:

08) O que se pode inferir ao olhar a fisionomia das mulheres, de um modo geral?

09) Que outro título você daria a essa obra de arte?

10) Como poderíamos associar essa obra de arte ao resumo que você leu sobre o romance "Lucíola", de José de Alencar? 

quarta-feira, 17 de abril de 2013

Análise de "Futebol" - Cândido Portinari


Meus alunos costumam gostar bastante da obra "Futebol", de Cândido Portinari, pintada em 1935. Vejam só as questões que abordei com eles, do oitavo ano do Ensino Fundamental:

01) Faça uma descrição do cenário retratado na obra em questão:

02) O que a predominância da cor vermelha revela? 

03) A obra dá uma ideia de algo estático ou em movimento? Por quê? 

04) Haveria alguma modificação no cenário caso fossem adultos jogando em vez de crianças? Comente:

05) O que a cruz provavelmente está simbolizando na obra? 

06) Justifique a presença dos animais na tela:

07) Trata-se de um cenário rural ou urbano? Justifique sua resposta:

08) Que outro título você daria à obra de arte?

09) O que os troncos de árvores cortadas podem estar fazendo ali e o que provavelmente isso simboliza? 

10) Elabore UM parágrafo narrativo que dialogue com a obra analisada:

segunda-feira, 11 de março de 2013

Amálise de "Baianas" - Cândido Portinari


É inegável a riqueza de informações e de detalhes trazidos em uma imagem... ainda mais quando se trata de uma obra de arte! A escolhida para hoje é de Cândido Portinari e chama-se "Baianas" (1940). Além disso, os alunos costumam adorar analisá-las! Não acham?!? 

01)  As baianas, em geral, no carnaval, são associadas à alegria, às cores. Esta obra de Portinari reforça ou contradiz essa informação? Justifique sua resposta:

02) Quais são as cores predominantes em tal obra? O que isso pode revelar? 

03) Crie uma pequena narrativa tendo como base a obra de arte:

04) Quantas são as personagens da obra de arte e qual é a possível relação entre elas?

05) Portinari era um pintor que retratava questões sociais brasileiras. Qual é a retratada na obra em análise?  Comente:

06) Que outro título você daria à obra? E que mensagem a obra lhe transmitiu? 

domingo, 10 de março de 2013

Imagens de incentivo à mente e à leitura!

Enviei essas imagens, que considero super interessantes e estimulantes, para as escolas em que trabalho, com a sugestão de que elas fossem xerocadas e espalhadas pelos murais e postas na biblioteca. Acho que podem chamar bastante a atenção dos alunos! Sempre bom, né? :-)




















Gostou delas? Qual foi a sua preferida? Por quê? Tem mais alguma para acrescentar a essa coletânea? Envie para mim! Vou adorar! Ahhh, e deixe seu comentário!

sexta-feira, 8 de março de 2013

Overdose de mulher-fruta!


Achei essa charge super interessante, atual, polêmica! É uma overdose da chamada mulher-fruta que ninguém merece! É uma total coisificação da mulher e uma aparente afronta a anos e anos de tanta luta para se fazer reconhecer, conquistar seu lugar ao sol. 

Quais as vantagens (e desvantagens) de se aceitar ser uma mulher-fruta, e até com um certo orgulho e satisfação? A mulher deve se assumir dessa forma? Ou deve, como na charge acima, dar uma banana para esse tipo de rótulo?

Opine a respeito disso, levando em consideração especialmente a data de hoje, conhecida como o Dia Internacional da Mulher. Há mesmo o que se comemorar?

segunda-feira, 4 de março de 2013

Trabalhando com o gênero ARTIGO CIENTÍFICO




Por que sentimos água na boca?

(Entenda a importância da nossa saliva na hora de comer)

“Chiquinha, o almoço está pronto! Fiz a batata-frita que você pediu!”

Só de ouvir essas palavras, sua boca se enche d´água – de saliva --, antecipando-se à comida que já via entrar na boca e precisa ser digerida. De fato, a digestão começa na boca, onde os alimentos são picados, triturados e esmagados, tudo isso antes de serem conduzidos ao estômago. E pasme: se a boca não se enchesse de saliva, não seria possível engolir o alimento, nem saber o que você tem sobre a língua!

Todo mundo produz uma pequena quantidade de saliva o tempo todo, mas a produção aumenta quase dez vezes quando uma pessoa vê, cheira ou pensa em comida. A saliva que enche a boca nessas horas é essencial por várias razões. Primeiro, somente quando dissolvidos na saliva é que pedaços microscópios desprendidos dos alimentos chegam até as papilas gustativas, que sinalizam ao cérebro o tipo de comida que você tem na boca: água, sal, ácido, doce, proteína, ou algo amargo e, portanto, potencialmente nocivo, nada bom de ser engolido. Assim, além de reconhecer o alimento pelo gosto, o seu cérebro já vai preparando o corpo para a digestão. Segundo, a saliva contém enzimas que começam a partir em pedaços menores os carboidratos, grandes moléculas de açúcar como o amido do pão.

Além disso, é a saliva que umedece e dá liga aos alimentos triturados e permite que eles sejam transformados em um grande “bolo” compacto e lubrificado, que pode ser engolido sem riscos de engasgos. Se você não acredita que comida seca não desce sem saliva, experimente o famoso Teste da Bolacha: comer três biscoitos em menos de um minuto, sem apelar para um copo d´água. É simplesmente impossível! A razão é que, mesmo trabalhando dez vezes mais rápido, as glândulas parótidas e salivares não conseguem produzir saliva com a rapidez necessária para que os pedaços de biscoito passem em menos de um minuto de paçoca a uma massa umedecida que possa deslizar até o seu estômago.

A boa notícia é que a produção de saliva é automática, comandada pelo sistema nervoso autônomo sempre que o cérebro detecta a presença de comida na boca. O interessante é que, por associação, também funciona pensar em comida, sentir o cheiro bom do almoço no fogo e até ouvir que ficou pronto aquele prato de que você gosta. O caso mais famoso de água na boca por associação, claro, é o já lendário cão do fisiologista russo Ivan Pavlov. De tanto ouvir um sino tocar antes de receber sua comida todos os dias, o animal passou a salivar em resposta ao tocar do sino, mesmo que o prato demorasse a chegar. E eu, de tanto escrever sobre comida, já fiquei com água na boca...

(Suzana Herculano – “Ciência Hoje das Crianças”)


01) Por que podemos afirmar que o texto é um artigo científico?

02) Onde foi publicado esse texto? Qual é o seu público-alvo?

03) Por que o título do texto está em forma de uma pergunta?

04) Copie do texto uma forma de nomeação:

05) Leia o segundo parágrafo do texto e localize uma explicação:

06) Leia o quarto parágrafo e localize uma exemplificação:

07) É próprio do gênero textual chamado “artigo de divulgação científica” o autor interagir com quem está lendo, como se estivesse dialogando com este. Localize, no segundo parágrafo, esse “diálogo” com o leitor:

08) Qual a intenção de se conseguir esse “diálogo” com o leitor?

09) Apesar de o texto apresentar uma linguagem informal, o autor não dispensa o uso de termos técnicos científicos. Copie três ou mais exemplos do texto:

10) Qual a finalidade do texto lido? Ela foi alcançada?

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

Oração

 Oração do passarinho


Meu Deus, 
sozinho
não sei rezar direito a minha oração!
Mas, por favor, 
protegei da chuva e do vento
meu ninho tão pequeno.
Colocai muitos grãos em meu caminho
e muito orvalho nas flores.
Fazei o azul bem alto
e bem macios os ramos.
Deixai até bem tarde no céu
vossa luz tão suave
e, no meu pobre coração, esta inesgotável música, 
a fim de que eu possa
cantar, cantar, cantar...
Eis, meu Deus, o que vos peço.
Amém! 

(Carmem Bernos de Gasztold)

Coloque-se no lugar de algum animal e escreva uma oração a Deus.

Antes de começar a escrever, pense:

1. nas necessidades dessa personagem;
2. naquilo que a faz alegre e feliz;
3. naquilo que a faz triste e infeliz;
4. nos seus desejos, sonhos e medos.

Anote esses dados. A seguir, escreva seu texto. Procure sentir como essa personagem sente, pensar como ela pensa e ver o mundo como ela vê. Arrase!

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

Para rir um pouco...


Levei a imagem acima para minhas turmas e morremos de rir! Foi unânime o fato de que político faz mal à saúde, até de cobra! É um dos animais mais peçonhentos, perigosos! Aproveitamos para discutir rapidamente sobre isso e chegamos à conclusão, de que é um mal necessário, portanto, não devemos ser alienados quanto a isso nem ser o chamado "analfabeto político", que é um texto que me impactou bastante quando eu estava ainda na seta série! Olha que isso faz é tempo, vixe! (risos)

segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

Colocando o cérebro para malhar!


Nosso cérebro, se não for usado, e com frequência, tende a ficar "fora de forma", a atrofiar-se. E nos é sabido que hoje em dia muita gente só quer saber de malhar... o corpo, claro, e mais por conta do culto à beleza, muito menos por conta da saúde, que seria um vício justificado. Mas e malhar o cérebro? Por que não? Por que não tentar buscar o chamado equilíbrio? Só sairíamos ganhando, com certeza. 

Aproveitando a imagem acima, você deverá produzir um texto que com ela dialogue, de alguma forma. Pode ser um texto descritivo, narrativo, ou dissertativo. O que você preferir! Vamos lá?

sábado, 19 de janeiro de 2013

Hora de dar o troco!


Atendente da Oi...

- Alô.

- Alô, poderia falar com o responsável pela linha?

- Pois não, pode ser comigo mesmo.

- Quem fala, por favor?

- Edson.

- Sr. Edson, aqui é da OI, estamos ligando para oferecer a promoção OI linha adicional, onde o Sr. tem direito...

- Desculpe interromper, mas quem está falando?

- Aqui é Rosicleide Judite, da OI, e estamos ligando...

- Rosicleide, me desculpe, mas para nossa segurança, gostaria de conferir alguns dados antes de continuar a conversa, pode ser?

- Bem, pode..

- De que telefone você fala? Meu bina não identificou.

- 10331.

- Você trabalha em que área, na OI?

- Telemarketing Pro Ativo.

- Você tem número de matrícula na OI?

- Senhor, desculpe, mas não creio que essa informação seja necessária.

- Então terei que desligar, pois não posso ter segurança que falo com uma funcionária da OI. São normas de nossa casa.

- Mas posso garantir....

- Além do mais, sempre sou obrigado a fornecer meus dados a uma legião de atendentes sempre que tento falar com a OI.

- Ok.... Minha matrícula é 34591212.

- Só um momento enquanto verifico.

(Dois minutos depois)

- Só mais um momento.

(Cinco minutos depois)

- Senhor?

- Só mais um momento, por favor, nossos sistemas estão lentos hoje.

- Mas senhor...

- Pronto, Rosicleide, obrigado por ter aguardado. Qual o assunto?

- Aqui é da OI, estamos ligando para oferecer a promoção, onde o Sr. tem direito a uma linha adicional. O senhor está interessado, Sr. Edson?

- Rosicleide, vou ter que transferir você para a minha esposa, porque é ela que decide sobre alteração e aquisição de planos de telefones.

- Por favor, não desligue, pois essa ligação é muito importante para mim.

(coloco o telefone em frente ao aparelho de som, deixo a música Festa no Apê do Latino tocando no Repeat (quem disse que um dia essa droga não iria servir para alguma coisa?), depois de tocar a porcaria toda da música, minha mulher atende:

- Obrigado por ter aguardado.... pode me dizer seu telefone pois meu bina não identificou..

- 10331.

- Com quem estou falando, por favor.

- Rosicleide

- Rosicleide de que?

- Rosicleide Judite (já demonstrando certa irritação na voz).

- Qual sua identificação na empresa?

- 34591212 (mais irritada agora!).

- Obrigada pelas suas informações, em que posso ajudá-la?

- Aqui é da OI, estamos ligando para oferecer a promoção, onde a Sra tem direito a uma linha adicional. A senhora está interessada?

- Vou abrir um chamado e em alguns dias entraremos em contato para dar um parecer, pode anotar o protocolo por favor.....alô, alô!

TUTUTUTUTU...

- Desligou.... nossa que moça impaciente!

(Autor desconhecido)


Por achar o texto, ainda mais com o vídeo, interessante e por ele refletir uma realidade bastante comum a todos nós, acho que poderia render "pano para manga" em uma atividade com nossos alunos! Mas a pergunta é: como vocês trabalhariam com ele? Aguardo sugestões, viu! 

quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

Quem sou eu?

Juju

Eu era sozinha. Vivia suja e na rua.
Eu era muito malcuidada. Vivia jogada na rua, sem comer, e já estava magrinha. Sou uma cachorra vira-lata. Dormia por aí, vivia muito triste. No frio, era um horror! Ficava na rua morrendo de frio.
Foi num desses dias de frio que Fernanda, uma menina, me encontrou. Eu estava encostada numa lata de lixo, tremendo de frio! Estava bem quietinha. Ela falou:
-- Coitadinha dela, está tão quieta, tão fria!
Ela me pegou no colo, tirou o xale que estava vestindo por cima do casaco e me enrolou. Eu fiquei quentinha e agradeci:
-- Au! Au! Au!
Ela me levou para a casa dela e me deu um banho bem quente. Depois me deu um prato cheio de carne! Eu comi tudo!
No dia seguinte, Fernanda me deu uma casinha! Imagine, uma casa! Toda de madeira, pintada de branco e cor-de-rosa! Dentro, tinha um cobertor branco e cinco almofadas cor-de-rosa! Ela amarrou uma fita branca na minha cabeça e eu entrei, feliz, na casinha.
Ela ainda falou:
-- Seu nome é Juju!
E eu dormi.
Hoje sou a cachorra mais feliz do mundo, eu acho...

(Juliana - 9 anos)

Quando você escreve um texto, não é necessário contar a própria vida, isto é, contar o que você fez, pensou ou sentiu. Você pode escrever sendo uma outra pessoa. Juliana, uma menina de nove anos, imaginou que era uma cachorra vira-lata. 

Imagine que você é um animal, um objeto ou uma outra pessoa. Escreva como se você fosse uma dessas personagens. Arrase! 

segunda-feira, 7 de janeiro de 2013

Só faltava esta!!!


Engraçado que tem um monte de policial desonesto, corrupto, abusando do poder, burro, safado, batendo em mulher... e esses não são punidos, mas fazer poesia agora é quase um crime! Sinceramente? Acho que deveriam EXONERAR logo o policial, pois está na cara que ele está muito ACIMA da classe e merece um serviço muuuuuuuito melhor! Isso sim! 

Lembrei-me deste texto aqui, que vocês devem conhecer também:

AMOR DE CONTABILISTA EM CARTA COMERCIAL

           Prezada senhorita:

           Tenho a honra de comunicar  a V. S. que resolvi, de acordo com o que foi conversado com seu ilustre progenitor, o tabelião juramentado Francisco Guedes, estabelecido à Rua da Praia, número 632, dar por encerrados nossos entendimentos de noivado. Como passei a ser o contabilista-chefe dos Armazéns Penalva, conceituada firma desta praça, não me restará, em face dos novos e pesados encargos, tempo útil para os deveres conjugais.

           Outrossim, participo que vou continuar trabalhando no varejo da mancebia, como vinha fazendo desde que me formei em contabilidade em 17 de maio de 1932, em solenidade presidida pelo Exmo Sr. Presidente do Estado e outras autoridades civis e militares, bem assim como representantes da Associação dos Varejistas e da Sociedade Cultural e Recreativa José de Alencar.

          Sem mais, creia-me de V. S. patrício e admirador,

                                                                                Sabugosa de Castro  

(José Cândido de Carvalho)

terça-feira, 1 de janeiro de 2013

Pensamentos para provas e atividades III

"O sábio nunca diz tudo o que pensa, mas pensa sempre tudo o que diz." 
(Aristóteles)

"Quando tudo nos parece dar errado, acontecem coisas boas, 
que não teriam acontecido se tudo tivesse dado certo." 
(Renato Russo)

"É preferível rezar com o coração sem encontrar palavras
 que achar palavras sem a adesão do coração." 
(Mahatma Gandhi)

"Apenas sei que o mundo necessita de ser mais humano".
(José Saramago)


"Tem muito carro e pouco chão, tem muita gente e muito pouco pão,

tem muito papo e muito pouca ação, muito parente e muito pouco irmão".
(Arnaldo Antunes)

"Desistir... eu já pensei seriamente nisso, mas nunca me levei realmente a sério;

é que tem mais chão nos meus olhos do que o cansaço nas minhas pernas,
mais esperança nos meus passos, do que tristeza nos meus ombros,
mais estrada no meu coração do que medo na minha cabeça."
(Cora Coralina)


"Temos a arte para que a verdade não nos destrua."

(Nietzsche)

"Aonde fores vai com todo seu coração."
(Confúcio)

"A verdade é encontrada quando os homens são livres para procurá-la."
(Roosevelt)

"A mais degradante escravidão é ser escravo de si mesmo."
(Sêneca)

"A árvore torna-se sólida com o vento."
(Sêneca)

"Vocês podem me acorrentar, torturar e até destruir meu corpo,
mas nunca aprisionarão a minha mente."
(Mahatma Gandhi)

"Desaprovo o que você diz, mas defenderei até a morte seu direito de dizê-lo."
(Voltaire)

"Quando uma nação começa a pensar, é impossível detê-la".
(Voltaire)

"Nunca se deve engatinhar quando o impulso é voar."
(Helen Keller)

"A vida é maravilhosa quando não se tem medo dela."
(Chaplin)

"É preciso ser duro, mas sem perder a ternura jamais."
(Che Guevara)

"Olho por olho e o mundo acabará cego."
(Mahatma Gandhi)

"Aquele que nunca amou não pode ser bom."
(Cervantes)

"Vire-se para o sol e não poderá ver as sombras."
(Helen Keller)