domingo, 24 de setembro de 2017

A intertextualidade entre imagens!




01) O que as duas imagens têm em comum? E o que elas têm de diferente?

02) O que ambas as imagens denunciam? O que você pensa a respeito disso? Comente:

03) Você já se sentiu numa dessas situações? Explique:

04) Que título você daria a cada uma delas?

05) Podemos afirmar que os seres humanos comovem-se com as dores do mundo? Justifique sua resposta: 

06) As pessoas estão mesmo preocupadas com o que acontece ao redor delas? Comente: 

07) Qual das duas imagens incomodou mais você? Por quê? 

08) No que você acha que as pessoas mais estão se "afogando" atualmente? Explique seu raciocínio: 

09) Que mensagem as imagens transmitem? O que se pode aprender com elas?

10) Se uníssemos as duas imagens, quem seriam os "fotógrafos" e o que fizeram para que a imagem chegasse até a TV? Qual seria a notícia?

11) Elabore um texto dissertativo-argumentativo sobre o tema: "A falsa preocupação da sociedade com os problemas do mundo": 


(Colaboradoras artemanhosas: Nívea Nascimento e Nalvinha Kássia)

sábado, 23 de setembro de 2017

Analisando um anúncio de Mineirinho Zero!



01) O que está sendo anunciado?

02) Quantas embalagens do produto anunciado estão presentes no anúncio?

03) Qual característica desse produto está sendo destacada?

04) A que faixa etária as pessoas presentes no anúncio parecem pertencer?

05) Como essas pessoas estão vestidas? O que elas carregam nas costas?

06) Qual o estado de espírito que os modelos demonstram?

07) Qual a importância desse estado de espírito para o anúncio?

08) Liste os objetos encontrados no anúncio e aponte o que há de comum entre todos eles:

09) O que a lista acima significa? Explique:

10) Sabendo que as cores frias são os tons de azul, verde e violeta, e as quentes são os diversos tons de amarelo, laranja e vermelho, analise as cores utilizadas e o que tal escolha revela:

11) O produto anunciado aparece no canto inferior direito parcialmente mergulhado na água. Qual teria sido a intenção dos criadores do anúncio ao apresentá-lo dessa forma? Que ideia eles podem ter querido passar ao consumidor?

12) Em que época do ano provavelmente tal anúncio foi divulgado?

13) Onde esse anúncio poderia ser veiculado?

14) Qual o slogan desse produto?

15) Na frase que se encontra dentro do bote, há uma palavra que se dirige diretamente ao consumidor. Qual é ela?

16) Em tal frase foi usada a formalidade ou a informalidade da linguagem? Justifique sua resposta:

17) Observe que essa frase não está escrita em linha reta. O que o formato do texto pode lembrar e qual seria esse objetivo?

18) Você consegue identificar a palavra do texto que está relacionada a todos os elementos visuais do anúncio? Qual é ela?

19) Qual o objetivo de uma campanha publicitáaria, de um modo geral? E desta, em especial?

20) Os elementos presentes no anúncio são suficientes para você se decidir a consumir o produto? Justifique sua resposta:

21) Você acredita que o anúncio apela mais ao seu lado emocional ou ao racional? Ou a ambos? Por quê?

22) Que nota você daria a esse anúncio, de uma forma geral? Justifique sua resposta:

quarta-feira, 6 de setembro de 2017

Quem não gosta de trabalhar com charges?!?

01) O que a charge acima denuncia?

02) No que esse homem presente nela poderia estar pensando?

03) Por que a cabeça dele é tão pequena?

04) O que existe no fundo desse poço para a personagem querer tanto comprar?

05) Que provérbio poderia estar associado a essa charge?

06) Observe a imagem e informe como a tecnologia colabora no sentido de "um menor esforço físico":

07) Monte uma palavra cruzada com o tema central sendo TECNOLOGIA, utilizando todas as letras dessa palavra para relacionar a outras, dando dicas das mesmas, claro! 

08) Refaça a charge considerando a realidade de 50 anos atrás: 

09) Refaça-a agora imaginando uma provável realidade daqui a 50 anos: 

10) Crie uma frase com a palavra POÇO tendo o sentido denotativo e outra com o sentido conotativo, explicando: 

11) Altere a charge com 5 mudanças notáveis e explique o porquê de cada uma delas: 

12) Que título você daria a essa charge? 

13) Que mensagem a charge lhe transmitiu?

14) Associe a charge à imagem abaixo:


(Agradecimentos às amigas artemanhosas Nalvinha, Aparecida e Zizi pela parceria!)

terça-feira, 5 de setembro de 2017

Só para esclarecer uma coisinha...


Eu ia até ignorar, deixar pra lá, ou simplesmente deletar daqui do blog os comentários semelhantes a este acima, só que eles, infelizmente, têm sido beeeeeem frequentes, então resolvi escrever esta postagem a fim de esclarecer algumas coisas, apesar de já considerar muuuuuuito clara a minha postura na resposta dada a ele!  

Primeiro que não ganho NADA com este blog (além de muitas amizades feitas através dele e que faço questão de manter) e, se o atualizo, há anos, é por pura BOA VONTADE e desejo de trocar, de ajudar alguns colegas, dando ideias de atividades e afins. Parece pouco para alguns? Lamento! Arregace as mangas e faça melhor, do jeitinho que acha que tem valor! Quer gabarito? Encontre alguém que faça isso para você e PAGUE pelo serviço dessa pessoa, pois como dá trabalho, muito mais, aliás, do que a pessoa preguiçosa pensar ou ler um livro ou ver um filme em questão. 

Segundo: não faço gabarito nem para mim, até porque grande parte das questões é aberta, ou seja, cabem várias respostas, desde que se use o chamado BOM SENSO que, vale lembrar, não vem incluso no "salvador" gabarito! É algo exercitado, diariamente! 

Terceiro: é uma escolha MINHA, portanto, não fazer nem disponibilizar gabaritos aqui. PONTO. Nenhum recadinho, por mais lindinho, meigo e carinhoso que seja -- e que não é o caso deste em questão -- vai me convencer a mudar de ideia. Ainda mais quando ele vem mal escrito, em caixa alta (que na internet significa GRITAAAAAAAAAAAAR, revelando, assim, uma tremenda falta de educação, além da gritante cara de pau) e cheio de arrogância, o que é típico de uma pessoa folgada, abusada e invasiva, que gosta de exigir, mas que provavelmente não deve fazer nada de positivo na vida (ou será que também tem um blog?!?). Dá pena de pensar que tenho colegas desse nível, mais dependentes de gabarito do que muitos viciados em drogas! Precisam se tratar e conquistar a carta de alforria! Aposto que podem, se desejarem! 

Enfim, é isso! Não adianta insistir e, se pensa que atividades sem gabarito não têm valor, pode se esquecer, agora mesmo, do endereço deste blog! Combinado?!? Um abraço. Para todos -- até mesmo para os parasitas, folgados e pobres de espírito (que fiz questão de esconder o nome pra não dar IBOPE nem os famoso "quinze minutinhos de fama").

Deixo aqui, para finalizar, uma reflexão do Armandinho, personagem que eu simplesmente adoro:


sexta-feira, 1 de setembro de 2017

Você já conhece o maravilhoso "Projeto Redação"

Todo mundo já sabe que eu adoro compartilhar tudo aquilo que eu acho valioso e é por isso que eu estou aqui hoje -- para fazer um convite: Que tal conhecer o melhor site de correção de redações para o ENEM?!? Trata-se do "PROJETO REDAÇÃO", do qual eu já era fã antes mesmo de fazer parte da equipe!

Há um pouco mais de um ano, surgiu a oportunidade -- única -- de participar daquela equipe maravilhosa, da qual eu  tenho muuuuito orgulho de fazer parte, que tem ótimas ideias, que usa e abusa da criatividade e arregaça mesmo a manga, trabalhando para oferecer sempre o melhor para cada um! E tudo isso por um precinho super acessível, embora você também possa aproveitar muuuuito de forma 0800! 

Toda semana temos novidades por lá: novos temas (já são taaaaaantos), dicas super interessantes, correção detalhada do texto enviado, podcasts sobre os temas... enfim, há muita coisa legal e importante esperando por você! 

Eu, por exemplo, já participei também publicando dois temas de redação, com seus respectivos podcasts, apesar da minha voz de gralha (nada contra as gralhas, diga-se de passagem): "A doação de órgãos no Brasil e seus principais desafios" e "Como enfrentar o dilema da Nomofobia no Brasil", que vocês podem acessar clicando nos links abaixo, respectivamente:



https://www.projetoredacao.com.br/temas-de-redacao/como-enfrentar-o-dilema-da-nomofobia-no-brasil

Não deixem de conferir!

Um abraço!

quarta-feira, 12 de julho de 2017

Chuchu (Manuel Bandeira)


Joanita,em sua última carta escrita de Haia: "Mas que saudades de chuchu com molho branco". 

Eu sei que toda gente despreza o chuchu, a coisa mais bestinha que Deus pôs no mundo, “Cucurbitácea” reles que medra em qualquer beirada de quintal. Não tenho também nenhuma ternura especial pelo chuchu, mas já reparei que há uma certa injustiça em considerar insípido um prato que é insípido só porque raras são as cozinheiras que sabem prepará-lo. 

Sei ainda que os médicos nutricionistas banem o chuchu de todas as suas dietas, dizem que o chuchu não vale nada, é uma mistura de água e celulose, desprovida de qualquer vitamina ou sal. O chuchu é meu eterno pomo da discórdia com meu querido amigo Dr. Rui Coutinho. Quando ele desfaz do chuchu em minha presença, salto logo em defesa do humilde caxixe. Argumento assim: "Antigamente, antes da descoberta das vitaminas, se dizia o mesmo da alface. Mas o sabor da planta, a boniteza de sua folha verdinha, ou talvez o instinto secreto da espécie sempre levaram o homem a comer a aristocrá- tica Lactuca sativa. Um dia se descobriu que a alface é rica em vitamina A, cálcio e ferro. Então a alface deixou de ser água e celulose, e entrou nos menus autorizados e recomendados pelos nutricionistas. 

Quem me dirá que um dia, próximo ou distante, não se descobrirá no chuchu um elemento novo, indispensável à economia orgânica? O que me parece inexplicável é que nós brasileiros persistamos em comer sem quase nenhum deleite essa coisinha verde e mole que se derrete na boca sem deixar vontade de repetir a dose.” 

Rui Coutinho sorri cético. 

Enquanto isso, na Holanda, Joanita, podendo comer os pratos mais saborosos do mundo, tem saudade é de chuchu com molho branco. Que desforra para o chuchu! 

(Manuel Bandeira)

01) A passagem destacada no início do texto pode ser considerada uma frase? Justifique sua resposta:

02) Ainda com relação à passagem que abre o texto, nela há dois segmentos. O segundo, sozinho, pode ser considerado uma frase? Por que ele vem isolado por aspas? 

03) Exlique por que "Lactucasativa" e "menus" aparecem destacados no texto: 

04) Quanto ao gênero, como você classificaria o texto? Que fato serviu de motivo para o autor escrevê-lo? 

05) No texto, há um trecho dissertativo. Que palavra introduz a dissertação? 

06) Qual é o principal argumento utilizado na defesa do chuchu? O que você pensa a respeito dele? Convenceu? 

07) Encerrado o texto, o autor afirma: "Que desforra para o chuchu!". Esse enunciado constitui uma frase? Justifique: 

08) Qual é o significado do adjetivo "insípida" em cada uma das frases seguintes: "O chuchu é uma comida insípida" e "Era uma insípida noite de verão"? 

09) Na linguagem coloquial, a expressão "pra chuchu" tem sentido de abundância. Que expressão do texto comprova esse sentido dessa expressão popular? 

10) Na frase "O chuchu é meu pomo da discórdia com meu querido amigo Dr. Rui Coutinho", qual é o sentido da expressão destacada?

11) O autor usa vários termos para se referir ao chuchu, mas a expressão a qual ele faz referência à alface é:

 (A) caxixe  (B) coisinha verde. (C) coisa bestinha. (D) Cucurbitácea reles. (E) Lactuca sativa.

12) “Eu sei que toda gente despreza o chuchu, a coisa mais bestinha que Deus pôs no mundo, "Cucurbitácea" reles que medra em qualquer beirada de quintal.” No trecho anterior, as ASPAS foram usadas na expressão grifada para informar que se trata de:

(A) ironia.  (B) populismo.  (C) estrangeirismo. (D) termo científico.  (E) ênfase na expressão.

13) Identifique a opinião do autor sobre o chuchu (transcreva): 

segunda-feira, 10 de julho de 2017

Um homem de consciência (Monteiro Lobato)


Chamava-se João Teodoro, . O mais pacato e modesto dos homens. Honestíssimo e lealíssimo, com um defeito apenas: não dar o mínimo valor a si próprio. Para João Teodoro, a coisa de menos importância no mundo era João Teodoro. 

Nunca fora nada na vida, nem admitia a hipótese de vir a ser alguma coisa. E por muito tempo não quis nem sequer o que todos ali queriam: mudar-se para terra melhor. 

Mas João Teodoro acompanhava com aperto do coração o deperecimento visível de sua Itaoca. 

"Isto já foi muito melhor", dizia consigo. "Já teve três médicos bem bons -- agora um e bem ruinzote. Já teve seis advogados e hoje maldá serviço para um rábula ordinário como o Tenório. Nem circo de cavalinhos bate mais por aqui. A gente que presta se muda. Fica o restolho. Decididamente, a minha Itaoca está se acabando..."

João Teodoro entrou a incubar a ideia de também mudar-se, mas para isso necessitava dum fato qualquer que o convencesse de maneira absoluta de que Itaoca não tinha mesmo conserto ou arranjo possível. 

"É isso", deliberou lá por dentro. "Quando eu verificar que tudo está perdido, que Itaoca não vale mais nada de nada, então arrumo a TROUXA e boto-me fora daqui." 

Um dia aconteceu a grande novidade: a nomeação de João Teodoro para delegado. Nosso homem recebeu a notícia como se fosse uma porretada no crânio. Delegado ele! Ele que não era nada, nunca fora nada, não queria ser nada, se julgava capaz de nada... 

Ser delegado numa cidadezinha daquelas é coisa seriíssima. Não há cargo mais importante. É o homem que prende os outros, que solta, que manda dar sovas, que cai à capital falar com o governo. Uma coisa colossal ser delegado -- e estava ele, João Teodoro, de-le-ga-dode Itaoca!...

João Teodoro caiu em meditação profunda. Passou a noite em claro, pensando e arrumando as malas. Pela madrugada botou-as num burro, montou seu cavalo magro e partiu.

-- Que é isso, João? Para onde se atira tão cedo, assim de armas e bagagens? 

-- Vou-me embora -- respondeu o retirante. -- Verifiquei que Itaoca chegou mesmo ao fim. 

-- Mas, como? Agora que você está delegado?

-- Justamente por isso. Terra em que João Teodoro chega a delegado eu não moro. Adeus. E sumiu. 

(Monteiro Lobato)

01) O que significa o "só", presente na primeira frase do texto? 

02) Que outras palavras poderiam substituir, mantendo o mesmo sentido, honestíssimo, lealíssimo e seriíssimo, respectivamente? 

03) Quantas vezes aparece, no texto, o nome "João Teodoro"? O que isso significa?

04) Reescreva a passagem destacada no primeiro parágrafo do texto, a fim de evitar repetições do nome próprio: 

05) O que diferenciava o protagonista das outras pessoas? 

06) Copie do texto dois numerais, classificando-os:

07) Qual o tipo de narrador presente no texto lido? Comprove com uma passagem dele: 

08) O que as aspas sinalizam no texto em questão? 

09) Transcreva do texto três substantivos próprios:

10) O que a palavra sublinhada no texto significa? Elabore uma frase em que ela apareça com um outro significado (dizendo qual): 

11) Qual a intenção de se repetir o vocábulo NADA no trecho destacado no sétimo parágrafo? 

12) Explique o valor semântico do diminutivo em "ser delegado numa cidadezinha daquelas...":

13) Por que a palavra DELEGADO apareceu escrita da forma "de-le-ga-do", no texto?

14) Na passagem "Pela madrugada botou-as num burro", situada no final do texto, a palavra destacada substitui que outra? 

15) Circule no texto um exemplo de vocativo, explicando seu raciocínio: 

16) Como é caracterizada a cidade de Itaoca no texto?

17) O que significa, no contexto do conto, ser "um homem de consciência"? 

18) Que outro título você daria ao texto?

19) Que mensagem ele lhe transmitiu? Comente: 

20) Ilustre a passagem do conto de que você mais gostou: