quarta-feira, 28 de março de 2012

Adeus, Millôr!


Parece que lá no céu a situação também deve andar meio triste e caótica, precisando de alegria e de criatividade com total urgência, já que, num curto período de tempo, tivemos de nos despedir de dois humoristas talentosos e maravilhosos, como Chico Anísio e agora o Millôr Fernandes. Fico imaginando um diálogo entre eles! Sorrio! Tento não prolongar a minha tristeza, considerando que Deus tem tentado, por alguma razão, montar um time de primeira lá no céu! Adeus, Millôr, e obrigada por cada texto seu, verdadeiras preciosidades que utilizo ao longo de minha carreira com meus alunos e é sempre sucesso na certa! 

Como homenagem e despedida, deixo aqui uma proposta de redação, que é a criação de tal possível diálogo entre os dois comediantes recentemente falecidos, cada qual com sua característica e estilo, mas igualmente fabulosos! E deixo também uma rápida atividade sobre um textículo do Millôr! Espero que gostem! 

O coveiro

Ele foi cavando, cavando, cavando, pois sua profissão - coveiro - era cavar. Mas, de repente, na distração do ofício que amava, percebeu que cavara demais.Tentou sair da cova e não conseguiu. Levantou o olhar para cima e viu que sozinho não conseguiria sair. Gritou. Ninguém atendeu. Gritou mais forte. Ninguém veio. Enrouqueceu de gritar, cansou de esbravejar, desistiu com a noite. Sentou-se no fundo da cova, desesperado. A noite chegou, subiu, fez-se o silêncio das horas tardias. Bateu o frio da madrugada e, na noite escura, não se ouviu um som humano, embora o cemitério estivesse cheio de pipilos e coaxares naturais dos matos. Só pouco depois da meia-noite é que vieram uns passos. Deitado no fundo da cova o coveiro gritou. Os passos se aproximaram. Uma cabeça ébria apareceu lá em cima, perguntou o que havia: O que é que há? 

O coveiro então gritou, desesperado: Tire-me daqui, por favor. Estou com um frio terrível! Mas, coitado! - condoeu-se o bêbado - Tem toda razão de estar com frio. Alguém tirou a terra de cima de você, meu pobre mortinho! E, pegando a pá, encheu-a e pôs-se a cobri-lo cuidadosamente. 

Moral: Nos momentos graves é preciso verificar muito bem para quem se apela.

(Millôr Fernandes) 

01) Qual é o tipo de narrador? Justifique sua resposta:

02) Quais são as personagens dessa historia?

03) Trata-se de um texto narrativo, dissertativo ou descritivo? Por quê? 

04) Onde reside o humor do texto? Comente:

05) Por que a escolha justamente do bêbado para ser uma das personagens foi importante?

06) Por que podemos afirmar que o texto comprova o clichê "por ironia do destino"? Explique:

07) Que outro título você daria a esse texto?

08) Lendo o texto, você conclui que o coveiro:

(A) não gostava do que fazia;
(B) era uma pessoa atenta ao que fazia;
(C) não foi capaz de pedir ajuda;
(D) recebeu ajuda, rapidamente, do bêbado;
(E) não foi bem sucedido no seu ofício;

09) A afirmativa abaixo que melhor expressa a mesma ideia da moral do texto é:

(A) Deve-se pedir ajuda a qualquer pessoa;
(B) Não importa a quem se pede ajuda;
(C) Nunca se precisa de ajuda;
(D) Ao precisar de ajuda, deve-se saber a quem pedir;
(E) Ao ajudar, não se deve cobrar;

10) O bêbado não atendeu ao pedido do coveiro porque:

(A) não ouviu o seu pedido de socorro;
(B) enterrar defunto era o seu ofício;
(C) ele não estava em plena consciência dos seus atos;
(D) ele queria brincar com o coveiro;
(E) ele não era capaz de carregar o coveiro;

11) Ao cair na cova, o coveiro:

(A) ficou sem reação;
(B) não pediu socorro;
(C) recebeu ajuda imediata;
(D) sempre teve esperança;
(E) se viu impotente;

12) Ao dizer "Alguém tirou a terra de cima de você, meu pobre mortinho!", o bêbado:

(A) achou que o coveiro estava se divertindo;
(B) sentiu pena do coveiro por estar coberto de terra;
(C) não entendeu a situação;
(D) tratou o coveiro com palavras indelicadas;
(E) humilhou o coveiro;

13) A caracaterística que NÃO se observou no coveiro foi:

(A) distraído;
(B) trabalhador;
(C) Persistente;
(D) Apavorado;
(E) Preguiçoso;

14) Durante a noite, o coveiro:

(A) ouviu bastantes vozes das pessoas;
(B) presenciou o barulho  dos animais;
(C) sentiu bastante frio;
(D) teve ajuda de várias pessoas;
(E) saiu da cova;

15) O que faz esse texto ficar engraçado é:

(A) o bêbado ter imaginado que o coveiro era um morto e jogar terra para cobri-lo;
(B) o coveiro ficar cavando e sentir frio durante a madrugada;
(C) o homem ficar sentado no fundo enrouquecido de tanto gritar;
(D) o fato de ser justamente um coveiro, de profissão;
(E) o homem ter cavado demais e ficar preso no buraco;

16) O coveiro ficou desesperado porque:

(A) ficou preso no buraco e já era noite;
(B) ouviu uns passos chegando perto do buraco;
(C) sentiu medo de ficar sozinho no cemitério;
(D) pressentiu que ia morrer ali;
(E) viu que o bêbado tinha chegado para ajudá-lo; 

17) Por que o coveiro não percebeu que tinha cavado demais? 

18) Retire do texto uma frase que indique o esforço do coveiro em tentar sair da cova:

19) Explique com suas palavras o que a moral do texto quer dizer:

20) Onde e quando ocorreu a historia?

21) Retire do texto uma frase declarativa, uma interrogativa,  uma exclamativa e uma imperativa:


22) Retire do texto o adjetivo que caracteriza o estado emocional do coveiro quando se viu preso na cova:


23) Analisando a oração "O coveiro gritou mais forte":


a) Destaque o verbo e indique o tempo e o modo verbal:
b) Passe-a para os outros dois tempos verbais:

24) Neste texto predomina a sequência textual narrativa. Assinale a única alternativa que NÃO apresenta uma característica desse tipo de texto:

(A) Fatos em uma sequência, nuam relação de causa e efeito;
(B) Os fatos são vividos por personagens, em um determinado lugar e tempo;
(C) Apresenta fatos e argumentos com a intenção de persuadir o leitor;
(D) Pode apresentar a linguagem em primeira ou terceira pessoa.

2 comentários:

  1. Boa noite! Preciso das respostas dessas perguntas sobre o texto O coveiro de Millor Fernandes.
    Se for possivel, mande para mim.simonepesar@yahoo.com.br

    ResponderExcluir
  2. texto muito bom ,por gentileza mande-me a resposta. dircemjorge@hotmail.com

    ResponderExcluir

Deixe aqui a sua contribuição para a Arte e Manhas da Língua também!!! Muito obrigada!!!