sábado, 15 de outubro de 2011

Quando tudo começou...


Tentei forçar o HD da memória a fim de me lembrar da minha primeira aula, do meu início como PROFESSORA! Nessa estranha corrida no tempo, alguns momentos chegaram primeiro, e com tamanha vantagem com relação a outros. Poderia citar aqui o seminário que eu dei ainda no Ensino Médio (que, na época, ainda se chamava Segundo Grau), ou as aulas de reforço que eu dava aqui em casa a fim de faturar uns trocadinhos, ou aquela aula que eu dei para a minha própria turma, ou as aulas exigidas no período de estágio, ou a primeira aula que eu dei para a minha primeira turma no Colégio de Aplicação da  FERLAGOS, quando nem formada eu ainda era e havia um "estagiária" no meu contrato em vez de "professora".


Poderia, acho, considerar a primeira aula que dei quando entrei para o Estado, depois do juramento feito na formatura (que me deixou tão emocionada a ponto de chorar e que eu até hoje levo a sério)  e quando a tal "estagiária" deixou de existir para ganhar o peso da "professora". Só que nenhuma dessas lembranças, confesso, respondeu à pergunta "Quando tudo começou?" e aí descobri que, antes mesmo de eu me dar conta, já me pegava sendo professora, quando colocava minhas bonecas enfileiradas e tentava ensinar para elas todas as novidades que eu aprendia na escola. Houve um tempo em que as bonecas se tornaram silenciosas e apáticas demais... e então passei a substituí-las pelas crianças da vizinhança! Recordo-me que, apesar de eu sempre querer aprender, tudo, NUNCA aceitei ser aluna nesse tipo de brincadeiras, o que é curioso. A professora que havia em mim gritava e eu precisava ouvi-la, mesmo que, ao mesmo tempo, planejasse ser veterinária, advogada, psicóloga.
Apesar dos pesares, AMO a minha profissão e ainda me acho não só útil, mas também uma AMEAÇA a todos aqueles que sonham com um mundo repleto de seres tomados pela cegueira, pela alienação, pela submissão, pela manipulação. VIVA OS PROFESSORES QUE AINDA ACREDITAM EM MUDANÇAS! Felizmente alguns ainda me fazem companhia nesta luta! Graças a Deus!

2 comentários:

  1. Que lindo e emocionante post, Dequinha! Precisamos manter viva a chama do nosso trabalho. Nossa profissão é valiosa, mesmo que haja pessoas que não enxergam isso. Bjos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, amiga, sempre tão duro ser professor... continuar acreditando... Mas sigamos. Beijocas mil.

      Excluir

Deixe aqui o seu comentário sobre o blog ou sobre esta postagem em especial!!! Vou amar saber o que você pensa!! Muito obrigada pela visita!!! Volte sempre!!!