quinta-feira, 16 de junho de 2011

Intertextualizando...

Texto 01: Circuito fechado

Chinelos, vaso, descarga. Pia, sabonete. Água. Escova, creme-dental, água, espuma, creme de barbear, pincel, espuma, gilete, água, cortina, sabonete, água fria, água quente, toalha. Creme para cabelo, pente. Cueca, camisa, abotoaduras, calça, meias, sapatos, gravata, paletó. Carteira, níqueis, documentos, caneta, chaves, lenço, relógio, maço de cigarros, caixa de fósforos. Jornal. Mesa, cadeiras, xícara e pires, prato, bule, talheres, guardanapos. Quadros. Pasta, carro. Cigarro, fósforo. Mesa e poltrona, cadeira, cinzeiro, papéis, telefone, agenda, copo com lápis, canetas, blocos de notas, espátula, pastas, caixas de entrada, de saída, vasos com plantas, quadros, papéis, cigarro, fósforo. Bandeja, xícara pequena. Cigarro e fósforo. Papéis, telefone, relatórios, cartas, notas, vales, cheques, memorandos, bilhetes, telefone, papéis. Relógio. Mesa, cavalete, cinzeiros, cadeiras, esboços de anúncios, fotos, cigarro, fósforo, bloco de papel, caneta, projetos de filmes, xícara, cartaz, lápis, cigarro, fósforo, quadro-negro, giz, papel. Mictório, pia, água. Táxi. Mesa, toalha, cadeiras, copos, pratos, talheres, garrafa, guardanapo, xícara. Maço de cigarros, caixa de fósforos. Escova de dentes, pasta, água. Mesa e poltrona, papéis, telefone, revista, copo de papel, cigarro, fósforo, telefone interno, externo, papéis, prova de anúncio, caneta e papel, relógio, papel, pasta, cigarro, fósforo, papel e caneta, telefone, caneta e papel, telefone, papéis, folheto, xícara, jornal, cigarro, fósforo, papel e caneta. Carro. Maços de cigarros, caixa de fósforos. Paletó, gravata. Poltrona, copo, revista. Quadros. Mesa, cadeiras, pratos, talheres, copos, guardanapos. Xícaras, cigarro e fósforo. Poltrona, livro. Cigarro e fósforo. Televisor, poltrona, cigarro e fósforo. Abotoaduras, camisa, sapatos, meia, calça, cueca, pijama, espuma, água. Chinelos. Coberta, cama, travesseiro.
(Ricardo Ramos)

01. Qual a relação existente entre o título e o texto?

02. A personagem é homem ou mulher? Comprove com uma ou mais palavras ou passagens do texto:

03. A personagem tem um vício bem comum, que aparece em vááários momentos da crônica. Qual?

04. Em que ambiente a personagem parece trabalhar? Por quê? Qual a sua provável profissão?

05. A personagem parece ter um dia parado ou agitado? Justifique sua resposta:

06. Quantos parágrafos tem o texto? O que isso significa? Você acha que foi proposital?

07. Qual a palavra usada para iniciar o tempo e também para findá-lo?

08. Reflita sobre as classes de palavras: conjunções, preposições e substantivos - Pense: para que serve cada uma delas?

09. Qual a classe gramatical predominante no texto?

10. Pense nos múltiplos sentidos que a palavra CLASSE pode ter. Dê um exemplo de  cada um que você se lembrar, em forma de frase.

Texto 02: Como se conjuga um empresário

Acordou. Levantou-se. Lavou-se. Barbeou-se. Enxugou-se. Perfumou-se. Lanchou. Escovou. Abraçou. Beijo. Saiu. Entrou. Cumprimentou. Orientou. Controlou. Advertiu. Chegou. Desceu. Subiu. Entrou. Cumprimentou. Assentou-se. Preparou-se. Examinou. Leu. Convocou. Leu. Comentou. Interrompeu. Leu. Despachou. Conferiu. Vendeu. Vendeu. Vendeu. Ganhou. Ganhou. Ganhou. Lucrou. Lucrou. Lucrou. Lesou. Explorou. Escondeu. Burlou. Safou-se. Comprou. Vendeu. Assinou. Sacou. Depositou. Depositou. Depositou. Associou-se. Vendeu-se. Entregou. Sacou. Depositou. Despachou. Repreendeu. Suspendeu. Demitiu. Negou. Explorou. Desconfiou. Vigiou. Ordenou. Telefonou. Despachou. Esperou. Checou. Vendeu. Lucrou. Lesou. Demitiu. Convocou. Elogiou. Bolinou. Estimulou. Beijou. Convidou. Saiu. Chegou. Despiu-se. Abraçou. Deitou-se. Mexeu. Gemeu. Fungou. Babou. Antecipou. Frustrou. Virou-se. Relaxou-se. Envergonhou-se. Presenteou. Saiu. Dirigiu-se. Chegou. Beijou. Despiu-se. Negou. Lamentou. Justificou-se. Dormiu. Roncou. Sonhou. Sobressaltou-se. Acordou. Preocupou-se. Temeu. Suou. Ansiou. Tentou. Despertou. Insistiu. Irritou-se. Temeu. Levantou. Apanhou. Rasgou. Engoliu. Bebeu. Bebeu. Rasgou. Rasgou. Engoliu. Bebeu. Dormiu. Dormiu. Dormiu. Acordou. Levantou-se. Aprontou-se...

(Mino- escritor cearense)


11. Como pode ser caracterizado o narrador do texto acima: 1ª ou 3ª pessoa? Por quê?


12. Que outro termo poderia substituir conjugar sem alterar o significado?


13. Na sua vida estudantil, normalmente o termo conjugar está associada a qual assunto?

14. Qual a relação existente entre a palavra conjugar e o texto?

15. Qual a classe gramatical utilizada na estruturação do texto?

16. Há narrador explícito neste último texto e no primeiro? Ou há uma certa ruptura em relação ao conceito de gêneros literários - o padrão tradicional? Por quê?

17. Que relação existe entre os dois textos? (relacione semelhanças e também diferenças).

18. Você concorda que "Circuito fechado" e o outro texto sejam apenas um bloco de palavras ou considera que são mesmo textos? Justifique sua resposta:

19. Redija um texto baseado no seu dia-a-dia, utilizando a mesma técnica dos autores acima, usando predominantemente uma classe de palavras:

Texto 03: Cotidiano


Todo dia ela faz tudo sempre igual
Me sacode às seis horas da manhã
Me sorri um sorriso pontual
E me beija com a boca de hortelã

Todo dia ela diz que é pra eu me cuidar
E essas coisas que diz toda mulher
Diz que está me esperando pro jantar
E me beija com a boca de café

Todo dia eu só penso em poder parar
Meio-dia eu só penso em dizer não
Depois penso na vida pra levar
E me calo com a boca de feijão

Seis da tarde como era de se esperar
Ela pega e me espera no portão
Diz que está muito louca pra beijar
E me beija com a boca de paixão

Toda noite ela diz pra eu não me afastar
Meia-noite ela jura eterno amor
E me aperta pra eu quase sufocar
E me morde com a boca de pavor

Todo dia ela faz tudo sempre igual
Me sacode às seis horas da manhã
Me sorri um sorriso pontual
E me beija com a boca de hortelã.
(Chico Buarque de Holanda)

20. O texto acima se encontra em verso ou em prosa?

21. O "ela" presente no texto parece aceitar passivamente o seu cotidiano, já o "eu" não. Comprove essa afirmação:

22. A que horas se dá a tentativa de rebeldia? Por quê?

23. Na verdade, ele consegue se rebelar contra a estreiteza da rotina diária? Comente:

24. O feijão é o mais elementar e comum hábito alimentar do Brasil; por isto, ele pode significar o rotineiro, o habitual, o que se costuma chamar de “feijão com arroz”. Em que verso o autor aproveita este dado, reforçando a idéia de cotidiano do casal?

25.A idéia de rotina é conseguida também pelo uso repetitivo de algumas palavras. Transcreva-as:

26. Na segunda estrofe há um chavão muito usado por algumas mulheres e que o “eu” do poema se aproveita. Qual é?

27. Por que será que as personagens não têm nome? Você acha que isso foi proposital?

28. Lembrando que pleonasmo é uma repetição da idéia para reforçá-la, retire do poema dois ou mais exemplos de pleonasmos:

29. Em quanto tempo se passam todos os três textos?

30. De qual dos três textos você gostou mais? Por quê?

6 comentários:

  1. Gostei dos textos, um trabalha-se sintagma nomminal, outro sintagma verbal. Gosto de textos malucos assim, já andei atrás de textos sem verbos, poemas sem a letra "a, outro sem "e", e assim por diante. O que se procura na net, se encontra. Incríve! Dá para trabalhar tanta coisa com esses textos que fogem do convencional. Aliás eu acho mesmo que as palavras servem, sobretudo para brincar (no bom sentido, é claro!)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tb sou suspeita pra falar, pois me amarro em textos diferentes, em atividades desafiadoras, que estimulem os alunos a saírem do senso comum!

      Excluir
  2. Esqueci-me do texto do Chico Buarque (Como pudee!!) A rotina de cada um pode parecer monótona...mas quando ela se vai...faz uma falta até as pequenas coisas. Lembro-me de um trecho de uma música do Roberto: "COSTUMES" "Não pensei que me fizessem falta umas poucas palavras..."
    Lógico que isso não se aplica a todas as pessoas. Há faltas que são gratificantes quando a presença é uma tortura.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Chico é Chico, né? Nem precisa comentar muito sobre. Um arraso. Trabalho muito com as músicas poderosas dele... e até que tenho sorte: meus alunos sempre acabam curtindo tb.

      Excluir
  3. Menina, como você produz, hein? Se eu não passar um mdia por aqui já sei que estarei atrasada em muitos posts! Parece que faltei um dia, mas agora vejo tantos posts que não comentei! rs Adorei tudo! Amei todos os textos especialmente o do Chico Buarque.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu até que tento driblar a correria e passar por aqui, Clecinha, mas infelizmente nem sempre consigo. Quem sabe nas férias, né? Porque criar pra mim não é trabalho, é lazer, é diversão... adoro! Bom saber que vem aqui sempre que pode! Obrigada!

      Excluir

Deixe aqui o seu comentário sobre o blog ou sobre esta postagem em especial!!! Vou amar saber o que você pensa!! Muito obrigada pela visita!!! Volte sempre!!!