quinta-feira, 30 de junho de 2011

Não consegui conter o vômito...

Estava aqui fazendo os gabaritos para as provas do SAERJINHO, a pedido das minhas diretoras, e me questionando se o que estou fazendo realmente é certo, ainda mais depois de ter lido tantas coisas na comunidade orkutiana chamada "Professores do Estado do Rio de Janeiro". Fiquei com pena da forma como uma professora foi tratada lá só por ter criado um tópico, semelhante ao criado no bimestre passado, para trocar gabaritos do SAERJINHO. Os grevistas de lá só faltaram bater nela (se bem que virtualmente a silenciaram, roubaram a sua voz, apertando o "delete", o que já vejo como uma tremenda agressão e desrespeito).

Saí de lá mexida, profundamente, e confesso que estou aqui os meus dedinhos coçando, doida para sair não só em sua defesa, mas em defesa de todos os que pensam de forma de diferente lá e são castrados! A única exigência para ser membro de lá deveria ser professor deste estado, mas parece que estão perdendo a noção do bom senso e agindo como pitbulls que se sentem o máximo devorando aparentes poodles. Lamentável! Como lamentável também é cada um de lá se achar inteligente porque está usando seus cartões culturais para comprarem comida e afins em supermercados. Não vejo como rebeldia e sim como burrice, uma tamanha burrice, que certamente será usada contra nós futuramente. É o que faltava para que Sérgio Cabral corte esse benefício, que está looonge de ser o ideal, o que merecemos, mas que já é alguma coisa! O meu eu gastei realmente com livros e DVDs, só comprando duas coisinhas (baratas) que destoam disso. Uma delas foi uma barra de chocolate para meu filho! Não me sentiria muito diferente dos políticos desonestos dos quais tanto reclamamos se gastasse com outra finalidade.

Também não creio que o boicote ao SAERJINHO seja motivo de orgulho. Não boicotei. Apliquei normalmente a prova no meu dia e horário de serviço e ainda estou aqui fazendo gabaritos, já que não me custa nada! Se postasse isso lá seria apedrejada, certamente, e se fosse numa época nem tão passada assim eu adoraria gerar o maior rebuliço, mas... Pra quê? Desabafo aqui, no meu espaço, espaço que sei que é visitado por pessoas que pensam diferente de mim muitas e muitas vezes e, no entanto, me respeitam e eu as respeito. Penso que é assim que tem que ser!

Mesmo com essas pequenas certezas me povoando, pedi silenciosamente a Deus uma confirmação. Queria saber se estou no caminho certo ou desviando-me dele. A resposta chegou, em forma de e-mail (como Deus é moderno!!!), e dizia assim:

"Escrevi um pequeno poema que tem a ver com nosso trabalho e o dediquei a vc... Vá lá e veja! Quero que me diga francamente... se gostar, escreva um comentário, caso não goste, mande-me e mail e eu tiro seu nome de lá, ok? Sabe? você escreve bem pra caramba! Felicidadesssssssssssssssandra".

Mas isso já é assunto para o próximo post...

quarta-feira, 29 de junho de 2011

Calvin e o deserto...


01) Qual o assunto principal desta tirinha? Quais os outros possíveis subtemas que podem ser extraídos dela?

02) O que poderia ter levado o Calvin a pensar que o deserto é um lugar divertido? 

03) Percebe-se que Calvin, desde o início, estava determinado a não fazer o trabalho escolar. Que frase utilizada por ele revela essa determinação? 

04) Analise o sujeito presente na frase: "O papai e a mamãe nunca me levam a algum lugar divertido nas férias", transformando-o, sem alterar o sentido, em outro tipo de sujeito: 

05) Reflita e faça um comentário sobre a fala do tigre Haroldo que se encontra presente no último quadrinho:

06) Além da sugestão dada pelo personagem, quais outras formas poderiam ser usadas para que o Calvin soubesse como é um deserto?

07) Como você analisa as palavras de Calvin? Concorda ou não? Justifique:

08) Com base na tirinha, caracterize o personagem Calvin e caracterize o personagem Haroldo, confrontando-os: 

09) Na passagem "Eu nunca fui a um deserto", classifique sintaticamente todas as palavras nela presentes:

10) Justifique o emprego do porquê na passagem "Por que você não arranja um livro?"

O tal do SAERJINHO...

Hoje teremos a prova do SAERJINHO referente a este segundo bimestre e tomara que desta vez seja mais organizado, pois a do bimestre passado... só Jesuuuus!!! Tínhamos a intenção de aproveitarmos o resultado da tal prova como um dos instrumentos avaliativos do bimestre, até para "incentivar" os alunos a fazerem a prova e com mais seriedade, interesse, atenção, mas o Estado exigiu que todas as provas fossem enviadas CORRENDO de volta para eles, assim como cada cartão-resposta! Ainda solicitou que os professores de Português e de Matemática, disciplinas que caem na prova, coisa que, aliás, não entendo (por que não todas?!?), fizessem um gabarito para enviar. Será, meu Deus, que eles não sabem as respostas das próprias questões que criaram?!? (risos)

Muita polêmica foi criada em torno disso e muitos colegas comentaram que não iriam fazer tal gabarito porque isso era uma forma de nos avaliar e tal. Eu, sinceramente, fiz, inclusive de turmas que nem minhas eram! Não me custou nada e se errei alguma questão, CAGUEI para isso! Estão me avaliando? Ohhhh, que medo!!! (gargalhadas)

Na semana passada, se não me falha a memória, que o Estado liberou as notas da prova passada, depois de um século. O "pra ontem" que eles adoram lançar para a gente, para eles é "para o próximo semestre". Na segunda-feira, em uma das escolas em que trabalho, teve uma reunião sobre isso e entregaram o resultado de nossos alunos, dois dias de outra prova ocorrer. Piada! Seria interessante sabermos disso com uma certa antecedência para tentarmos bolar um trabalho para diminuir especificamente os erros ocorridos... e também discutirmos esses resultados com eles, podendo, inclusive, refazer as provas, juntos. Acho que essa troca seria o mínimo de respeito: Estado dialogando com o professor e professor dialogando com o aluno. Quando tal diálogo falha (e como tem falhado!), surgem perguntas do tipo: "Por que eu devo participar disso? Isso tudo, afinal, é pra quê?" Também, sinceramente, não sei. Uma pena! Poderia ser tudo tããão diferente..!!!

terça-feira, 28 de junho de 2011

Currículo Mínimo do Estado do Rio de Janeiro

Tudo que é novo acaba gerando, por mais que se negue, um certo medo e também muita insegurança. Natural. Assim me sinto com relação ao Currículo Mínimo imposto pelo meu Estado. Creio que no ano que vem as coisas já estarão meio que no seu devido lugar, mas por ora... como tenho me sentido perdida, sobrecarregada! Há alguns itens que nem nunca ouvi, sinceramente, falar, muito menos encontrar em livros didáticos e nem mesmo de forma interessante no Google, que tantas vezes me salva! Acho engraçado que lançam "novidades" para cima da gente e que se dane o resto! Poderiam ter nos fornecido material de apoio também, penso, ou ao menos uma espécie de bibliografia. Já mostraria competência, bom senso e vontade de realmente nos ver acertar! Mas não...

Junto com tais "novidades" chegaram, pra variar, inúmeras cobranças, pressões, burRocracias extras, metas praticamente impossíveis de se alcançar! Tudo isso, sinceramente, me deixa indignada! Mas como isso não resolve nada, estou aqui postando o tal do Currículo Mínimo de Língua Portuguesa na esperança de que outros professores estejam passando por esse mesmo momento e que possamos trocar desde figurinhas até (por que nao?) atividades. Fica aqui o meu pedido de HELP, sem nenhum tipo de constrangimento! Adoro ensinar, mas também AMO aprender! Sempre!

Primeiro Ano do Ensino Médio

Foco do Primeiro Bimestre: Notícia e Texto didático

Habilidades e Competências:

Leitura:

- Relacionar o título ao corpo do texto, a fim de identificar o objetivo do autor;
- Identificar pressupostos subentendidos no texto;
- Reconhecer e avaliar diferentes posições sobre um mesmo fato;
- Identificar os elementos que concorrem para a progressão temática e a organização textual;
- Perceber que os modos de organização da linguagem e dos interlocutores se relacionam à imtenção do locutor;

Uso da Língua:

- Reconhecer os elementos da comunicação;
- Identificar as funções referencial e metalinguística da linguagem;
- Reconhecer o sentido denotativo da linguagem;
- Identificar e empregar relações lógico-discursivas marcadas por conectores coordenativos;
- Identificar as marcas linguísticas de impessoalidade e de opinião;
- Reconhecer a construção do enunciado a partir de unidades sintagmáticas;
- Inferir o significado de palavras com base na estrutura morfológica;

Produção Textual:

- Produzir notícias sobre acontecimentos ocorridos com a turma;
- Reescrever uma notícia, retirando do texto elementos secundários à sua composição;


Foco do Segundo Bimestre: Carta do leitor e Entrevista


Habilidades e Competências:


Leitura:


- Reconhecer a natureza dialógica da linguagem;
- Identificar e diferenciar locutor e interlocutor;
- Reconhecer, por meio do gênero entrevista, as características que distinguem a escrita da oralidade;
- Reconhecer características de um texto opinativo;
- Idnetificar os elementos que concorrem para a progressão temática e a organização do texto;


Uso da Língua:


- Reconhecer as funções contativa e metalinguística da linguagem;
- Identificar estrutura interna da palavra, atribuindo significado a cada parte constituinte de modo a reconhecer processos de flexão e derivação;
- Reconhecer formas de reportar uma fala: discurso direto, discurso indireto, discurso indireto livre;
- Reconhecer os efeitos gerados pela escolha do sujeito como agente ou paciente;


Produção Textual:


- Produzir uma carta do leitor e enviar a um jornal local;
- Realizar uma entrevista, editando-a, em seguida, para publicação;


Foco do Terceiro Bimestre: Propaganda, Tira e Charge


Habilidades e Competências:


Leitura:

- Identificar o humor presente na tira e na charge;
- Identificar as figuras de linguagem, como hipérbole, metáfora e ironia, que produzem efeito humorístico;
- Identificar a relação, presente na charge, entre o texto e o contexto político, histórico e social;
- Caracterizar a situação polêmica e a ideologia subjacentes aos textos do gênero;
- Reconhecer a presença de estereótipos e clichês sociais;
- Reconhecer estratégias de convencimento do público presentes no texto verbal ou não (intimidação, sedução, comoção, etc);

Uso da Língua:

- Reconhecer a função conativa da linguagem;
- Perceber a relação entre significado e significante na denotação e na conotação;
- Reconhecer a estrutura do sintagma nominal e as particularidades de seus constituintes;

Produção Textual:

- Produzir uma propaganda de um produto que pessoas da turma possam oferecer (produtos de segunda mão, serviços, etc);
- Produzir uma tira ou charge sobre notícia lida ou ouvida em jornal;

Foco do Quarto Bimestre: Literatura: Textos de informação e jesuíticos e Poesia do Arcadismo e do Barroco

Habilidades e Competências:

Leitura:

- Relacionar os modos de organização da linguagem na literatura às escolhas do autor, à tradição literária e também ao contexto social de cada época;
- Reconhecer situações de ambiguidade, ironia, e os valores ligados ao ponto de vista do autor;
- Identificar as características do teatro de catequese;
- Caracterizar a linguagem teatral, relacionando os elementos essenciais dessa linguagem (ator-texto-espectador);
- Reconhecer a tríade teatral: "Eu observador, Eu em situação, e o Não-Eu, isto é, o Outro";
- Refletir sobre a historia e o sentido do teatro na sociedade;

Uso da Língua:

- Reconhecer as funções da linguagem emotiva, metalinguística e poética;
- Identificar mímese, metáfora, discurso figurado, mentira e ficção;
- Perceber os recursos prosódicos (rima e ritmo) e relacioná-los à acentuação das palavras;
- Identificar as normas ortográficas relacionadas à acentuação e desenvolver um estudo mais amplo sobre o conjunto das novas normas ortográficas vigentes;
- Reconhecer as características de um texto descritivo;

Produção Textual:

- Descrever o bairro e os costumes de onde mora;
- Produzir paráfrases ou paródias em forma a partir dos poemas estudados.


Segundo Ano do Ensino Médio

Foco do Primeiro Bimestre: Fichamento, Resumo e Resenha

Habilidades e Competências:

Leitura:

- Identificar o tema, as ideias centrais e secundárias, as informações implícitas e a funcionalidade de um texto;
- Inferir o significado de uma expressão a partir do contexto;
- Analisar as fontes de informação para avaliar a confiabilidade do texto;
- Estabelecer relações de causa / consequência entre partes do texto e entre as informações verbais e os recursos gráficos;

Uso da Língua:

- Reconhecer os tópicos frasais e relacioná-los à possibilidade de se elaborar bons textos de síntese a partir da leitura de textos originais;
- Apropriar-se de verbos de opinião;
- Reconhecer e utilizar diversas formas modais nos verbos;
- Utilizar modalizadores discursivos (geralmente, muitas vezes, etc);
- Reconhecer o emprego de pronomes, substantivos e sintagmas como mecanismos de coesão referencial;
- Reconhecer o emprego de tempos verbais, advérbios e conectivos como mecanismos de coesão sequencial;

Produção Textual:

- Produzir fichamentos, esquemas, quadros e sínteses que reproduzam as informações principais do texto;
- Produzir texto dissertativo sobre o tema da leitura, a partir de  pesquisa em outras fontes, reescrevendo-o eventualmente sob a orientação do professor, com foco no acerto das questões de coesão;


Foco do Segundo Bimestre: Literatura: Poesia e Romances no Romantismo


Habilidades e Competências:


Leitura:


- Relacionar os modos de organização da linguagem na literatura às escolhas do autor, à tradição literária e também ao contexto social de cada época;
- Diferenciar discursos direto, indireto e indireto livre;
- Contrapor linguagem culta em estilo metafórico e poético, e linguagem culta direta;
- Caracterizar o processo de descrição objetiva / subjetiva, diferenciando-as;
- Esquematizar os elementos da narração: tempo, espaço, narrador, personagem, enredo;
- Relacionar o que os autores informam (fato) ao que pregam por motivos ideológicos (religião);
- Reconhecer a valorização da imagem visual nos textos literários da época, assim como a idealização como marca desse cenário;
- Identificar as figuras de linguagem associadas à estética literária;


Uso da Língua:


- Reconhecer o caráter nuclear do substantivo no sintagma;
- Reconhecer a relação determinado-determinante entre adjetivo e substantivo;
- Reconhecer o caráter nuclear dos verbos na oração;
- Reconhecer as relações de concordância nominal e verbal;


Produção Textual:


- Produzir resumos dos textos críticos e comentários sobre os textos literários estudados;
- Produzir pequenas adaptações dos textos literários lidos para  linguagem teatral;


Foco do Terceiro Bimestre: Literatura: Contos e Romances do Realismo


Habilidades e Competências:


Leitura:

- Relacionar os modos de organização da linguagem na literatura às escolhas do autor, à tradição literária e também ao contexto social de cada época;
- Reconhecer estereótipos e clichês sociais nos textos literários lidos;
- Explorar a função dos marcadores de tempo na narrativa;
- Reconhecer os diferentes focos narrativos e relacioná-los a distintas necessidades expressionais;
- Identificar a caracterização das personagens como mecanismo de construção de sentido global na narrativa;

Uso da Língua:

- Reconhecer o valor expressivo dos distintos tempos verbais na narrativa;
- Identificar e empregar mecanismos de coesão referencial;
- Identificar e empregar mecanismos de coesão sequencial;

Produção Textual:

- Produzir resumos dos textos críticos e textos dissertativos com comentários críticos sobre os textos literários estudados, reescrevendo-os eventualmete sob a orientação do professor, com foco no acerto das questões de coesão e de coerência;
- Produzir pequenas adaptações dos textos literários lidos para a linguagem teatral, a fim de produzir uma encenação pública que seja composta por uma pequena, mas significativa amostra da produção literária da época;

Foco do Quarto Bimestre: Literatura: Poesia do Parnasianismo e do Simbolismo

Habilidades e Competências:

Leitura:

- Relacionar os modos de organização da linguagem na literatura às escolhas do autor, à tradição literária e também ao contexto social de cada época.
- Relacionar o título ao conteúdo.
- Reconhecer efeitos de sentido decorrentes da escolha de uma determinada palavra ou expressão.
- Reconhecer situações de ambiguidade, ironia e os valores implícitos, que decorram do ponto de vista do autor ou eu-lírico.
- Perceber os recursos prosódicos (rima e ritmo).
- Reconhecer a estrutura do soneto e diferenciá-la das formas poéticas não fixas.
- Identificar a arte pela arte como ideal de beleza e emoção estética.
- Observar a expressividade da língua como estética da sugestão, carregada de símbolos.

Uso da Língua:

- Reconhecer as seguintes funções da linguagem: metalinguística e poética.
- Identificar usos expressivos da sonoridade, como aliterações, assonâncias, onomatopéias etc.
- Identificar recursos sintáticos expressivos, como hipérbatos, elipses e anáforas.

Produção Textual:

- Produzir resumos dos textos críticos e textos dissertativos com comentários críticos sobre os textos literários estudados, reescrevendo-os eventualmente sob a orientação do professor, com foco no acerto das questões de coesão e coerência.


Terceiro Ano do Ensino Médio

Foco do Primeiro Bimestre: Literatura: Poesia e Prosa do Modernismo

Habilidades e Competências:

Leitura:

- Relacionar os modos de organização da linguagem na literatura às escolhas do autor, à tradição literária e também ao contexto social de cada época.
- Identificar o caráter de transgressão/manutenção presente na literatura modernista.
- Relacionar questionamentos da renovação das formas poéticas ao contexto social (clima de guerra mundial).
- Estabelecer relações intertextuais entre os próprios textos lidos e outras formas de manifestação artística.

Uso da Língua:

- Reconhecer as seguintes funções da linguagem: emotiva, metalinguística e poética.
- Explorar questões relacionadas à pontuação em sua articulação com a estrutura sintática e também com as escolhas estilísticas dos autores.
- Relacionar mais explícita e sistematicamente classes e funções das palavras.
- Identificar e promover relações de concordância e regência entre unidades do discurso.

Produção Textual:

- Produzir resumos dos textos críticos e um texto dissertativo sobre os textos literários estudados, eventualmente reescrevendo-os sob a orientação do professor.
- Dissertar sobre questões político-sociais abordadas nos textos estudados.

Foco do Segundo Bimestre: Literatura: Poesia e Prosa do Pós-Modernismo


Habilidades e Competências:


Leitura:


- Relacionar os modos de organização da linguagem na literatura às escolhas do autor, à tradição literária e também ao contexto social de cada época.
- Reconhecer os neologismos como recurso expressivo presente nos textos propostos.
- Reconhecer os efeitos expressivos do registro de fluxo da consciência e do discurso indireto livre.
- Reconhecer a fragmentação do discurso como mecanismo expressivo.


Uso da Língua:


- Enfatizar questões relativas à significação e à formação de palavras com particular atenção aos neologismos.
- Reconhecer e utilizar os sinais da pontuação como mecanismos expressivos.
- Reconhecer a carga semântica de afetividade ou ironia no emprego de verbos e adjetivos.


Produção Textual:


 Produzir resumos dos textos críticos e um texto dissertativo sobre os textos literários estudados, eventualmente reescrevendo-os sob a orientação do professor.




Foco do Terceiro Bimestre: Editorial e Crônica


Habilidades e Competências:


Leitura:

- Reconhecer as características mais gerais de textos opinativos (tese, argumento, contra-argumento, refutação).
- Distinguir texto ficcional e não ficcional, fato e opinião.
- Identificar as características específicas dos gêneros em questão.
- Identificar as figuras de linguagem (como metáfora e ironia) que produzem efeito humorístico na crônica.
- Inferir o significado de palavras desconhecidas com base no contexto e em sua estrutura morfológica.

Uso da Língua:

- Identificar recursos próprios do texto jornalístico, como a linguagem mais objetiva e impessoal.
- Identificar recursos relacionados às formas mais coloquiais e pessoais da escrita jornalística nas crônicas.
- Usar pronomes relativos de modo a garantir coesão ao texto.

Produção Textual:

- Escrever texto dissertativo opinativo sobre um editorial já lido, eventualmente reescrevendo-o sob a orientação do professor.

Foco do Quarto Bimestre: Artigo de opinião e Artigo científico

Habilidades e Competências:

Leitura:

- Reconhecer as características mais gerais de textos dissertativos opinativos e textos dissertativos expositivos.
- Identificar o tema, as ideias centrais e secundárias, e ainda as informações implícitas do texto.
- Identificar os elementos para a progressão e a organização do texto.
- Estabelecer relações entre as informações verbais e os recursos gráficos utilizados.

Uso da Língua:

- Identificar as três partes básicas que estruturam o texto dissertativo.
- Reconhecer a estrutura da frase e do parágrafo e exercitar sua formação.
- Identificar as marcas linguísticas de impessoalidade e de opinião.
- Identificar o papel argumentativo dos conectivos e usá-los de modo a garantir coesão ao texto.

Produção Textual:

- Produzir resumos contendo as informações principais de diferentes artigos sobre um mesmo tema.
- Debater um tema polêmico com colegas e produzir um texto dissertativo curto (como um artigo) com o resumo do debate e sua posição, eventualmente reescrevendo-o sob a orientação do professor.

Atividade sobre o filme "Coach Carter - Treino para a vida" (136 min)



Sinopse:  A história real e inspiradora de um treinador que decide mostrar os diversos aspectos dos valores de uma vida ao suspender seu time campeão por causa do desempenho acadêmico dos atletas. Dessa forma, Ken Carter recebe elogios e críticas, além de muita pressão para levar o time de volta às quadras. É aí que ele deve superar os obstáculos de seu ambiente e mostrar aos jovens um futuro que vai além de gangues, prisão e até mesmo do basquete.

01) Compare o comportamento dos alunos-atletas do Richmond High School no início com o comportamento deles no final do filme:

02) Os meninos priorizavam o basquete, não dando o verdadeiro valor ao estudo, achavam que bastava ser bom no basquete, como se isso fosse lhes garantir um bom futuro. Você acha que eles teriam melhorado no estudo e até conseguido bolsas em faculdades se o treinador não tivesse usado determinados métodos? Por quê?

03) Carter deu inúmeras lições de vida aos meninos, porém eles também lhe deram algumas lições. Dê exemplo de uma delas: 

04) Carter desejava formá-los não apenas para serem bons no basquete e sim para serem bons na vida. Você concorda com isso? Acha que ele conseguiu sucesso nisso ou falhou?? Por quê?

05) "Qual o seu maior medo?" era uma pergunta feita constantemente aos seus atletas. Qual o seu maior medo? O que tem feito para superá-lo?

06) Leia a seguinte fala do personagem Timo Cruz, no momento em que o treinador se preparava para deixar o time e, em seguida, diga que reflexão você pode fazer a respeito dessa fala:

"Nosso maior medo não é sermos inadequados. Nossos maiores medos são os de sermos poderosos além da conta. É nossa luz e não a nossa obscuridade que mais nos apavora. Ser pequeno não serve ao mundo, não há nada de sábio em se encolher para que as outras pessoas não se sintam inseguras ao seu redor. Nós todos fomos feitos para  brilhar como as crianças; não está apenas em alguns de nós, está em todos, na medida em que deixarmos nossa luz brilhar, nós inconscientemente damos as outras pessoas a permissão para fazer o mesmo na medida em que nos liberamos de nosso medo. Nossa presença automaticamente libera os outros."

07) Que parte do filme você achou mais interessante? Por quê?

08) O que você achou do filme, especialmente do final dele? Justifique sua resposta, aproveitando para dar uma nota de o a 10 a ele! Que lição podemos extrair desse filme?

09) Escolha um dos temas abaixo para criar em cima dele um parágrafo dissertativo:
  • A importância do trabalho em equipe;
  • O grade vencedor é aquele que sabe perder;
  • É preciso respeitar para ser respeitado;
  • Só a Educação verdadeiramente transforma o homem;

segunda-feira, 27 de junho de 2011

Só para refletir...

Isto

Dizem que finjo ou minto
Tudo o que escrevo. Não.
Eu simplesmente sinto
Com a imaginação.
Não uso o coração.

Tudo o que sonho ou passo,
O que me falha ou finda,
É como que um terraço
Sobre outra coisa ainda.
Essa coisa que é linda.

Por isso escrevo em meio
Do que não está ao pé,
Livre do meu enleio,
Sério do que não é.
Sentir! Sinta quem lê!

(Fernando Pessoa)

Atividade sobre "Mulher com chapéu" - Di Cavalcanti - 1940


01) Escreva um parágrafo contendo tudo o que se pode captar e imaginar sobre a figura feminina presente no quadro em análise: nome, idade, sonhos, problemas, medos, onde vive, se é casada ou solteira, se tem filhos, profissão, no que poderia estar pensando naquele exato momento...
02) Dê um novo título à imagem e justifique a sua escolha:

03) Imagine que a personagem esteja esperando por alguém. Quem ela está esperando e por quê?
04) Crie um poema fazendo uso do quadro de Di Cavalcanti como estímulo!
05) A Mulher do quadro retrata a época em que Di Cavalcante viveu. Se fosse hoje, como seria essa mulher? Quais os aspectos marcantes atualmente referente a: cabelo, roupa, maquiagem, postura, etc. Descreva como seria e tente também retratar isso numa imagem:
06) A mulher do retrato está pensativa. Quem sabe esteja pensando em alguém ou planejando escrever uma carta! Levando em conta esse contexto, elabore duas cartas:
*Uma para um amigo (um advogado), escrito em norma culta;
*Outra para um amigo de infância (que não concluiu o Ensino Fundamental), em norma coloquial.
Nessa carta ela falará sobre a importância do contato e da amizade entre eles, assim como sobre suas aspirações futuras, sua profissão, vida amorosa e familiar, etc.
07) Levando em conta as informações (fictícias) sugeridas na questão 01, acrescente mais dados como: endereço, telefone, formação acadêmica, salário pretendido, empresa , etc... e elabore um “Curriculum Vitae” da personagem , com as informações adequadas a esse gênero textual, inclusive uma carta de recomendação cujos argumentos convençam a empresa de que ela será uma ótima funcionária.

08) Munido de revistas, tesoura e cola, sua tarefa será de "modernizar" tal obra de Di Cavalcanti, recriando-a com recortes e colagem! 

09) Imagine que a personagem esteja observando alguém. Descreva minuciosamente a cena. Quem a personagem vê? 

10) Escreva uma carta para o autor encomendando uma nova obra de arte, em cima da que tomamos para análise, propondo o maior número possível de alterações!

Teoria e Prática


Acho que essa charge denuncia, com perfeição, e na medida certa, um sério problema na Educação, ainda mais agora depois de GIDEs e afins, em que as escolas com muitos casos de adolescentes grávidas perderão pontos, como se os professores fossem responsáveis por isso! Se só faltava esta, agora não falta mais nada! 

Cada dia tenho visto mais alunos saírem da escola por acharem as aulas desinteressantes e olha que os professores, assim como eu, tentam tornar ao máximo suas aulas atraentes! Fico pensando o que eles diriam então das aulas tradicionalíssimas que eu tinha como aluna!  Alguns alunos migram para as chamadas telessalas, na esperança de que lá encontrem aulas dinâmicas e criativas... depois acabam desistindo também, o que me leva a crer que infelizmente NADA está conseguindo atrair a atenção e o interesse dos alunos (com algumas exceções, claro, graças a Deus!).

Quando tentei levar textos falando sobre camisinha para as minhas quintas séries, na época, os pais acharam isso um absurdo e foram me questionar! Quando será que deveríamos então falar sobre esses assuntos?!? Quando cada menina já tivesse pelo menos uns três filhos?!? Porque é isso que está acontecendo... Se a gente aborda um determinado assunto, na teoria, consideram cedo mais, mas quando, na verdade, na prática... eles sabem beeeeeem mais do que a teoria que nos dignamos a ensinar! A vida tem ensinado cada dia mais cedo muitas coisas a esses jovens... e parece que os pais preferem se enganar e fingir que não estão vendo isso, até porque virou moda culpar o professor e a escola em vez de culpar a si mesmos e a sociedade. Fica aqui o meu desabafo...!!!

Para trabalhar Paródia


O patinho realmente feio

Era uma vez uma mamãe pata e um papai pato que tinham sete bebês patinhos. Seis eram patinhos normais. O sétimo, porém, era um patinho realmente feio.
Todo mundo dizia: "Mas que bando de patinhos tão bonitinhos... todos, menos aquele ali. Puxa, mas como ele é feio!"
O patinho realmente feio ouvia o que as pessoas diziam, mas nem ligava. Sabia que um dia iria crescer e provavelmente virar um cisne, muito maior e mais bonito do que qualquer outra ave do lago.
Bem, só que no fim ele era apenas um patinho realmente feio. E, quando cresceu, tornou-se apenas um pato grande realmente muito feio.
(Jon Scieszka)

01) Com que história conhecidíssima o texto acima dialoga? Tente resumi-la da forma como você a conhece:

02) Que tipo de narrador nós temos no texto acima? Justifique:

03) Explique por que tal classificação justifica a falta de ligação dele com a personagem:

04) Além de dialogar com a narrativa de Andersen, há dentro da própria narrativa acima um outro momento de diálogo com o conto clássico. Qual?

05) Esse dado lhe parece aumentar ou diminuir a decepção final? Por quê?

06) Qual foi a única novidade que o crescimento trouxe para o patinho?

07) Por que temos no texto lido uma paródia e não uma paráfrase? Explique:

08) Agora tente reescrever o texto como se o patinho realmente feio fosse o narrador:

09) Você agora deverá fazer uma paráfrase sobre o texto lido:

10) E que tal você criar a SUA paródia sobre o conto clássico do patinho feio? Capriche!  

domingo, 26 de junho de 2011

Atividade sobre "Guernica" - Pablo Picasso


01) Qual a sua primeira impressão ao ver essa obra de arte?

02) Na teoria das cores, o branco e o cinza não são cores. Por que você acha que o artista optou por essa então ausência de cores?

03) Relacione o título do quadro ao fato histórico que o originou. O que Picasso pretende com essa obra?

04) Elabore um texto descritivo da obra, tentando retratá-lo em palavras da forma mais fiel possível:

05) Elabore um texto publicitário cuja imagem seja essa obra:

06) Durante uma revista ao quarto de Picasso, um oficial nazista pergunta, apontando para uma fotografia do mural de Guernica:


"- Foi você quem fez isto?
Ao que Picasso respondeu:
- Não, foram vocês!"

Comente sobre o papel do artista e as diversas funções que a arte pode assumir em nossa vida:

07) Leia o poema abaixo sobre Guernica e, a partir da obra de Picasso, elabore você também o seu poema: 

Nossa Guernica


Sombria guernica,
Remanchada de sangue
Ouço órfãos gritando
Ao ver sua vida agonizando
Abandonados numa imensa solidão

Sombria Guernica
Paredes marcadas!
Esperanças feridas
Desacreditadas e vazias
Á sombra de pensamentos ceifados

Iluminados no movimento do pintor
Clamam ao ver sua dor
Numa escura visão
De um quadro sem cor
Sombria Guernica...

(Saulo Monsores)

(Criação poética nas aulas de Filosofia - Turma 1101 - Edificações - abril de 2005)
08) As formas que compõem a obra de arte são reais ou distorcidas? O que elas representam?

09) Imagine que essa tela pudesse emitir sons. Que tipo de som você acha que ouviria?

10) Ao observarmos atentamente a tela, percebemos que um apelo a dois de nossos sentidos. Quais são eles? Justifique sua resposta:

Uma delícia de atividade...

Classificados Poéticos

Menino que mora num planeta
azul feito a cauda de um cometa
quer se corresponder com alguém
de outra galáxia.
Nesse planeta onde o menino mora,
as coisas não vão tão bem assim:
o azul está ficando desbotado.
e os homens brincam de guerra.
É só apertar um botão
que o planeta Terra vai pelos ares...
Então o menino procura com urgência
alguém de outra agaláxia
para trocarem selos, figurinhas
e esperanças.

Habitante de outra galáxia
aceita corresponder-se com o menino
do planeta azul.
O mundo desse habitante é todo
feito de vento e cheira a jasmim.
Não há fome nem há guerra
e, nas tardes perfumadas,
as pessoas passeiam de mãos dadas
e costumam rir à toa.
Nessa galáxia ninguém faz a morte,
ela acontece naturalmente
como o sono depois da festa.
Os habitantes não mentem
e por isso os seus olhos
brilham como riachos.
O habitante da outra galáxia
aceita trocar selos e figurinhas
e pede ao menino
que encha os bolsos de esperanças,
e não só os bolsos, mas também as mãos
e os cabelos, a voz, o coração,
que a doença do planeta azul
ainda tem solução.

(Roseana Murray)

01) Que título você daria a esse texto?

02) Utilizando todos os possíveis dados fornecidos pelo texto, ilustre as duas galáxias:

03) Por que o planeta onde o menino mora "as coisas não vão tão bem assim"?

04) E aqui no seu país, quais são os maiores problemas enfrentados? Cite, no mínimo, cinco:

05) Usando o maior número possível de adjetivos, caracterize os dois lugares, descrevendo-os:

06) Você acha que o cheiro de jasmim é uma riqueza? Justifique sua resposta:

07) Qual é a avaliação que o habitante da outra galáxia faz da doença do planeta azul? Você concorda com ele? Por quê?

08)  De qual anúncio você gostou mais? Por quê?

09) Agora faça de conta que você é o menino do planeta azul, que acabou de receber essa resposta do menino da outra galáxia. Como você responderia? Capriche!

10) Que mensagem podemos extrair após a leitura desse texto?