quinta-feira, 30 de junho de 2011

Não consegui conter o vômito...

Estava aqui fazendo os gabaritos para as provas do SAERJINHO, a pedido das minhas diretoras, e me questionando se o que estou fazendo realmente é certo, ainda mais depois de ter lido tantas coisas na comunidade orkutiana chamada "Professores do Estado do Rio de Janeiro". Fiquei com pena da forma como uma professora foi tratada lá só por ter criado um tópico, semelhante ao criado no bimestre passado, para trocar gabaritos do SAERJINHO. Os grevistas de lá só faltaram bater nela (se bem que virtualmente a silenciaram, roubaram a sua voz, apertando o "delete", o que já vejo como uma tremenda agressão e desrespeito).

Saí de lá mexida, profundamente, e confesso que estou aqui os meus dedinhos coçando, doida para sair não só em sua defesa, mas em defesa de todos os que pensam de forma de diferente lá e são castrados! A única exigência para ser membro de lá deveria ser professor deste estado, mas parece que estão perdendo a noção do bom senso e agindo como pitbulls que se sentem o máximo devorando aparentes poodles. Lamentável! Como lamentável também é cada um de lá se achar inteligente porque está usando seus cartões culturais para comprarem comida e afins em supermercados. Não vejo como rebeldia e sim como burrice, uma tamanha burrice, que certamente será usada contra nós futuramente. É o que faltava para que Sérgio Cabral corte esse benefício, que está looonge de ser o ideal, o que merecemos, mas que já é alguma coisa! O meu eu gastei realmente com livros e DVDs, só comprando duas coisinhas (baratas) que destoam disso. Uma delas foi uma barra de chocolate para meu filho! Não me sentiria muito diferente dos políticos desonestos dos quais tanto reclamamos se gastasse com outra finalidade.

Também não creio que o boicote ao SAERJINHO seja motivo de orgulho. Não boicotei. Apliquei normalmente a prova no meu dia e horário de serviço e ainda estou aqui fazendo gabaritos, já que não me custa nada! Se postasse isso lá seria apedrejada, certamente, e se fosse numa época nem tão passada assim eu adoraria gerar o maior rebuliço, mas... Pra quê? Desabafo aqui, no meu espaço, espaço que sei que é visitado por pessoas que pensam diferente de mim muitas e muitas vezes e, no entanto, me respeitam e eu as respeito. Penso que é assim que tem que ser!

Mesmo com essas pequenas certezas me povoando, pedi silenciosamente a Deus uma confirmação. Queria saber se estou no caminho certo ou desviando-me dele. A resposta chegou, em forma de e-mail (como Deus é moderno!!!), e dizia assim:

"Escrevi um pequeno poema que tem a ver com nosso trabalho e o dediquei a vc... Vá lá e veja! Quero que me diga francamente... se gostar, escreva um comentário, caso não goste, mande-me e mail e eu tiro seu nome de lá, ok? Sabe? você escreve bem pra caramba! Felicidadesssssssssssssssandra".

Mas isso já é assunto para o próximo post...

2 comentários:

  1. Oi Andréia, como sempre suas explanações são claríssimas. Também faço parte daquela comunidade e às vezes me sinto tentada à comprar a briga de outros, mas, como você sabe, nosso tempo é curto...
    Também estou aqui, com meu namorado na sala e eu aqui no quarto com as provas do Saerj, kkkk. Na primeira vez não fiz o gabarito, mas agora vou fazer sim, em solidariedade à minha diretora que é super legal comigo. Como você disse, não custa tanto, somos capazes. Acho que quem esperneia muito é por que tem medo de não ser competente o suficiente. Grande beijo.
    Ps. O poema é lindo! Você merece!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pelo carinho, Helaine. Beijos mil e acho que a gente é livre pra fazer e não fazer... o que bem quiser... e só não deveriam ser tão livres para quererem a pretensão de julgar o outro, o diferente. Não aceito. Vomito mesmo. Tomar no caco, né? rs rs rs

      Beijos... saudades...

      Excluir

Deixe aqui o seu comentário sobre o blog ou sobre esta postagem em especial!!! Vou amar saber o que você pensa!! Muito obrigada pela visita!!! Volte sempre!!!