domingo, 4 de novembro de 2018

Proposta de Redação do ENEM 2018: O que você achou?!?



Os temas de redação do ENEM sempre tiveram como característica o chamado "elemento surpresa", porém, no ano passado, a SURDEZ, limitando bastaaaaante a questão das deficiências, surpreendeu além da conta, resultando em muita fuga ao tema ou tangenciamento, ou seja, à nota zero. Este ano não parece ser diferente, só que ocorreu o inverso: ampliaram demais um tema! 

Muita gente lamentavelmente parece ter confundido o tema proposto com "fake news", algo bastante explorado, especialmente nas últimas eleições para a presidência, tanto do Trump (EUA) quanto do Bolsonaro (aqui no Brasil). Se a pessoa apenas citou as notícias falsas para comprovar o quão perigoso esse recurso de manipulação pode ser, menos mal! Mas se deixou de se situar no universo das informações pessoais dos usuários das redes, pesquisas, dados de publicações e assuntos de interesse desses usuários que o Google, Facebook, Instagran e outros usam para direcionar conteúdo e propagandas, "dançou"!!! :-(

Daria até para abordar a questão das "bolhas sociais", já que cada usuário analisado vai formando grupos, "bolhas", com outros com gostos semelhantes... mas tinha que passar pelo ponto ESSENCIAL de abordar essa manipulação citada e que é mais perigosa ainda (por ser mais sutil) do que simples "fake news" que circulam e que podemos não ler, ou pesquisar a fonte para confirmarmos. Enfim... 

Ao meu ver, os textos motivadores foram bem focados no tema proposto, sem apresentar nenhum distrator, e o último, inclusive, já dava um excelente ponto de partida para a construção da tese do texto dissertativo-argumentativo: "decisão informada versus obediência influenciada". O que você, afinal, prefere?!?

Registro aqui que gostei do tema, embora tenha considerado complexo demais para os candidatos, além de também ter sido meio "elitista" e perfeito para quem usa e abusa da internet, desconsiderando que há áreas do nosso país que sequer têm acesso a isso! É a ressalva que eu faço! 

No mais, pelo que observei, nenhum site acertou o tema deste ano, embora alguns estejam "forçando barra" de novo, a exemplo do ano passado!!! he he he 

quarta-feira, 12 de setembro de 2018

Você só se diverte bebendo?



01) No texto acima, não há indicação dos parágrafos. Como você justificaria esse fato? Isso corresponde a um desvio, como ocorreria, por exemplo, em uma redação para o ENEM?

02) O texto pode ser dividido em duas partes. Delimite cada uma e diga como você caracterizaria cada um delas:

03) Transcreva do texto dois exemplos de oralidade, ou seja, passagens que parecem que o autor está conversando com o leitor:

04) Qual seria a intenção do autor do texto ao fazer uso dessas marcas de oralidade citadas na questão anterior?

05) Adilson Citelli, em seu livro "Linguagem e persuasão", comenta que um dos recursos persuasivos é o apelo à autoridade, isto é, o apoio a alguém que valide o que está sendo afirmado. O texto faz uso desse recurso? Comente: 

06) Copie do texto um trecho que explora o recurso da ambiguidade, ou seja, do duplo sentido, explicando, da melhor forma possível, que dois sentidos são esses: 

07) Qual a finalidade do texto? Você acha que ele cumpriu com esse objetivo?

08) Por que existem algumas passagens destacadas no texto? 

09) Elabore uma proposta de intervenção completa para a problemática apresentada no texto, não se esquecendo dos elementos exigidos no ENEM: agente, ação, modo, efeito, detalhamento: 

10) Você acha que, a exemplo dos cigarros, os rótulos e as mensagens publicitárias de bebidas alcoólicas também deveriam trazer advertências ao consumidor? Justifique sua resposta: 

sexta-feira, 31 de agosto de 2018

Sobre a arte de pagar mico...

Não sei se isso costuma acontecer muito com vocês, mas eu me considero a "rainha dos micos" e das situações embaraçosas e/ou hilárias! Parece que atraio! Tuuuuudo acontece comigo, e em sala de aula, claro, não poderia ser diferente!

Esta semana, por exemplo, preparei uma apostila para as minhas turmas, com o tema "Ambiguidade", e lá fui eu, toda animada! As aulas estavam bem divertidas, leves, lúdicas, com todo mundo participando... até que, em uma imagem, um aluno cismou de observar algo que ninguém havia observado. Nem eu! E olha que eu me considero detalhista e boa observadora! 

A imagem em questão, para quem foi mordido(a) pela curiosidade, foi esta, que, até então, eu tinha achado perfeita (e divertida!) para exemplificar o assunto abordado, MAS...


Eis que o tal aluno, atento, mais até do que deveria, observou que tem uma cenoura posicionada em um lugar, bem, digamos, não muito apropriado! Aí que todo mundo foi reparar, inclusive eu, que não esperava, já que tirei de um site sério, o "Portal do Professor", então imagine se fosse de outro! Olha que situação! Eu mereço! A gargalhada foi geral! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Que isso nos sirva de lição, para ficarmos sempre atentos aos mínimos detalhes, por haver tanta mensagem subliminar, que deixamos, devido à correria ou à ingenuidade -- ou a ambas --, passar. Imagine se um certo candidato à presidência pega um acontecimento desses e vai para as redes sociais falando que eu sou a favor do "kit gay" e que essa atividade, na verdade, foi uma estratégia minha de incitar os alunos e tal...!!!! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk  Do jeito que a coisa anda...

E tal episódio também revela que, com bom senso, boa vontade, naturalidade e leveza, podemos transformar o que tinha tudo para dar errado em um bom momento para discutirmos sobre tantas outras coisas, já que tudo tem um porquê! 

Então deixo aqui o convite para que comentem se já passaram por alguma situação semelhante e como foi que saíram dela... Estou curiosa! Um abraço a todos! ;-) 

quinta-feira, 23 de agosto de 2018

Análise de "Vista Cansada", de Otto Lara Resende



Acho que foi o Hemingway quem disse que olhava cada coisa à sua volta como se a visse pela última  vez. Pela última ou pela primeira vez? Pela primeira vez foi outro escritor quem disse. Essa ideia de olhar pela última vez tem algo de deprimente. Olhar de despedida, de quem não crê que a vida continua. Não admira que o Hemingway tenha acabado como acabou! Fugiu enquanto pôde do desespero que o roía -- e daquele tiro brutal. 

Se eu morrer, morre comigo um certo modo de ver, disse o poeta. Um poeta é só isto: um certo modo de ver. O diabo é que, de tanto ver, a gente banaliza o olhar. Vê não-vendo. Experimente olhar pela primeira vez o que você vê todo dia, sem ver. Parece fácil, mas não é. O que nos cerca, o que nos é familiar, já não desperta curiosidade. O campo visual da nossa rotina é como um vazio. 

Você sai todo dia, por exemplo, pela mesma porta. Se alguém lhe perguntar o que é que você vê no seu caminho, você não sabe. De tanto ver, você não vê. Sei de um profissional que passou 32 anos a fio pelo mesmo hall do prédio do seu escritório. Lá estava sempre, pontualíssimo, o mesmo porteiro. Dava-lhe bom dia e às vezes lhe passava um recado ou uma correspondência. Um dia o porteiro cometeu a descortesia de falecer. 

Como era ele? Sua cara? Sua voz? Como se vestia? Não fazia a mínima ideia. Em 32 anos, nunca o viu. Para ser notado, o porteiro teve que morrer. Se um dia no seu lugar estivesse uma girafa cumprindo o rito, pode ser também que ninguém desse por sua ausência. O hábito suja os olhos e lhes baixa a voltagem. Mas há sempre o que ver. Gente, coisas, bichos. E vemos? Não, não vemos. 

Uma criança vê o que o adulto não vê. Tem olhos atentos e limpos para o espetáculo do mundo. O poeta é capaz de ver pela primeira vez o que, de fato, ninguém vê. Há pai que nunca viu o próprio filho. Marido que nunca viu a própria mulher, isso existe às pampas! Nossos olhos se gastam no dia-a-dia, opacos. É por aí que se instala no coração o monstro da indiferença. 

(Otto Lara Resende)

01) O autor do texto compartilha da opinião de Hemingway sobre a maneira de olhar as coisas? Justifique sua resposta transcrevendo uma passagem do texto: 

02) O que o autor quis dizer com a afirmação: "Um poeta é só isso: um certo modo de ver"? Ele quis valorizar ou desvalorizar o poeta, afinal? Explique:

03) "Não admira que o Hemingway tenha acabado como acabou". A que o autor se refere? Quais são as pistas textuais mais preciosas para se chegar a essa conclusão?

04) Indique, na frase que segue, a causa e a consequência: "de tanto ver, a gente banaliza o olhar":

05) O autor nos dá um conselho para que não sejamos engolidos pela rotina. Qual? Copie: 

06) O que o autor quis dizer com "É por aí que se instala no coração o monstro da indiferença"? Por que se usou essa metáfora de "monstro"? O que isso significa?

07) Que recurso de linguagem o autor usou no trecho: "Um dia o porteiro cometeu a descortesia de falecer"? Em que palavra isso se concentra? 

08) Para o autor, olhar como se fosse pela última vez é deprimente. Por quê? Você conroda com isso? Justifique sua resposta:

09) Quem, de acordo com o autor, é capaz de ver o mundo como se fosse pela primeira vez? Que vantagem há nisso? 

10) Você, afinal, acha que devemos olhar as coisas como se fosse pela primeira vez ou pela última? Justifique sua resposta:

11) Por que a palavra HALL está escrita em itálico? 

12) Que mensagem o texto lhe transmitiu? O que você aprendeu com ele? 

13) Que recurso persuasivo o autor usou para reforçar sua reflexão, sua opinião? Explique: 

sábado, 28 de julho de 2018

Atividade com a música "Singular" (AnaVitória)



É tão singular o jeito que me observa acordar
E o meu cabelo não parece te assustar
Você incrivelmente não se importa
Se eu te chutar a noite inteira
É singular
Tua vergonha e tua forma de pensar
O teu abraço que me enlaça devagar
Enfeita todos os meus dias e horas

É tão particular o meu encontro quando é com você
O meu sorriso quando tem o seu pra acompanhar
As minhas histórias quando você para pra escutar
A minha vida quando tem alguém pra chamar
De VIDA...

É tão singular
A habilidade que eu tenho em contar
Um arsenal de clichês pra te encantar
Na intenção de te fazer não esquecer
Que eu nunca vou parar de te chutar
A noite inteira mesmo se você brigar
Eu te enlaço e não me permito soltar
Pro nosso nós não deixar de ser assim
Tão singular...

(AnaVitória)


01) Justifique o título da música:

02) Podemos afirmar que tal canção possui traços românticos? Se sim, quais?

03) Cite duas características que diferem o destinatário das outras pessoas:

04) O que seria chamar a pessoa de VIDA? O que isso lhe transmite?

05) Transcreva da música exemplos de oralidade:

06) Explique a importância do pronome NÓS presente no final da canção para o contexto da música:

07) Que mensagem a canção lhe transmitiu?

08) Diga a que classe gramatical pertence cada palavra destacada no texto:

quinta-feira, 26 de julho de 2018

Doutor Bumbum é o brasileiro típico


Antes de mais nada: não estou defendendo esse médico, mas vamos analisar os fatos e o que eles nos apresentam. Nós reclamamos de políticos corruptos, porém eles nascem dentro da nossa sociedade. Quando falamos nas vítimas do Bumbum, não estamos falando de pessoas humildes, sem recursos, morrendo por descaso na fila do SUS, tentando uma cirurgia do câncer. Estamos falando de pessoas com salário e estudo, bancários, dentistas, modelos, que estão fazendo cirurgias estéticas por questões pessoais, o que nada tem de errado. Porém, vejamos a mente do brasileiro como funciona:

EU QUERO uma cirurgia estética, que todo mundo minimamente alfabetizado sabe que tem um risco e deve ser feita em lugar adequado, por profissional habilitado, com equipe de apoio e suporte técnico, ainda mais quem tem R$ 20.000,00 pra pagar! Então o que leva uma pessoa esclarecida a aceitar pagar pra ser operada em um apartamento qualquer ou na própria casa?!? Simples, é o famoso "jeitinho brasileiro" de levar alguma vantagem, de gastar muito menos por uma coisa que sabe que tem um preço correto, quando está sendo feita de forma adequada, no lugar certo. 

Quando uma pessoa está gastando valores do tipo R$ 20.000,00 por coisas que sabe que deveriam ser muito mais e em condições muito diferentes, ela não é mais, ao meu ver, apenas uma vítima inocente, mas uma cúmplice de seu próprio destino, pois, assim como o motorista sabe que não pode beber e dirigir bêbada, ela está assumindo o risco. Mas, infelizmente, muitas vezes o risco assumido se realiza e a pessoa sofre as consequências, nesse caso uma delas foi a morte. 

Lembremos que, no ocorrido, tanto o Doutor Bumbum quanto suas clientes devem ser responsabilizados na forma da lei. Assim, como só existe o traficante porque tem o usuário, só existem clínicas e cirurgias clandestinas porque existe quem quer pagar por elas. 

(Lemuel Araújo - 22/07/18)

01) Por que o autor resolve adiantar o seu posicionamento sobre a postura do médico em questão? 

02) Posicione-se sobre essa afirmação presente no texto: "Nós reclamamos de políticos corruptos, porém eles nascem dentro da nossa sociedade", explicando seu raciocínio: 

03) Observe que há uma oposição entre dois grupos de pessoas citados pelo autor no primeiro parágrafo. O que mudaria, afinal, se fosse um grupo em vez do outro? Explique:

04) O autor do texto é contra cirurgias estéticas? Justifique sua resposta, acrescentando uma passagem do próprio texto para reforçá-la: 

05) Por que a passagem "EU QUERO" encontra-se em destaque no texto? O que isso revela? Comente: 

06) Concorda com a resposta que o autor deu à própria pergunta feita no texto? E que resposta VOCÊ daria a ela? 

07) Por que o autor escolheu utilizar duas vezes o valor da cirurgia no texto? 

08) Explique a passagem "ao meu ver" utilizada no penúltimo parágrafo do texto e sua importância: 

09) Posicione-se sobre a passagem destacada no mesmo parágrafo citado acima, justificando seu ponto de vista: 

10) Dê a sua opinião sobre as comparações utilizadas no texto, explicando da melhor forma possível:  

11) Que mensagem o texto lhe transmitiu? 

12) Podemos afirmar que o texto é um artigo de opinião? Por quê? 

13) Avalie o uso de conexões e "costuras" utilizadas no texto, explicando bem se foram bem empregadas e se foram variadas: 

14) Você concorda com o título dado ao texto? Ele foi bem empregado? Que outro título você daria?

15) Que tema de redação você extrairia do texto lido? Sobre o que você escreveria?

16) Vale lembrar que uma charge também traz embutida uma opinião de quem a criou. Qual seria a da seguinte? O que você pensa a respeito disso? Comente:



(Participação super especial da minha amiga Aparecida Ferreira de Carvalho)

domingo, 24 de junho de 2018

Atividade sobre o filme "O Leitor" (2 h 4 min)


Sinopse: Na Alemanha pós-guerra, o adolescente Michael Berg inicia um relacionamento apaixonado por Hanna Schmitz, uma mulher que tem o dobro da sua idade. Apesar das diferenças de classe, os dois vivem uma bonita história de amor. Um dia Hanna desaparece misteriosamente, deixando Michael com o coração partido. Anos mais tarde, ele, que agora é estudante de Direito, se surpreende ao reencontrar Hanna em um polêmico julgamento por crimes de guerra cometidos pelos nazistas. (Duração: 2 h 4 min)

Acabei de assistir a esse filme e fiquei en-can-ta-da! Apesar das cenas de nudez, pretendo levar para os meus alunos qualquer dia. Chorei em muitos momentos! Cada um mais lindo e intenso que o outro! E acabei me empolgando e criando algumas questões sobre ele. Espero que gostem! 

01) Qual foi a importância de Hanna na vida de Michael e dele na vida dela, assim que se conheceram?

02) Em que momento começou a despertar o interesse dela nele? E o dele nela? Comente: 

03) Por que ela preferia que ele lesse para ela? Isso ainda predominava depois que ela finalmente aprendeu a ler? Comente:

04) Comprove, citando partes do filme, que ela, de fato, não sabia ler: 

05) Como e quando, afinal de contas, ela aprendeu a ler? 

06) Apesar da grande diferença de idade entre os protagonistas, você acha que isso seria um obstáculo para continuarem juntos? Justifique sua resposta, mencionando alguns momentos do filme:

07) Qual a importância da menina Sofia para mudar o rumo da história entre Michael e Hanna? Explique: 

08) Por que houve um momento de tensão entre os dois no dia do aniversário de Michael e da promoção dela no serviço? O que isso revelou? 

09) Por que, afinal de contas, Hanna resolveu sair da vida de Michael? Você concorda com isso? O que teria feito no lugar dela? E no lugar dele?

10) Por que Hanna não assumia que não sabia ler nem escrever? O que você pensa a respeito disso? 

11) Por que Hanna caprichou tanto ao dar banho em Michael no dia do aniversário dele? 

12) Que presente Michael resolveu dar à Hanna na cadeia? Que efeito isso causou nela? E nele?

13) Por que Michael nunca se abriu com ninguém e ficava distante, inclusive de sua filha Julia? Você acha que ele tinha motivos para isso? 

14) O que foi a "Marcha da Morte"? Já ouviu falar sobre isso? Como Hanna escolhia, ao contrário das demais guardas, as vítimas? O que ela pedia às prisioneiras? O que isso revela? 

15) Por que Hanna resolveu assumir uma culpa que não era dela? Você acha que ela foi, na verdade, culpada ou inocente? Comente:

16) No lugar de Michael, você falaria a favor de Hanna no tribunal, na época do julgamento? Por quê? Por que, afinal, ele não o fizera? Você achou essa atitude correta?

17) Por que você acha que Hanna preferiu se suicidar e justo quando sairia da prisão, depois de cumprir sua pena? 

18) Qual a importância da obra "A dama do cachorrinho" para a história?

19) Justifique o título do filme, aproveitando para dar um outro: 

20) O que poderia ter acontecido se Hanna não tivesse se matado? Eles ficariam juntos, na sua opinião? Justifique sua resposta:

21) Você acha que o analfabetismo é algo assim tão vergonhoso quanto Hanna via? Comente:

22) Por que a sobrevivente não quis o dinheiro que Hanna deixou e apenas a latinha que o continha? O que isso significa?

23) Qual a intenção de Hanna ao enviar esse "presente" após a sua morte? Ela conseguiu o que queria, na sua opinião? 

24) Posicione-se sobre essa afirmação da Hanna: "Não importa o que e pense ou o que eu sinta. Os mortos estão mortos": 

25) O que a morte de Hanna significou para o Michael e para a sua relação com sua filha? O que isso revela? 

26) Que mensagem o filme lhe transmitiu, como um todo?